Ci­mei­ra ape­la ao diá­lo­go

Jornal de Angola - - PARTADA - KUMUÊNHO DA RO­SA |

Os Che­fes de Es­ta­do e de Go­ver­no do Me­ca­nis­mo de Su­per­vi­são do Acor­do-Qu­a­dro pa­ra a Paz, Se­gu­ran­ça e Co­o­pe­ra­ção na Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go (RDC) e na Re­gião dos Gran­des Lagos, reu­ni­dos on­tem em Ci­mei­ra na ca­pi­tal an­go­la­na, re­co­men­da­ram quer ao Exe­cu­ti­vo do Pre­si­den­te Jo­seph Ka­bi­la quer às for­ças da opo­si­ção na RDC a per­sis­tên­cia no diá­lo­go in­clu­si­vo pa­ra a cri­a­ção de um ce­ná­rio de tran­si­ção pa­cí­fi­ca que con­du­za o país à re­a­li­za­ção de elei­ções em Abril de 2018. Na De­cla­ra­ção de Lu­an­da, o Me­ca­nis­mo de Su­per­vi­são da paz e es­ta­bi­li­da­de na re­gião ape­la aos Es­ta­dos mem­bros da Con­fe­rên­cia In­ter­na­ci­o­nal da Re­gião dos Gran­des Lagos (CIR­GL) e da Co­mu­ni­da­de de De­sen­vol­vi­men­to da Áfri­ca Aus­tral (SADC) pa­ra con­tri­buí­rem com tro­pas pa­ra a bri­ga­da de in­ter­ven­ção da Mis­são das Na­ções Uni­das na Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go (MONUSCO), a fim de se me­lho­rar as ope­ra­ções de com­ba­te às for­ças ne­ga­ti­vas, em es­trei­ta con­sul­ta com o Go­ver­no da RDC. Os par­ti­ci­pan­tes na Ci­mei­ra de Lu­an­da sau­da­ram, por ou­tro la­do, os es­for­ços de­sen­vol­vi­dos pe­la Re­pú­bli­ca Cen­tro Afri­ca­na (RCA) pa­ra a pro­mo­ção do diá­lo­go e re­con­ci­li­a­ção e ape­la­ram a to­dos os gru­pos ar­ma­dos pa­ra o diá­lo­go com as au­to­ri­da­des na­ci­o­nais, com vis­ta a as­se­gu­rar a paz e es­ta­bi­li­da­de no país. Os par­ti­ci­pan­tes pe­di­ram mai­or aten­ção à ame­a­ça re­pre­sen­ta­da pe­lo Exér­ci­to de Re­sis­tên­cia do Se­nhor no ter­ri­tó­rio da RCA e em to­da a re­gião, en­co­ra­jan­do os paí­ses vi­zi­nhos a con­ti­nu­a­rem a co­o­pe­rar en­tre si pa­ra a eli­mi­na­ção des­te gru­po re­bel­de. Es­ti­ve­ram reu­ni­dos em Lu­an­da os Pre­si­den­tes de An­go­la, Con­go, Con­go De­mo­crá­ti­co, Cha­de e da Zâm­bia.

O Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos, ex­pres­sou on­tem o de­se­jo de que o Go­ver­no de Uni­da­de Na­ci­o­nal a ser for­ma­do na Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go po­nha fim ao cli­ma de contestação e de­ses­ta­bi­li­za­ção que tem rei­na­do no país nos úl­ti­mos tem­pos.

Ao dis­cur­sar na aber­tu­ra da 7ª Reu­nião de Al­to Ní­vel do Me­ca­nis­mo Re­gi­o­nal de Su­per­vi­são do Acor­do-Qu­a­dro pa­ra a Paz, Se­gu­ran­ça e Co­o­pe­ra­ção na RDC e Re­gião dos Gran­des Lagos, o Che­fe de Es­ta­do an­go­la­no de­fen­deu a paz e a es­ta­bi­li­da­de co­mo fac­to­res im­pres­cin­dí­veis pa­ra o nor­mal fun­ci­o­na­men­to de qu­al­quer país.

Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos, que pas­sa ago­ra a co­or­de­nar o Me­ca­nis­mo Re­gi­o­nal de Su­per­vi­são do Acor­do-Qu­a­dro, em re­gi­me de ro­ta­ti­vi­da­de anu­al, dei­xou um avi­so aos apo­lo­gis­tas da vi­o­lên­cia: “é im­por­tan­te que sai­bam que só em paz e com es­ta­bi­li­da­de é pos­sí­vel le­var­se a ca­bo um pro­ces­so elei­to­ral sé­rio, ho­nes­to e que se­ja cre­dí­vel tan­to pa­ra o po­vo que vai vo­tar co­mo pa­ra a co­mu­ni­da­de in­ter­na­ci­o­nal que vai tes­te­mu­nhar”.

Lí­der em exer­cí­cio da CIR­GL, o Che­fe de Es­ta­do an­go­la­no di­ri­giu-se àque­les que que­rem che­gar ao po­der e tam­bém aos que as­pi­ram go­ver­nar, lem­bran­do aos pri­mei­ros que são li­vres de o fa­zer, des­de que “de­mo­cra­ti­ca­men­te, res­pei­tan­do a lei e a von­ta­de so­be­ra­na dos elei­to­res”.

Nu­ma alu­são ao acor­do re­cen­te­men­te as­si­na­do na RDC, que dá lu­gar ao pe­río­do de tran­si­ção até às elei­ções em 29 de Abril de 2018, dis­se ser “me­lhor es­pe­rar mais al­guns me­ses pa­ra que o fa­çam em con­di­ções de se­gu­ran­ça e tran­qui­li­da­de” do que tri­lhar “ca­mi­nhos in­cer­tos de vi­o­lên­cia, que se sa­be sem­pre co­mo e por­que co­me­çam, mas nun­ca quan­do ter­mi­nam”. Pa­ra os que que­rem go­ver­nar, o lí­der an­go­la­no foi su­cin­to: “sem­pre é me­lhor e mais fá­cil fa­zê-lo em paz e com or­dem, do que as­su­mir o po­der nas con­di­ções de um país de­vas­ta­do” e fez um ape­lo aos dis­tin­tos ac­to­res po­lí­ti­cos da RDC, pa­ra que con­ju­guem es­for­ços na lu­ta con­tra as for­ças ne­ga­ti­vas e a ame­a­ça de ex­pan­são do ter­ro­ris­mo, re­fe­rin­do-se aos re­cen­tes ata­ques de gru­pos ter­ro­ris­tas no Qué­nia, com re­gis­to de mui­tas mor­tes e pre­juí­zos ma­te­ri­ais.

Ain­da em re­la­ção à ame­a­ça de ex­pan­são do ter­ro­ris­mo e à ne­ces­si­da­de de os con­go­le­ses se uni­rem, o lí­der an­go­la­no con­si­de­rou que qu­al­quer po­lí­ti­co cons­ci­en­te e ho­nes­to é ca­paz de in­ter­pre­tar os exem­plos que che­gam do Mé­dio Ori­en­te. Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos en­co­ra­jou a União Afri­ca­na a man­ter o prin­cí­pio do não re­co­nhe­ci­men­to dos po­de­res es­ta­be­le­ci­dos por via ile­gal e atra­vés de mé­to­dos an­ti-cons­ti­tu­ci­o­nais.

O Che­fe de Es­ta­do an­go­la­no te­ceu ain­da al­gu­mas con­si­de­ra­ções so­bre o acor­do as­si­na­do pe­lo Go­ver­no, par­ti­dos da opo­si­ção e for­ças da so­ci­e­da­de ci­vil congolesa, co­mo re­sul­ta­do de um pro­ces­so ne­go­ci­al pro­mo­vi­do pe­la União Afri­ca­na, pe­lo Ór­gão pa­ra a Po­lí­ti­ca, De­fe­sa e Se­gu­ran­ça da SADC e pe­los Es­ta­dos mem­bros da CIR­GL, com a me­di­a­ção di­rec­ta do ex-pri­mei­ro-mi­nis­tro do To­go Edem Kod­jo. Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos re­al­çou o fac­to de o acor­do ser aber­to a to­das as for­ças po­lí­ti­cas que não as­si­na­ram, as­sim co­mo o re­co­nhe­ci­men­to pe­las par­tes de que em­bo­ra te­nha com­ple­ta­do os dois man­da­tos le­gais, Jo­seph Ka­bi­la per­ma­ne­ce na che­fia do Es­ta­do, co­mo pre­vê a Cons­ti­tui­ção congolesa, até à re­a­li­za­ção das pró­xi­mas elei­ções e elei­ção do Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca.

