Pe­que­nas eco­no­mi­as as­se­gu­ram cres­ci­men­to

Jornal de Angola - - ECONOMIA -

Nu­ma al­tu­ra em que An­go­la e Mo­çam­bi­que en­fren­tam a que­da dos pre­ços dos prin­ci­pais pro­du­tos de ex­por­ta­ção no mer­ca­do in­ter­na­ci­o­nal, as pe­que­nas eco­no­mi­as do mer­ca­do de lín­gua por­tu­gue­sa, co­mo a Gui­né-Bis­sau e Ca­bo Ver­de, oferecem em 2016 me­lho­res pers­pec­ti­vas de cres­ci­men­to.

Num con­tex­to do mais bai­xo cres­ci­men­to eco­nó­mi­co afri­ca­no dos úl­ti­mos 20 anos (1,4 por cen­to), evi­den­ci­a­do no re­la­tó­rio so­bre as Pers­pec­ti­vas Eco­nó­mi­cas Re­gi­o­nais pa­ra Áfri­ca a sul do Saha­ra, di­vul­ga­do em Ou­tu­bro pe­lo Fun­do Mo­ne­tá­rio In­ter­na­ci­o­nal, paí­ses co­mo a Gui­néBis­sau, São To­mé e Prín­ci­pe e Ca­bo Ver­de apre­sen­tam das me­lho­res es­ti­ma­ti­vas de cres­ci­men­to.

Da­dos do FMI apon­tam que a eco­no­mia gui­ne­en­se vai cres­cer 4,8 por cen­to em 2016, a são-to­men­se qu­a­tro por cen­to e a ca­bo-ver­di­a­na 3,6 por cen­to en­quan­to Mo­çam­bi­que, num con­tex­to de aus­te­ri­da­de e in­cer­te­za, tem uma es­ti­ma­ti­va de 4,5 por cen­to, An­go­la es­tá em es­tag­na­ção e a Gui­né Equa­to­ri­al de­ve re­gis­tar uma re­ces­são de 9,9 por cen­to.

“A con­jun­tu­ra ex­ter­na que mui­tos paí­ses en­fren­tam de­te­ri­o­rou-se, no­me­a­da­men­te com a des­ci­da dos pre­ços das ma­té­ri­as-pri­mas pa­ra os seus ní­veis mais bai­xos em mui­tos anos e con­di­ções de fi­nan­ci­a­men­to mui­to mais res­tri­ti­vas e, além dis­so, a res­pos­ta de po­lí­ti­ca em mui­tos dos paí­ses mais atin­gi­dos por es­tes cho­ques foi tar­dia e in­su­fi­ci­en­te, o que agra­va a in­cer­te­za, ini­be o in­ves­ti­men­to pri­va­do e as­fi­xia no­vas fon­tes de cres­ci­men­to”, afir­mou o director do De­par­ta­men­to de Áfri­ca do Fun­do Mo­ne­tá­rio In­ter­na­ci­o­nal, Abe­be Aem­ro Se­las­sié.

O mais re­cen­te re­la­tó­rio do Ban­co de Por­tu­gal so­bre as eco­no­mi­as dos paí­ses afri­ca­nos de lín­gua ofi­ci­al por­tu­gue­sa (PALOP) afir­ma que 2016 é um ano de “re­a­ni­ma­ção eco­nó­mi­ca” em Ca­bo Ver­de, so­bre­tu­do com ba­se no “in­ves­ti­men­to, re­cu­pe­ran­do os atra­sos de 2015 e be­ne­fi­ci­an­do do lan­ça­men­to de al­guns pro­jec­tos pri­va­dos na área tu­rís­ti­ca.”

No es­tu­do anu­al “Evo­lu­ção das Eco­no­mi­as dos PALOP e Ti­morLes­te 2015-2016”, re­cen­te­men­te apre­sen­ta­do du­ran­te a reu­nião anu­al de go­ver­na­do­res dos ban­cos cen­trais dos paí­ses de lín­gua por­tu­gue­sa, o Ban­co de Por­tu­gal apon­ta co­mo prin­ci­pais ris­cos pa­ra a eco­no­mia ca­bo-ver­di­a­na uma pos­sí­vel evo­lu­ção da pro­cu­ra ex­ter­na abai­xo do es­pe­ra­do, in­cer­te­za re­la­ci­o­na­da com as três elei­ções que o país te­ve es­te ano e ain­da a evo­lu­ção das fi­nan­ças pú­bli­cas e da dí­vi­da do Es­ta­do.

Em re­la­ção à Gui­né-Bis­sau, o Ban­co de Por­tu­gal as­si­na­la a me­lho­ria das con­di­ções, ini­ci­a­da em 2014 e man­ti­da em 2015, ape­sar de ris­cos re­le­van­tes re­la­ci­o­na­dos com a in­de­fi­ni­ção po­lí­ti­ca no país.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.