OMS lan­ça guia con­tra “su­per­bac­té­ri­as”

Jornal de Angola - - SOCIEDADE -

A Or­ga­ni­za­ção Mun­di­al da Saú­de (OMS) lan­çou na sex­ta-fei­ra um novo guia glo­bal pa­ra com­ba­ter in­fec­ções ci­rúr­gi­cas e as cha­ma­das “su­per­bac­té­ri­as”, que re­sis­tem à ac­ção de an­ti­bió­ti­cos. A agên­cia es­pe­ci­a­li­za­da da ONU re­fe­re, no novo guia, que as in­fec­ções nas sa­las de ci­rur­gia são cau­sa­das por bac­té­ri­as que en­tram no or­ga­nis­mo do pa­ci­en­te du­ran­te a ope­ra­ção, ame­a­çam a vi­da de mi­lhões de pes­so­as anu­al­men­te e con­tri­bu­em pa­ra o au­men­to da re­sis­tên­cia a re­mé­di­os.

A OMS fez 29 re­co­men­da­ções que de­vem ser se­gui­das pe­los hos­pi­tais e pes­so­al mé­di­co, 13 pa­ra o pe­río­do pré-ci­rur­gia e as ou­tras 16 pa­ra pre­ve­nir in­fec­ções du­ran­te e pós ope­ra­ção. En­tre as su­ges­tões, a or­ga­ni­za­ção diz que os pa­ci­en­tes de­vem sem­pre to­mar um ba­nho an­tes da ci­rur­gia, mas no ca­so dos ho­mens, não de­vem ser bar­be­a­dos pa­ra evi­tar cor­tes no ros­to. Além dis­so, os an­ti­bió­ti­cos só de­vem ser usa­dos pa­ra pre­ve­nir in­fec­ções an­tes e du­ran­te a ope­ra­ção, e não de­pois do pro­ce­di­men­to ci­rúr­gi­co.

A OMS dis­se que, nos paí­ses de mé­dio e bai­xo ren­di­men­tos, 11 por cen­to dos pa­ci­en­tes que so­frem qual­quer ti­po de ci­rur­gia aca­bam in­fec­ta­dos nes­se pro­ces­so.

Em Áfri­ca, por exem­plo, até 20 por cen­to das mu­lhe­res que fi­ze­ram ce­sa­ri­a­na con­traí­ram uma in­fec­ção, com­pro­me­ten­do a sua pró­pria saú­de e a con­di­ção de cui­dar do be­bé. A agên­cia es­pe­ci­a­li­za­da das Na­ções Uni­das afir­mou que as in­fec­ções ci­rúr­gi­cas re­pre­sen­tam um pro­ble­ma não só pa­ra os paí­ses mais po­bres. Nos Es­ta­dos Uni­dos, elas são res­pon­sá­veis por man­te­rem os pa­ci­en­tes mais di­as in­ter­na­dos a um cus­to de 900 mi­lhões de dó­la­res por ano.

A di­rec­to­ra-ge­ral as­sis­ten­te da OMS, Ma­rie-Pau­le Ki­eny, afir­mou que “nin­guém de­ve­ria fi­car do­en­te en­quan­to bus­ca ou re­ce­be tra­ta­men­to”. Se­gun­do ela, “evi­tar in­fec­ções du­ran­te ci­rur­gi­as nun­ca foi tão im­por­tan­te”. Pau­le Ki­eny dis­se que es­se é um as­sun­to com­ple­xo e que exi­ge uma sé­rie de me­di­das pre­ven­ti­vas.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.