Agen­da da Ci­mei­ra co­me­ça a ser pre­pa­ra­da ho­je pe­los Mi­nis­tros

Mi­nis­tros dos Ne­gó­ci­os Es­tran­gei­ros co­me­çam a pre­pa­rar ho­je a agen­da de tra­ba­lhos

Jornal de Angola - - PARTADA -

Pa­ra pre­pa­rar os do­cu­men­tos a se­rem dis­cu­ti­dos na Ci­mei­ra de Lu­an­da, na quar­ta-fei­ra, reú­nem­se a par­tir de ho­je os mi­nis­tros dos Ne­gó­ci­os Es­tran­gei­ros dos Es­ta­dos que in­te­gram o Me­ca­nis­mo Re­gi­o­nal de Su­per­vi­são do Qua­dro de Paz, Se­gu­ran­ça e Co­o­pe­ra­ção pa­ra a Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go. A par­tir de ama­nhã co­me­çam a che­gar em Lu­an­da os Che­fes de Es­ta­do e de Go­ver­no e os re­pre­sen­tan­tes das or­ga­ni­za­ções in­ter­na­ci­o­nais e re­gi­o­nais par­cei­ras do Me­ca­nis­mo.

Os Che­fes de Es­ta­do e de Go­ver­no e os re­pre­sen­tan­tes das or­ga­ni­za­ções in­ter­na­ci­o­nais e re­gi­o­nais par­cei­ras do Me­ca­nis­mo de Su­per­vi­são do Acor­do de Paz, Se­gu­ran­ça e Co­o­pe­ra­ção pa­ra a Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go co­me­çam a che­gar a Lu­an­da pa­ra a Ci­mei­ra de quar­ta­fei­ra, que vai ava­li­ar a apli­ca­ção dos com­pro­mis­sos as­su­mi­dos pe­las par­tes.

Nu­ma pro­mo­ção da Or­ga­ni­za­ção das Na­ções Uni­das, com o apoio do Go­ver­no de An­go­la, a Ci­mei­ra de Lu­an­da foi con­vo­ca­da de­vi­do ao agra­va­men­to da si­tu­a­ção po­lí­ti­ca na RDC, com re­gis­to de ce­nas de vi­o­lên­cia que re­sul­ta­ram em mais de uma cen­te­na de mor­tos.

Além da Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go, as par­tes vão ava­li­ar os úl­ti­mos acon­te­ci­men­tos na Re­pú­bli­ca Cen­tro Afri­ca­na, Bu­run­di e Su­dão do Sul, que con­ti­nu­am a pre­o­cu­par a re­gião e o con­ti­nen­te afri­ca­no em ge­ral, ape­sar do acor­do as­si­na­do a 24 de Fe­ve­rei­ro de 2013, em Ad­dis Abe­ba, do qu­al são sig­na­tá­ri­os 12 paí­ses e or­ga­ni­za­ções in­ter­na­ci­o­nais e re­gi­o­nais, in­cluin­do a União Afri­ca­na e a Co­mu­ni­da­de de De­sen­vol­vi­men­to da Áfri­ca Aus­tral (SADC) e as Na­ções Uni­das.

Pa­ra a Ci­mei­ra de Lu­an­da, es­tão pre­vis­tas, en­tre ou­tras, as pre­sen­ças do Pre­si­den­te da Tan­zâ­nia, que di­ri­ge o pro­ces­so de ne­go­ci­a­ção no Bu­run­di, do se­cre­tá­rio-ge­ral da fran­co­fo­nia, que tam­bém é um dos par­ti­ci­pan­tes do re­cen­te acor­do de en­ten­di­men­to na Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go, e do se­cre­tá­ri­o­ge­ral da Co­mu­ni­da­de Eco­nó­mi­ca dos Es­ta­dos da Áfri­ca Cen­tral (CEEAC), que tam­bém é par­te dos es­for­ços dos acor­dos de paz na Re­gião dos Gran­des Lagos.

Em Lu­an­da en­con­tra-se já, des­de sex­ta-fei­ra, o en­vi­a­do es­pe­ci­al do se­cre­tá­rio-ge­ral da ONU pa­ra es­ta Re­gião dos Gran­des Lagos, Said Djin­nit. À sua che­ga­da, no Ae­ro­por­to In­ter­na­ci­o­nal 4 de Fe­ve­rei­ro, o di­plo­ma­ta afir­mou que as Na­ções Uni­das es­pe­ram que as dis­cus­sões na Ci­mei­ra de Lu­an­da se­jam fran­cas e abor­dem os re­ais pro­ble­mas dos Es­ta­dos-mem­bros da re­gião. “Es­pe­ra­mos que os paí­ses-mem­bros da Con­fe­rên­cia In­ter­na­ci­o­nal so­bre a Re­gião dos Gran­des Lagos te­nham uma dis­cus­são fran­ca so­bre os pro­ble­mas re­ais des­ta re­gião, que tem mui­to po­ten­ci­al pa­ra ser gran­de re­fe­rên­cia no mun­do e pou­cos mo­ti­vos pa­ra os pro­ble­mas que vi­ve ac­tu­al­men­te”, de­cla­rou.