O Che­fe de Es­ta­do an­go­la­no re­al­çou tam­bém que das ne­go­ci­a­ções pro­mo­vi­das pe­la União Afri­ca­na, pe­lo Ór­gão pa­ra a Po­lí­ti­ca, De­fe­sa e Se­gu­ran­ça da SADC e pe­los Es­ta­dos mem­bros da CIR­GL, com a me­di­a­ção di­rec­ta do ex-pri­mei­ro-mi­nis­tro do To­go Edem Kod­jo, te­nha fi­ca­do o com­pro­mis­so de a opo­si­ção in­di­car um Pri­mei­ro-Mi­nis­tro que vai che­fi­ar o Go­ver­no que in­clua as dis­tin­tas sen­si­bi­li­da­des po­lí­ti­cas.

De­fen­sor acér­ri­mo do diá­lo­go co­mo “úni­ca via vá­li­da pa­ra se di­ri­mi­rem con­tra­di­ções e su­pe­rar cri­ses e con­fli­tos”, Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos con­si­de­rou um bom si­nal que as en­ti­da­des en­vol­vi­das no acor­do da RDC e ou­tras en­ti­da­des en­vol­vi­das em pro­ces­sos de ne­go­ci­a­ção de con­fli­tos no Bu­run­di, RCA e Su­dão do Sul, te­nham ma­ni­fes­ta­do de­se­jo de es­ta­rem pre­sen­tes na Ci­mei­ra de Lu­an­da.

“Is­so pro­va que exis­te um in­te­res­se co­mum em ver re­sol­vi­dos os pro­ble­mas de Áfri­ca e que só com a par­ti­ci­pa­ção e o em­pe­nho de to­dos va­mos fi­nal­men­te con­se­guir es­se no­bre ob­jec­ti­vo”, as­si­na­lou Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos.

Tri­bu­nal In­ter­na­ci­o­nal

De­pois da ma­ni­fes­ta­ção do de­se­jo do Bu­run­di em aban­do­nar o Tra­ta­do do Tri­bu­nal Pe­nal In­ter­na­ci­o­nal, e o pro­nun­ci­a­men­to do Go­ver­no da Áfri­ca do Sul no mes­mo sen­ti­do, eis que o lí­der an­go­la­no to­cou no as­sun­to, ain­da que de for­ma li­gei­ra, pa­ra as­si­na­lar que os paí­ses afri­ca­nos de­vem as­su­mir de for­ma ple­na a op­ção por Es­ta­dos de­mo­crá­ti­cos e de di­rei­to, con­so­li­dan­do as ins­ti­tui­ções e res­pei­tan­do a von­ta­de po­pu­lar li­vre­men­te ex­pres­sa.

A con­clu­são do pro­ces­so de paz ini­ci­a­do na Re­pú­bli­ca Cen­tro Afri­ca­na se­ria uma boa de­mons­tra­ção des­se com­pro­mis­so, re­fe­riu o Pre­si­den­te Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos, an­tes de su­bli­nhar que nem sem­pre é a me­lhor via pas­sar a re­so­lu­ção de pro­ble­mas po­lí­ti­cos pa­ra o Tri­bu­nal In­ter­na­ci­o­nal.

O lí­der an­go­la­no lem­brou que ape­sar das si­tu­a­ções dra­má­ti­cas que vi­ve­ram, tan­to a Áfri­ca do Sul co­mo An­go­la se­gui­ram um ca­mi­nho di­fe­ren­te pa­ra al­can­ça­rem a re­con­ci­li­a­ção na­ci­o­nal.

FRAN­CIS­CO BER­NAR­DO

Pre­si­den­te Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos com os seus ho­mó­lo­gos das Re­pú­bli­cas do Con­go Braz­za­vil­le De­nis Sas­sou Ngues­sou e da Zâm­bia Ed­gar Lun­gu

FRAN­CIS­CO MIÚ­DO

Pre­si­den­te Jo­sé Edu­ar­do dos San­tos reu­niu em pri­va­do com os ho­mó­lo­gos das Re­pú­bli­cas do Con­go Braz­za­vil­le e Con­go De­mo­crá­ti­co

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.