Pro­ces­so de in­ves­ti­men­to es­tá mais cé­le­re

Em­pre­sá­ri­os chi­ne­ses e an­go­la­nos re­a­li­zam con­fe­rên­cia pa­ra con­cre­ti­za­ção de pro­jec­tos

Jornal de Angola - - ECONOMIA -

O pro­ces­so pa­ra a con­cre­ti­za­ção de um in­ves­ti­men­to pri­va­do em An­go­la es­tá re­du­zi­do pa­ra um má­xi­mo de 45 di­as, ao con­trá­rio do que acon­te­cia nos anos an­te­ri­o­res, quan­do o in­ves­ti­dor fi­ca­va me­ses a fio pa­ra ver o seu pro­jec­to apro­va­do.

A afir­ma­ção foi fei­ta em Lu­an­da pe­lo di­rec­tor da Uni­da­de Téc­ni­ca pa­ra o In­ves­ti­men­to Pri­va­do (UTIP) da Ca­sa Ci­vil do Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, Norberto Gar­cia, que atri­buiu o fac­to ao es­for­ço do Exe­cu­ti­vo em evi­tar o ex­ces­so de bu­ro­cra­ti­za­ção na cons­ti­tui­ção de pro­jec­tos de in­ves­ti­men­tos no país e dar mais opor­tu­ni­da­des aos ho­mens de ne­gó­ci­os na­ci­o­nais e es­tran­gei­ros.

O res­pon­sá­vel, que fa­la­va du­ran­te uma con­fe­rên­cia de im­pren­sa pa­ra anun­ci­ar a re­a­li­za­ção do Fó­rum de In­ves­ti­men­to An­go­la-Chi­na, a de­cor­rer ho­je e ama­nhã, no Cen­tro de Con­ven­ções de Ta­la­to­na (CCTA), em Lu­an­da, afir­mou que a UTIP es­tá a apoi­ar os in­ves­ti­do­res que ten­ci­o­nam con­tri­buir pa­ra a di­ver­si­fi­ca­ção da eco­no­mia e pa­ra o au­men­to da ri­que­za das po­pu­la­ções.

Norberto Gar­cia dis­se que a ins­ti­tui­ção que di­ri­ge tem o com­pro­mis­so de dar efi­ci­ên­cia no aten­di­men­to e na pres­ta­ção de ser­vi­ços aos em­pre­sá­ri­os in­te­res­sa­dos em co­o­pe­rar com An­go­la no de­sen­vol­vi­men­to sus­ten­tá­vel dos sec­to­res pro­du­ti­vos. A UTIP ar­re­ba­tou, re­cen­te­men­te, em Pa­ris, ca­pi­tal da Fran­ça, o pré­mio in­ter­na­ci­o­nal World Qu­a­lity Com­mit­ment 2016, que dis­tin­gue as me­lho­res em­pre­sas e or­ga­ni­za­ções lo­cais, re­gi­o­nais e in­ter­na­ci­o­nais no aten­di­men­to e pres­ta­ção de ser­vi­ço, nu­ma pro­mo­ção da Bu­si­ness Ini­ti­a­ti­ve Di­rec­ti­ons (BID).

Norberto Gar­cia dis­se que a ce­le­ri­da­de e sim­pli­fi­ca­ção no tra­ta­men­to dos pro­ces­sos, bem co­mo a de­di­ca­ção, trans­pa­rên­cia e o com­pro­mis­so com os in­ves­ti­do­res e o in­te­res­se na­ci­o­nal são os prin­ci­pais va­lo­res que nor­tei­am a equi­pa de tra­ba­lho da UTIP. O ac­to, que con­sa­grou a UTIP co­mo a me­lhor ins­ti­tui­ção com qua­li­da­de de pres­ta­ção de ser­vi­ço no sec­tor do in­ves­ti­men­to pri­va­do, con­tou igual­men­te com a pre­sen­ça do con­sul­tor da ins­ti­tui­ção, Eu­sé­bio Sapalo, re­pre­sen­tan­te do em­bai­xa­dor de An­go­la em Pa­ris e o jo­vem em­pre­en­de­dor Er­nes­to Gar­cia, com­pro­me­ti­do com a pro­mo­ção da qua­li­da­de.

