Au­men­tam do­en­ças car­di­o­vas­cu­la­res

Jornal de Angola - - PROVÍNCIAS - JU­LI­A­NA DO­MIN­GOS |

Pe­lo me­nos, 245 ca­sos de do­en­ças car­di­o­vas­cu­la­res fo­ram di­ag­nos­ti­ca­dos, du­ran­te o pri­mei­ro se­mes­tre des­te ano, no Hos­pi­tal Ge­ral do Hu­am­bo, in­for­mou, on­tem, um es­pe­ci­a­lis­ta em Me­di­ci­na In­ter­na da­que­la uni­da­de sa­ni­tá­ria.

Fe­li­zar­do Jo­a­quim, que afir­mou que 137 dos ca­sos di­ag­nos­ti­ca­dos fo­ram em mu­lhe­res, con­si­de­rou que a si­tu­a­ção cons­ti­tui uma gran­de pre­o­cu­pa­ção pa­ra as au­to­ri­da­des sa­ni­tá­ri­as da pro­vín­cia.

O mé­di­co dis­se que exis­te uma ten­dên­cia de pro­gres­são da do­en­ça a ca­da ano que pas­sa, ten­do sa­li­en­ta­do que, em 2015, fo­ram as­sis­ti­dos nas con­sul­tas ex­ter­nas do hos­pi­tal 7.170 ca­sos, dos quais 85 re­sul­ta­ram em in­ter­na­men­to por ques­tões car­di­o­vas­cu­la­res.

O com­por­ta­men­to de al­gu­mas pes­so­as, com re­al­ce pa­ra o ex­ces­so de con­su­mo des­re­gra­do de be­bi­das al­coó­li­cas, ali­a­do ao ta­ba­co, se­den­ta­ris­mo e à mu­dan­ça de há­bi­tos ali­men­ta­res foi con­si­de­ra­do fac­tor prin­ci­pal do sur­gi­men­to da do­en­ça, até, em jo­vens.

“Mui­tos jo­vens co­me­çam a con­su­mir be­bi­das al­coó­li­cas mui­to ce­do e ou­tros op­ta­ram pe­lo con­su­mo de ta­ba­co e ali­men­tos com gor­du­ra e ex­ces­so de sal, o que con­tri­bui pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to de do­en­ças car­di­o­vas­cu­la­res”, dis­se o es­pe­ci­a­lis­ta.

O mé­di­co Jo­a­quim Fe­li­zar­do con­si­de­ra que já co­me­ça a ser uma pre­o­cu­pa­ção ge­ne­ra­li­za­da nas co­mu­ni­da­des, qu­er ur­ba­nas, qu­er ru­rais, a si­tu­a­ção da do­en­ça, daí re­co­men­dar a prá­ti­ca de exer­cí­ci­os fí­si­cos, ali­men­ta­ção sau­dá­vel e o cul­ti­vo de há­bi­tos que aju­dam a des­con­trair o or­ga­nis­mo.

Quan­to ao apa­re­ci­men­to de ca­sos em cri­an­ças, es­cla­re­ceu que es­tes se de­vem à mal­for­ma­ção con­gé­ni­ta e ao nas­ci­men­to com car­di­o­pa­ti­as, que uma vez di­ag­nos­ti­ca­dos, an­te­ci­pa­da­men­te, po­dem ser cor­ri­gi­dos com ci­rur­gi­as car­día­cas.

Es­ti­ma-se que a do­en­ça, con­si­de­ra­da si­len­ci­o­sa, se­ja a cau­sa prin­ci­pal de mor­ta­li­da­de em adul­tos e jo­vens, de­vi­do à fal­ta de co­nhe­ci­men­tos so­bre a mes­ma e por es­tar re­la­ci­o­na­da com o co­ra­ção. O Hos­pi­tal Ge­ral tem re­a­li­za­do al­gu­mas pa­les­tras de in­cen­ti­vo à po­pu­la­ção, pa­ra os cui­da­dos com o co­ra­ção e so­bre a im­por­tân­cia da pre­ven­ção da do­en­ça, ten­do em con­ta que o es­pe­ci­a­lis­ta su­bli­nha que as me­di­das pre­ven­ti­vas cons­ti­tu­em os prin­ci­pais me­ca­nis­mos pa­ra se evi­tar as pa­to­lo­gi­as car­día­cas e o seu con­tro­lo, mes­mo quan­do sur­gem, pa­ra que os pa­ci­en­tes le­vem uma vi­da nor­mal.

JO­SÉ SOARES

Ac­ti­vi­da­de fí­si­ca tem ca­da vez mais adep­tos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.