Cró­ni­cas do quo­ti­di­a­no em li­vro de Mi­ra Clock

Jornal de Angola - - CULTURA - ROQUE SIL­VA |

O quo­ti­di­a­no e as ques­tões so­ci­ais que afli­gem os cen­tros ur­ba­nos são o en­fo­que prin­ci­pal do ter­cei­ro li­vro de Mi­ra Clock, “Vozes da Ci­da­de”, a ser apre­sen­ta­do ao pú­bli­co ho­je, às 18h30, no Pa­lá­cio de Fer­ro, em Lu­an­da.

O li­vro, que tem a cró­ni­ca co­mo ba­se, ex­plo­ra te­mas trans­ver­sais e re­cor­ren­tes da so­ci­e­da­de mo­der­na, com par­ti­cu­lar abor­da­gem pa­ra o quo­ti­di­a­no na ca­pi­tal.

Co­mo par­te da co­lec­ção Mu­lem­ba, da edi­to­ra Acá­ci­as, “Vozes da Ci­da­de”, que tem pre­fá­cio de Fi­li­pe Mu­ken­ga, é tam­bém uma for­ma da au­to­ra tra­zer a pú­bli­co a sua opi­nião e crí­ti­cas so­bre de­ter­mi­na­dos com­por­ta­men­tos. O amor, a per­da de en­te que­ri­dos e de va­lo­res, o ines­pe­ra­do, os ga­nhos do fu­te­bol pa­ra o país, o trân­si­to e os con­se­lhos da­dos (bons ou maus) são par­te das cró­ni­cas e his­tó­ri­as do li­vro de 154 pá­gi­nas.

As cró­ni­cas, dis­se, são o re­sul­ta­do de tra­ba­lhos apre­sen­ta­dos no pro­gra­ma “Ama­nhã é ou­tro Dia”, da Rá­dio Lu­an­da An­te­na Co­mer­ci­al (LAC). “É uma ex­pe­ri­ên­cia di­fe­ren­te. De­pois da po­e­sia e no­ve­la de­ci­di sair um pou­co do cam­po da fic­ção e mos­trar mais da ac­tu­al re­a­li­da­de, co­mo for­ma de es­tar mais pró­xi­ma dos lei­to­res.”

A abor­da­gem dos te­mas, ex­pli­cou, va­ri­am con­so­an­te os te­mas em aná­li­se. Em al­guns, con­ti­nu­ou, o leitor po­de en­con­trar mo­men­tos de sar­cas­mo e nou­tros uma re­fle­xão mais pro­fun­da. O ob­jec­ti­vo, re­for­çou, é au­men­tar a in­te­rac­ção com o pú­bli­co, em as­sun­tos no qual es­te con­se­gue se iden­ti­fi­car.

Pa­ra a au­to­ra é uma ex­pe­ri­ên­cia no­va, na qual os lei­to­res po­dem ava­li­ar o seu ama­du­re­ci­men­to.

A au­to­ra in­for­mou que, após o lan­ça­men­to em Lu­an­da, pre­ten­de apre­sen­tar o li­vro em to­das as pro­vín­ci­as, em es­pe­ci­al na­que­las on­de o Mo­vi­men­to Lev’Ar­te, ao qual es­tá fi­li­a­da, es­tá re­pre­sen­ta­do. De­pois, con­tou, pre­ten­de con­cen­trar-se nos seus pró­xi­mos tra­ba­lhos “Amor e Mi­la­gre” (ro­man­ce) e “De­va­nei­os” (co­lec­tâ­nea de fra­ses e citações).

Mi­ra Clock adi­an­tou ain­da que de­vi­do as di­fi­cul­da­des que en­con­tra, as­sim co­mo mui­tos dos jo­vens au­to­res, pa­ra apre­sen­tar os seus tra­ba­lhos, pre­ten­de, ex­plo­rar mais as no­vas tec­no­lo­gi­as de in­for­ma­ção, co­mo o e-bo­ok. “As edi­to­ras são ca­ras e ain­da têm re­ceio de apos­tar nos tra­ba­lhos de jo­vens au­to­res, por is­so es­ses mei­os de co­mu­ni­ca­ção e in­for­ma­ção são as me­lho­res saí­das”, des­ta­cou.

Na­tu­ral de Lu­an­da, a au­to­ra é li­cen­ci­a­da em Di­rei­to, pe­la Uni­ver­si­da­de Me­to­dis­ta de An­go­la. É au­to­ra do li­vro de po­e­sia “De­sa­bro­char”, apre­sen­ta­do em 2012. Três anos de­pois co­lo­cou no mer­ca­do “Cartas a um Ex-amor”, a sua pri­mei­ra ex­pe­ri­ên­cia na pro­sa. Es­te ano par­ti­ci­pou na An­to­lo­gia Poé­ti­ca, “Can­to da Ki­an­da”, com ou­tros 16 jo­vens au­to­res an­go­la­nos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.