Lu­an­da pre­pa­ra mar­cha

Jornal de Angola - - SOCIEDADE - NEUSA DE MENEZES |

Lu­an­da re­a­li­za, no sá­ba­do, uma mar­cha con­tra a vi­o­lên­cia e abu­so se­xu­al, anun­ci­ou on­tem, na ca­pi­tal, a vi­ce-pre­si­den­te da Co­mis­são Ad­mi­nis­tra­ti­va, Mara Qui­o­sa.

Mara Qui­o­sa deu es­ta in­for­ma­ção du­ran­te uma pa­les­tra di­ri­gi­da aos ad­mi­nis­tra­do­res dos dis­tri­tos, pro­fes­so­res, es­tu­dan­tes, en­car­re­ga­dos de edu­ca­ção, en­ti­da­des re­li­gi­o­sas, cri­an­ças e ado­les­cen­tes, re­a­li­za­da no Ins­ti­tu­to Mé­dio In­dus­tri­al de Lu­an­da (IMEL), no qua­dro da Cam­pa­nha Na­ci­o­nal de Re­fle­xão so­bre a Vi­o­lên­cia e Abu­so Se­xu­al Con­tra a Cri­an­ça que de­cor­re até De­zem­bro.

A vi­ce-pre­si­den­te da Co­mis­são Ad­mi­nis­tra­ti­va fri­sou que a mar­cha vai con­tar com a par­ti­ci­pa­ção do go­ver­na­dor da pro­vín­cia, Hi­gi­no Car­nei­ro, e con­vi­dou as fa­mí­li­as e a so­ci­e­da­de a jun­ta­rem-se nes­ta iniciativa.

Acres­cen­tou que a de­nún­cia con­tra a vi­o­lên­cia é um bem cí­vi­co e ca­be aos pais a prin­ci­pal res­pon­sa­bi­li­da­de de edu­car a cri­an­ça.

Mara Qui­o­sa lem­brou que quei­xas de vi­o­lên­cia con­tra cri­an­ças têm au­men­ta­do a ca­da dia que pas­sa no mu­ni­cí­pio de Lu­an­da. Ad­mi­tiu que, di­a­ri­a­men­te, se re­gis­ta aci­ma de dez ca­sos e as au­to­ri­da­des com­pe­ten­tes es­tão a tra­ba­lhar pa­ra in­ver­ter a si­tu­a­ção.

Fri­sou que o Exe­cu­ti­vo tu­do es­tá a fa­zer pa­ra pro­mo­ver ac­ções con­tra vi­o­lên­cia e abu­so se­xu­al no seio da cri­an­ça. Mara Qui­o­sa de­nun­ci­ou que tem ha­vi­do mui­tos ca­sos no seio das fa­mí­li­as an­go­la­nas e em ins­ti­tui­ções co­mo es­co­las e cre­ches, on­de adul­tos que cui­dam de cri­an­ças têm si­do os prin­ci­pais agres­so­res.

“Fa­lar de cri­an­ça é fa­lar do fu­tu­ro de An­go­la, uma vez que são elas que vão di­tar o des­ti­no do país. Uma cri­an­ça mal­tra­ta­da vai-se re­flec­tir num jo­vem frus­tra­do, en­tão, te­mos que ter cons­ci­ên­cia de que ne­nhu­ma vi­o­lên­cia é jus­ti­fi­ca­da e to­da a bru­ta­li­da­de tem que ser evi­ta­da”, dis­se.

Mara Qui­o­sa acres­cen­tou que o Exe­cu­ti­vo pre­ten­de, com es­sa cam­pa­nha, mo­bi­li­zar as fa­mí­li­as con­tra vi­o­lên­cia e levar os ado­les­cen­tes a pre­ser­va­rem os va­lo­res mo­rais.

Me­di­das pre­ven­ti­vas

Pa­ra o res­pon­sá­vel do De­par­ta­men­to de As­ses­so­ria do Ins­ti­tu­to Na­ci­o­nal da Cri­an­ça (INAC), Hum­ber­to Ro­ber­to, a me­lhor for­ma de pre­ven­ção con­tra o abu­so se­xu­al é es­cla­re­cer os ado­les­cen­tes so­bre edu­ca­ção se­xu­al, pa­ra as­se­gu­rar uma vi­são po­si­ti­va da se­xu­a­li­da­de, en­si­nar so­bre a pri­va­ci­da­de do cor­po.

“Co­mo pais, te­mos que con­ver­sar com os fi­lhos aber­ta­men­te, en­si­ná­los a re­cu­sar pro­pos­tas in­de­cen­tes da par­te de um adul­to, mes­mo que es­se se­ja um fa­mi­li­ar, por­que a mai­o­ria dos ca­sos de abu­so se­xu­al tem vin­do de pes­so­as mais pró­xi­mas das ví­ti­mas.”

Hum­ber­to Ro­ber­to acres­cen­tou que “qu­an­do nos de­pa­ra­mos com um ca­so de abu­so se­xu­al, de­ve­mos de­nun­ci­ar de ime­di­a­to e en­ca­mi­nhar a ví­ti­ma a um psi­có­lo­go.”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.