Fir­ma man­tém ne­gó­cio em mi­lhões de dó­la­res

Jornal de Angola - - ECONOMIA -

Cer­ca de du­zen­tos mi­lhões de dó­la­res é o vo­lu­me de ne­gó­ci­os re­gis­ta­do no pri­mei­ro se­mes­tre des­te ano pe­la em­pre­sa Neu­ce - In­dús­tria de Tin­tas de An­go­la, que man­tém os ní­veis de pro­du­ção, ape­sar do con­tex­to eco­nó­mi­co e fi­nan­cei­ro que o país en­fren­ta.

Em de­cla­ra­ções à An­gop, o di­rec­tor fi­nan­cei­ro da em­pre­sa Neu­ce - In­dús­tria de Tin­tas de An­go­la, Do­min­gos Pe­dro, avan­çou que a fá­bri­ca, ins­ta­la­da no Pó­lo de De­sen­vol­vi­men­to In­dus­tri­al de Viana, em Lu­an­da, pro­duz, anu­al­men­te, qua­tro mi­lhões e 800 mil li­tros de tin­tas e seus de­ri­va­dos, co­mo ver­ni­zes e di­lu­en­tes.

Até ao pre­ci­so mo­men­to, diz Do­min­gos Pe­dro, a em­pre­sa con­se­gue man­ter os ní­veis de pro­du­ção, pe­lo stock pla­ni­fi­ca­do da ma­té­ria-pri­ma, que é to­da im­por­ta­da, ten­do em li­nha de con­ta que o país não pro­duz. “Mas, pa­ra qu­em es­tá aten­to, as ou­tras em­pre­sas con­cor­ren­tes es­tão pra­ti­ca­men­te a fe­char”, afir­mou.

Com mais de 400 agen­tes que re­pre­sen­tam a sua mar­ca em to­do o mer­ca­do na­ci­o­nal, a Neu­ce man­tém os 68 pos­tos de tra­ba­lho e en­vi­da es­for­ços pa­ra a re­du­ção dos ní­veis de im­por­ta­ção, no que con­cer­ne ao ma­te­ri­al pa­ra a in­dús­tria de cons­tru­ção e o equi­lí­brio da ba­lan­ça de pa­ga­men­to.

Ain­da nes­te mês, a em­pre­sa re­for­çou, pe­la quar­ta vez, os seus in­ves­ti­men­tos no país, com a as­si­na­tu­ra de mais um con­tra­to de in­ves­ti­men­to pri­va­do, ava­li­a­do em dois mi­lhões 201 mil e 433 dó­la­res.

O con­tra­to as­si­na­do com a Uni­da­de Téc­ni­ca de Apoio ao In­ves­ti­men­to Pri­va­do (UTAIP), afec­ta ao Mi­nis­té­rio da In­dús­tria, pre­vê o re­for­ço da pro­du­ção de tin­tas, ver­ni­zes, di­lu­en­tes, re­ves­ti­men­tos, pro­du­tos de sis­te­mas de im­per­me­a­bi­li­za­ção e iso­la­men­to tér­mi­co.

“A as­si­na­tu­ra des­te con­tra­to, re­pre­sen­ta uma mais-va­lia, es­pe­ci­al­men­te, no que to­ca ao pro­ces­so pro­du­ti­vo, à con­tri­bui­ção na re­du­ção das im­por­ta­ções e, par­ti­cu­lar­men­te, no equi­lí­brio fi­nan­cei­ro da em­pre­sa”, re­co­nhe­ceu Do­min­gos Pe­dro. Ten­do co­mo pri­o­ri­da­de o vas­to mer­ca­do in­ter­no, a Neu­ce-An­go­la as­sen­ta a sua es­tra­té­gia na con­quis­ta, não só de to­do o mer­ca­do an­go­la­no, co­mo do dos res­tan­tes paí­ses afri­ca­nos, so­bre­tu­do na­que­les em que a pro­xi­mi­da­de exi­ge mai­or aten­ção.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.