De­fen­di­do in­ves­ti­men­to na se­gu­ran­ça

Jornal de Angola - - MUNDO -

O Pre­si­den­te de Cabo Ver­de, Jor­ge Car­los Fon­se­ca, que to­mou pos­se quin­ta-fei­ra pa­ra um se­gun­do man­da­to, de­fen­deu a ne­ces­si­da­de de in­ves­tir-se, se­ri­a­men­te, na se­gu­ran­ça in­ter­na, ao afir­mar que o com­ba­te à cri­mi­na­li­da­de “exi­ge mui­to mais” de to­dos.

“A pro­ble­má­ti­ca da se­gu­ran­ça es­tá no cen­tro das nos­sas pri­o­ri­da­des, pois se não for pos­sí­vel o seu efec­ti­vo con­tro­lo, to­dos os ou­tros ob­jec­ti­vos fi­ca­rão com­pro­me­ti­dos”, dis­se Jor­ge Car­los Fon­se­ca no dis­cur­so de pos­se. Sus­ten­tou que é pre­ci­so “in­ves­tir, se­ri­a­men­te, na se­gu­ran­ça in­ter­na”, mas que tal não sig­ni­fi­ca ape­nas mais agen­tes e re­cur­sos fi­nan­cei­ros.

“Is­so é ne­ces­sá­rio, mas não tra­rá re­sul­ta­dos vi­sí­veis se, igual­men­te, não hou­ver re­a­va­li­a­ção de es­tra­té­gia, tác­ti­cas e me­to­do­lo­gi­as de ac­ção, in­tro­du­ção de tec­no­lo­gi­as ajus­ta­das ao con­tro­lo da de­linquên­cia, for­ma­ção de qua­dros de al­to ní­vel no ex­te­ri­or, des­bu­ro­cra­ti­za­ção dos ser­vi­ços po­li­ci­ais e re­for­ço dos mei­os da Po­lí­cia Ci­en­tí­fi­ca, em equi­pa­men­tos e em pre­sen­ça na rua”, su­bli­nhou.

Pa­ra Jor­ge Car­los Fon­se­ca, “o in­ves­ti­men­to na se­gu­ran­ça in­ter­na de­ve ser en­ca­ra­do co­mo se fos­se um in­ves­ti­men­to tam­bém eco­nó­mi­co.”

“De­fen­do que o in­ves­ti­men­to na se­gu­ran­ça pú­bli­ca te­nha ca­riz es­tra­té­gi­co. Pa­ra além dos paí­ses e ins­ti­tui­ções que já nos apoi­am nes­ta ma­té­ria, te­mos que ir mui­to mais lon­ge, na bus­ca de par­cei­ros ex­ter­nos de­ten­to­res de know-how e tec­no­lo­gi­as ade­qua­dos aos de­sa­fi­os que en­fren­ta­mos”, sus­ten­tou. O Che­fe de Es­ta­do re­co­nhe­ce que o Go­ver­no “tem mos­tra­do pre­o­cu­pa­ção” e to­mou al­gu­mas me­di­das pa­ra res­pon­der, mas en­ten­de que “o com­ba­te à in­se­gu­ran­ça e à cri­mi­na­li­da­de exi­ge mui­to mais.”

“Exi­ge que as fa­mí­li­as, as igre­jas, as as­so­ci­a­ções, cum­pram a sua mis­são so­ci­al. Não se po­de dei­xar tu­do na mão do Es­ta­do. As nos­sas res­pon­sa­bi­li­da­des en­quan­to pais, edu­ca­do­res, lí­de­res co­mu­ni­tá­ri­os e re­li­gi­o­sos têm de ser avo­ca­das na cons­tru­ção de uma so­ci­e­da­de mais res­pei­ta­do­ra do bem co­mum, mais ze­la­do­ra dos va­lo­res da so­li­da­ri­e­da­de e do amor ao pró­xi­mo”, dis­se. Cabo Ver­de re­gis­tou um au­men­to ge­ne­ra­li­za­do da cri­mi­na­li­da­de nos úl­ti­mos tem­pos, com o nú­me­ro de quei­xas por ho­mi­cí­dio con­su­ma­dos a atin­gi­rem as 120 em 12 me­ses.

Jor­ge Car­los Fon­se­ca, que ven­ceu as elei­ções pre­si­den­ci­ais de 2 de Ou­tu­bro com 74 por cen­to dos vo­tos, to­mou pos­se pa­ra um se­gun­do man­da­to de cin­co anos co­mo Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca de Cabo Ver­de, nu­ma ce­ri­mó­nia que con­tou com a pre­sen­ça de vá­ri­os Che­fes de Es­ta­do e de Go­ver­no afri­ca­nos. É o quar­to Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca de Cabo Ver­de, de­pois de Aris­ti­des Pe­rei­ra, An­tó­nio Mas­ca­re­nhas Mon­tei­ro e Pe­dro Pi­res.

DR

Jor­ge Car­los Fon­se­ca to­mou pos­se pa­ra um se­gun­do man­da­to co­mo Che­fe de Es­ta­do

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.