His­tó­ria do pas­sa­por­te

Jornal de Angola - - LAZER -

Pas­sa­por­te é um do­cu­men­to de iden­ti­da­de emi­ti­do por um Go­ver­no na­ci­o­nal que ates­ta, for­mal­men­te, o por­ta­dor co­mo na­ci­o­nal de um Es­ta­do em par­ti­cu­lar e re­qui­si­ta per­mis­são em no­me do so­be­ra­no ou do Go­ver­no emis­sor pa­ra o de­ten­tor po­der cru­zar a fron­tei­ra de um país es­tran­gei­ro.

Os pas­sa­por­tes es­tão li­ga­dos ao di­rei­to de pro­tec­ção le­gal no ex­te­ri­or e ao re­tor­no do in­di­ví­duo ao seu país de ori­gem. Os pas­sa­por­tes, ge­ral­men­te, con­têm, com o in­tui­to de iden­ti­fi­car o seu por­ta­dor, al­guns ele­men­tos em co­mum, co­mo: a fo­to­gra­fia, as­si­na­tu­ra, da­ta de nas­ci­men­to, na­ci­o­na­li­da­de e al­gu­mas ve­zes ou­tras in­for­ma­ções co­e­ren­tes ao seu pro­pó­si­to. Mui­tos paí­ses es­tão a de­sen­vol­ver pro­pri­e­da­des bi­o­mé­tri­cas pa­ra os seus pas­sa­por­tes a fim de con­fir­mar com pre­ci­são que o por­ta­dor é o seu le­gí­ti­mo de­ten­tor.

Uma das pri­mei­ras re­fe­rên­ci­as aos pas­sa­por­tes foi fei­ta por vol­ta de 450 a.C. Ne­e­mi­as, um ofi­ci­al, ser­vi­dor do rei Ar­ta­xer­xes I da Pér­sia an­ti­ga, pe­diu per­mis­são pa­ra ir a Ju­dá. O rei con­cor­dou e deu-lhe uma car­ta des­ti­na­da “aos go­ver­nan­tes da província do ou­tro la­do do rio”, a pe­dir se­gu­ran­ça, en­quan­to es­ti­ves­se em ter­ras es­tran­gei­ras.

A ori­gem do ter­mo pas­sa­por­te, con­tu­do, é con­tro­ver­sa. Se­gun­do al­gu­mas fon­tes, sur­giu na Fran­ça du­ran­te o rei­na­do de Luís XIV, on­de o so­be­ra­no da­va aos seus fa­vo­re­ci­dos car­tas, re­que­ren­do a pas­sa­gem dos por­ta­do­res pe­los por­tos. Tais mis­si­vas eram in­ti­tu­la­das “Pas­se Port” que, li­te­ral­men­te, sig­ni­fi­ca pas­sar por um por­to no idi­o­ma fran­cês, no qual, a pa­la­vra pa­ra pas­sa­por­te é pas­se­port. Ou­tros, po­rém, afir­mam ser o ter­mo oriun­do da Ida­de Mé­dia, quan­do do­cu­men­tos emi­ti­dos por au­to­ri­da­des lo­cais pe­di­am au­to­ri­za­ção pa­ra os seus pro­te­gi­dos po­de­rem pas­sar pe­los por­tões (por­te) dos mu­ros das ci­da­des.

Tais do­cu­men­tos, ge­ral­men­te, con­ti­nham uma lis­ta das ci­da­des em que o seu por­ta­dor po­de­ria pas­sar. In­de­pen­den­te da ori­gem do ter­mo pas­sa­por­te, es­te man­te­ve o for­ma­to ru­di­men­tar de car­ta por um lon­go pe­río­do e, na au­sên­cia de fo­to­gra­fi­as, pa­ra a iden­ti­fi­ca­ção, al­guns con­ti­nham des­cri­ções fí­si­cas do por­ta­dor. Os pri­mei­ros pas­sa­por­tes a apre­sen­ta­rem fo­to sur­gi­ram ape­nas no iní­cio do sé­cu­lo XX.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.