Jo­ga­do­res ame­a­çam de­sis­tên­cia

4 de Abril po­de fa­lhar jo­go de ama­nhã fren­te ao Ka­bus­corp

Jornal de Angola - - DESPORTO - AN­TÓ­NIO DE BRITO |

Os jo­ga­do­res do 4 de Abril do Cu­an­do Cu­ban­go ame­a­çam fa­lhar o de­sa­fio de ama­nhã, di­an­te do Ka­bus­corp do Palanca, às 15h30 no Es­tá­dio Na­ci­o­nal da Ci­da­de­la, em par­ti­da re­fe­ren­te à 28ª jor­na­da e an­te­pe­núl­ti­ma do Cam­pe­o­na­to Na­ci­o­nal de Fu­te­bol da I Di­vi­são, Girabola Zap, ca­so a di­rec­ção do clu­be não pa­gue até ho­je os qua­tro me­ses de sa­lá­rio em atra­so.

Des­ta dí­vi­da, os co­man­da­dos de João Ma­cha­do exi­gem ape­nas o pa­ga­men­to de dois me­ses, pa­ra ali­vi­ar o so­fri­men­to das fa­mí­li­as e os res­tan­tes ser li­qui­da­do an­tes do tér­mi­no do cam­pe­o­na­to.

Além dos sa­lá­ri­os, a di­rec­ção do 4 de Abril tem ain­da por li­qui­dar cin­co pré­mi­os de jo­gos em atra­so. Ape­sar dos in­cum­pri­men­tos, os atle­tas não pa­ra­li­sa­ram os tra­ba­lhos, mas pro­me­tem não em­bar­car ama­nhã no voo da TAAG, que faz a li­ga­ção Me­non­gue/Luanda, se por­ven­tu­ra o pro­ble­ma não for so­lu­ci­o­na­do an­tes da vi­a­gem.

Con­tac­ta­do pe­lo Jor­nal de An­go­la, João Ma­cha­do, trei­na­dor da for­ma­ção do 4 de Abril, con­fir­mou o atra­so nos pa­ga­men­tos de sa­lá­ri­os e pré­mi­os de jo­gos, mas re­me­teu o as­sun­to pa­ra a di­rec­ção do clu­be. “La­men­ta­mos a si­tu­a­ção. A mi­nha par­te es­tá fei­ta. O res­to ca­be à di­rec­ção do clu­be”, dis­se vi­si­vel­men­te de­sa­pon­ta­do o de­ca­no dos téc­ni­cos na­ci­o­nais no ac­ti­vo.

João Ma­cha­do es­pe­ra que a di­rec­ção do clu­be pro­cu­re re­sol­ver o pro­ble­ma, por­que o 4 de Abril es­tá há dois pon­tos de ga­ran­tir a con­ti­nui­da­de na al­ta-ro­da do fu­te­bol na­ci­o­nal.

“Se por aca­so não jo­gar­mos com o Ka­bus­corp, a nos­sa per­ma­nên­cia no cam­pe­o­na­to po­de fi­car com­pro­me­ti­da. Ape­la­mos ao bom sen­so da di­rec­ção e dos em­pre­sá­ri­os da província, pa­ra o 4 de Abril se man­ter na com­pe­ti­ção”, la­men­tou, su­bli­nhan­do que a for­ma­ção do Cu­an­do Cu­ban­go po­de che­gar aos 39 pon­tos, ca­so ven­ça os úl­ti­mos três de­sa­fi­os.

“É pos­sí­vel su­pe­rar o Ka­bus­corp, In­ter­clu­be e ASA. Con­fio no tra­ba­lho que re­a­li­zo e na mi­nha ra­pa­zi­a­da”, de­fen­deu o ti­mo­nei­ro an­go­la­no, que qu­es­ti­o­na­do so­bre a pon­ta fi­nal do cam­pe­o­na­to, adi­an­tou que a pro­va es­tá in­te­res­san­te tan­to no to­po co­mo na cau­da.

“Per­sis­te ain­da a in­cer­te­za em re­la­ção ao cam­peão, sem es­que­cer as equi­pas que dis­pu­tam a ma­nu­ten­ção. As três úl­ti­mas jor­na­das se­rão de­ci­si­vas”.

Na con­di­ção de vi­si­tan­te, a equi­pa de João Ma­cha­do não tem si­do ba­fe­ja­da pe­la sor­te. Em 13 des­lo­ca­ções te­ve um registo de se­te der­ro­tas e seis em­pa­tes. Dos 27 jo­gos dis­pu­ta­dos, o 4 de Abril ven­ceu seis, em­pa­tou 12, per­deu no­ve, mar­cou 21 go­los, so­freu 22, nú­me­ros que sus­ten­tam a 11ª po­si­ção, com 30 pon­tos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.