O di­plo­ma­ta ar­ge­li­no dis­se es­pe­rar que os pro­ble­mas se­jam re­sol­vi­dos o “mais de­pres­sa pos­sí­vel” e es­cla­re­ceu que o en­con­tro não é pro­pri­a­men­te uma Ci­mei­ra de Che­fes de Es­ta­do e de Go­ver­no dos Gran­des Lagos, mas uma reu­nião opor­tu­na so­bre o Acor­do-Qua­dro da re­gião. Said Djin­nit elo­gi­ou a pre­si­dên­cia de An­go­la na Con­fe­rên­cia In­ter­na­ci­o­nal so­bre a Re­gião dos Gran­des Lagos e su­bli­nhou que ela es­tá a ser uma mais-va­lia, pois é “mui­to co­o­pe­ra­ti­va e com re­sul­ta­dos po­si­ti­vos”, o que cons­ti­tui pa­ra as Na­ções Uni­das um mo­ti­vo e opor­tu­ni­da­de pa­ra que as par­tes con­ti­nu­em a tra­ba­lhar jun­tas.

En­con­tro de mi­nis­tros

Pa­ra pre­pa­rar os do­cu­men­tos a se­rem dis­cu­ti­dos na Ci­mei­ra de Lu­an­da, reú­nem-se ho­je e ama­nhã os mi­nis­tros dos Ne­gó­ci­os Es­tran­gei­ros dos Es­ta­dos que in­te­gram o Me­ca­nis­mo Re­gi­o­nal de Su­per­vi­são do Qua­dro de Paz, Se­gu­ran­ça e Co­o­pe­ra­ção pa­ra a Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go.

Nes­ta sé­ti­ma reu­nião de Al­to Ní­vel do Me­ca­nis­mo de Su­per­vi­são Re­gi­o­nal do Acor­do pa­ra a Paz, Se­gu­ran­ça e Co­o­pe­ra­ção na Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go e na Re­gião, as par­tes vão de­ba­ter a apli­ca­ção dos com­pro­mis­sos as­su­mi­dos, ava­li­ar o es­ta­do de neu­tra­li­za­ção das for­ças ne­ga­ti­vas e o re­pa­tri­a­men­to dos com­ba­ten­tes de­sar­ma­dos.

Pro­gres­sos na RDC

A Ci­mei­ra de Lu­an­da de­cor­re após uma in­ten­sa jor­na­da di­plo­má­ti­ca en­ce­ta­da pe­la Co­mu­ni­da­de de De­sen­vol­vi­men­to da Áfri­ca Aus­tral (SADC), atra­vés do Ór­gão de Co­or­de­na­ção de Po­lí­ti­cas de De­fe­sa e Se­gu­ran­ça, que deu um no­vo im­pul­so ao apoio ao diá­lo­go in­ter­no e re­sul­tou na as­si­na­tu­ra de um acor­do en­tre o Go­ver­no e a opo­si­ção, pa­ra a cri­a­ção de um Go­ver­no de in­clu­são e a re­a­li­za­ção de eleições em Abril de 2018.

O Pre­si­den­te Jo­seph Ka­bi­la de­ve li­de­rar o Go­ver­no de in­clu­são e já ga­ran­tiu que não ten­ci­o­na can­di­da­tar-se às pró­xi­mas eleições. O mi­nis­tro con­go­lês dos Ne­gó­ci­os Es­tran­gei­ros, que es­te­ve em Lu­an­da na se­ma­na pas­sa­da, con­si­de­rou “ex­tre­ma­men­te pre­o­cu­pan­te” a si­tu­a­ção na Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go. Je­anC­lau­de Ga­kos­so dis­se o mes­mo que Mai­te Nko­a­na-Masha­ba­ne, mi­nis­tra sul-afri­ca­na das Re­la­ções In­ter­na­ci­o­nais e Co­o­pe­ra­ção, que tam­bém es­te­ve em Lu­an­da, ten­do si­do re­ce­bi­da pe­lo Pre­si­den­te Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos.

Mai­te Nko­a­na-Masha­ba­ne fa­lou da ne­ces­si­da­de de pri­o­ri­zar o diá­lo­go na Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go, mas mais do que is­so con­se­guir man­ter a es­ta­bi­li­da­de num país que é “vi­tal pa­ra a re­gião”, e com qu­em a Áfri­ca do Sul as­si­nou, jun­ta­men­te com An­go­la, um im­por­tan­te acor­do de co­o­pe­ra­ção po­lí­ti­ca, eco­nó­mi­ca e de se­gu­ran­ça. Já o che­fe da di­plo­ma­cia con­go­le­sa dis­se que a Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go faz par­te das pri­o­ri­da­des da agen­da po­lí­ti­ca da re­gião, mas de um mo­do par­ti­cu­lar pa­ra An­go­la e Con­go Braz­za­vil­le.

“É um país vi­zi­nho, um país ir­mão que sem­pre me­re­ceu aten­ção, mas es­tes úl­ti­mos epi­só­di­os tor­nam a si­tu­a­ção es­pe­ci­al”, as­si­na­lou Mai­te Nko­a­na-Masha­ba­ne aos jor­na­lis­tas à saí­da da au­di­ên­cia que lhe foi con­ce­di­da pe­lo Pre­si­den­te Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos.

FRAN­CIS­CO BER­NAR­DO

Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go Jo­seph Ka­bi­la (à es­quer­da) um dos par­ti­ci­pan­tes à Ci­mei­ra de Lu­an­da

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.