“A ce­le­ri­da­de e sim­pli­fi­ca­ção no tra­ta­men­to dos pro­ces­sos, trans­pa­rên­cia, hu­ma­nis­mo e o com­pro­me­ti­men­to com o in­te­res­se na­ci­o­nal cons­ti­tu­em os prin­ci­pais va­lo­res que nor­tei­am a equi­pa de tra­ba­lho da UTIP, fa­zen­do com que o ser­vi­ço pres­ta­do te­nha uma qua­li­da­de re­co­nhe­ci­da e com­pro­va­da”, afir­mou o di­rec­tor.

O Fó­rum de In­ves­ti­men­to An­go­la-Chi­na con­ta com a par­ti­ci­pa­ção de cer­ca 300 em­pre­sá­ri­os chi­ne­ses, que du­ran­te dois di­as vão in­te­ra­gir com os in­ves­ti­do­res na­ci­o­nais em tor­no da con­cre­ti­za­ção dos pro­jec­tos di­rec­ci­o­na­dos aos sec­to­res da agri­cul­tu­ra, pes­cas, in­dús­tria, ener­gia e águas, cons­tru­ção ci­vil, trans­por­tes, co­mér­cio, edu­ca­ção e saú­de, en­tre ou­tros.

Com o ob­jec­ti­vo de cri­ar um am­bi­en­te pro­pí­cio à co­o­pe­ra­ção eco­nó­mi­ca e com­bi­nar fac­to­res de es­tra­té­gi­as em­pre­sa­ri­ais, vi­san­do cap­tar in­ves­ti­men­tos pa­ra os pro­jec­tos que pre­ci­sam de fi­nan­ci­a­men­to, o even­to re­sul­ta da di­plo­ma­cia eco­nó­mi­ca de­sen­vol­vi­da pe­lo Exe­cu­ti­vo an­go­la­no em di­ver­sos paí­ses.

Ao re­a­li­zar es­te en­con­tro de em­pre­sá­ri­os, An­go­la tor­na-se no pri­mei­ro país da Co­mu­ni­da­de de Paí­ses de Lín­gua Por­tu­gue­sa (CPLP), após a re­a­li­za­ção do Fó­rum de Co­o­pe­ra­ção en­tre a Chi­na e os paí­ses lu­só­fo­nos, de­cor­ri­do re­cen­te­men­te em Ma­cau, a con­cre­ti­zar o es­pí­ri­to das par­ce­ri­as pri­va­das que o Go­ver­no chi­nês es­tá a pro­por ao con­ti­nen­te afri­ca­no, fa­zen­do com que os an­go­la­nos e chi­ne­ses in­ten­si­fi­quem a co­o­pe­ra­ção em ma­té­ri­as de in­ves­ti­men­to pri­va­do e con­so­li­dem a con­cre­ti­za­ção dos pro­jec­tos exis­ten­tes.

A Uni­da­de Téc­ni­ca pa­ra o In­ves­ti­men­to Pri­va­do (UTIP) da Ca­sa Ci­vil do Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca de An­go­la exis­te há 12 me­ses, pe­río­do que pos­si­bi­li­tou a con­cre­ti­za­ção de 43 pro­jec­tos a ní­vel na­ci­o­nal e per­mi­tiu cap­tar um in­ves­ti­men­to ava­li­a­do em no­ve mil mi­lhões de dó­la­res nor­te-ame­ri­ca­nos.

A UTIP pres­ta um ser­vi­ço téc­ni­co es­pe­ci­a­li­za­do de apoio per­ma­nen­te ao ti­tu­lar do po­der exe­cu­ti­vo, en­car­re­gue da pre­pa­ra­ção, con­du­ção, ava­li­a­ção e ne­go­ci­a­ção de pro­jec­tos de in­ves­ti­men­to pri­va­do, cu­ja apro­va­ção nos ter­mos da Lei do In­ves­ti­men­to Pri­va­do e res­pec­ti­vo re­gu­la­men­to se­ja da com­pe­tên­cia do Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca.

DO­MIN­GOS CADÊNCIA

Uni­da­de Téc­ni­ca pa­ra o In­ves­ti­men­to apoia in­ves­ti­do­res que ten­ci­o­nam con­tri­buir pa­ra a di­ver­si­fi­ca­ção da eco­no­mia e au­men­tar a ri­que­za

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.