CARTAS DO LEI­TOR

Jornal de Angola - - OPINIÃO - FÁTIMA AL­BER­TO ALE­XAN­DRE PANZO AFON­SO FRAN­CIS­CO MARGARIDA ANTÓNIO

Igre­jas e edu­ca­ção cí­vi­ca

As igre­jas de­sem­pe­nham um im­por­tan­te pa­pel na edu­ca­ção cí­vi­ca dos ci­da­dãos. Há ho­je na so­ci­e­da­de uma pro­fun­da cri­se de va­lo­res mo­rais e cí­vi­cos.

Tra­ta-se, em mi­nha opinião, de uma cri­se trans­ver­sal que atin­ge to­das as ca­ma­das so­ci­ais. As igre­jas po­dem não re­sol­ver to­dos os pro­ble­mas, mas po­dem aju­dar a mu­dar mui­ta coi­sa.

Não de­ve­mos fi­car de bra­ços cru­za­dos, com a ideia de que já não é pos­sí­vel re­sol­ver es­te pro­ble­ma da cri­se de va­lo­res.

É, qu­an­to a mim, mui­ta per­sis­tên­cia, e as igre­jas de­vem con­ti­nu­ar a fa­zer o seu tra­ba­lho no sen­ti­do de ter­mos uma so­ci­e­da­de ca­da vez me­lhor e mais har­mo­ni­o­sa.

As es­co­las, as fa­mí­li­as e as igre­jas de­vem es­tar uni­das nes­te pro­ces­so de eli­mi­na­ção de prá­ti­cas con­trá­ri­as à boa con­vi­vên­cia en­tre nós. so­ci­e­da­de de­ve con­ti­nu­ar a pro­te­ger as nos­sas cri­an­ças. Tra­ta-se de uma ta­re­fa di­fí­cil, mas tem de ser fei­ta.

São ne­ces­sá­ri­as ac­ções enér­gi­cas con­tra os que co­me­tem cri­mes con­tra as nos­sas cri­an­ças.

Bi­bli­o­te­cas mu­ni­ci­pais

Es­ta­mos na era do co­nhe­ci­men­to e era bom que hou­ves­se bi­bli­o­te­cas em to­dos os mu­ni­cí­pi­os do nos­so país. É im­por­tan­te que a po­pu­la­ção, em par­ti­cu­lar os jo­vens es­tu­dan­tes, pos­sa ter aces­so a bi­bli­o­te­cas, que de­vem es­tar do­ta­das de li­vros so­bre di­fe­ren­tes áre­as do sa­ber. Gos­ta­va que os go­ver­nos pro­vin­ci­ais pres­tas­sem aten­ção a es­ta ques­tão.

O co­nhe­ci­men­to é im­por­tan­te pa­ra de­sen­vol­ver­mos o nos­so país. Os nos­sos es­tu­dan­tes de­vem ter aces­so às me­lho­res obras que há no mun­do, pa­ra que te­nham ele­va­das com­pe­tên­ci­as. Os li­vros no país cus­tam ca­ro e as bi­bli­o­te­cas po­dem per­mi­tir que mui­tos es­tu­dan­tes, que per­ten­cem a fa­mí­li­as po­bres, te­nham aces­so a li­vros que não es­tão em con­di­ções de com­prar. Pen­so tam­bém que as es­co­las de­vi­am ter bi­bli­o­te­cas.

Quan­do fui es­tu­dan­te uni­ver­si­tá­rio nos anos 90 do sé­cu­lo pas­sa­do­pas­sa­va mui­tas ho­ras na bi­bli­o­te­ca da mi­nha fa­cul­da­de, o que me aju­da­va a fa­zer as pro­vas (es­cri­tas e orais) sem gran­des di­fi­cul­da­des. Já ago­ra, gos­ta­va tam­bém que se pres­tas­se aten­ção aos la­bo­ra­tó­ri­os que exis­tem em es­co­las mé­di­as e su­pe­ri­o­res.

Re­gis­to elei­to­ral

Os an­go­la­nos es­tão a ade­rir em mas­sa ao re­gis­to elei­to­ral e is­to é bom pa­ra a nos­sa de­mo­cra­cia. É sem­pre bom que os ci­da­dãos par­ti­ci­pem em gran­de nú­me­ro nos pro­ces­sos elei­to­rais.

A par­ti­ci­pa­ção em elei­ções ge­rais con­tri­bui pa­ra a con­so­li­da­ção da nos­sa de­mo­cra­cia. As elei­ções são im­por­tan­tes pa­ra a nos­sa vi­da na­ci­o­nal. Afi­nal é o mo­men­to em que te­mos de es­co­lher os nos­sos go­ver­nan­tes. Es­pe­ro que os ci­da­dãos con­ti­nu­em a acor­rer às bri­ga­das de re­gis­to elei­to­ral, pa­ra po­de­rem es­tar em con­di­ções de vo­tar nas elei­ções ge­rais de 2017.

O pro­ces­so de con­so­li­da­ção da nos­sa de­mo­cra­cia tem de con­tar ne­ces­sa­ri­a­men­te com a par­ti­ci­pa­ção dos ci­da­daõs em elei­ções pe­rió­di­cas. Já par­ti­ci­pei em vá­ri­as elei­ções que se re­a­li­za­ram no país, de­pois que foi ins­ti­tuí­do o mul­ti­par­ti­da­ris­mo, e sem­pre fi­quei im­pres­si­o­na­do com o gran­de nú­me­ro de elei­to­res que iam às ur­nas .

Os an­go­la­nos in­te­res­sam-se mui­to pe­los plei­tos elei­to­rais. Op­ta­mos por um re­gi­me de­mo­crá­ti­co pa­ra po­der­mos vi­ver me­lhor e pa­ra que to­dos pos­sam ter a pos­si­bi­li­da­de de fa­zer es­co­lhas em pe­río­dos elei­to­rais. A de­mo­cra­cia é uma com­pe­ti­ção, e es­ta tem re­gras que to­dos de­vem cum­prir, pa­ra bem do nos­so país. Te­mos to­dos o de­ver de cons­truir a de­mo­cra­cia, em que to­dos te­nham a opor­tu­ni­da­de de ex­pri­mir a sua von­ta­de e de con­tri­buir pa­ra o en­gran­de­ci­men­to do país.

CASIMIRO PE­DRO

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.