Cri­me or­ga­ni­za­do tem com­ba­te glo­bal

Pre­si­den­tes dos gru­pos par­la­men­ta­res de­fi­ni­ram on­tem a agen­da das reu­niões ple­ná­ri­as

Jornal de Angola - - PARTADA - ADELINA INÁCIO |

Os de­pu­ta­dos ini­ci­am no pró­xi­mo dia 17 a dis­cus­são da pro­pos­ta do Or­ça­men­to Ge­ral do Es­ta­do pa­ra 2017. A pro­pos­ta do OGE/2017 com­por­ta re­cei­tas e des­pe­sas na or­dem de 7,3 tri­liões de kwan­zas, su­pe­ri­o­res aos 6,9 tri­liões do exer­cí­cio de 2016 e foi apre­ci­a­da pe­lo Con­se­lho de Mi­nis­tros no dia 21 de Ou­tu­bro. O do­cu­men­to con­tem­pla re­cei­tas e des­pe­sas pa­ra o sec­tor so­ci­al na or­dem de dois tri­liões de kwan­zas.

Pa­ra es­te or­ça­men­to, a re­cei­ta fis­cal es­tá es­ti­ma­da em qua­tro tri­liões de kwan­zas e um ní­vel de re­cei­ta de fi­nan­ci­a­men­to na or­dem de três tri­liões. A ta­xa de in­fla­ção es­pe­ra­da pa­ra o pró­xi­mo ano é de 15 por cen­to. Ten­do em con­ta a “si­tu­a­ção es­pe­ci­al” que o país vi­ve, o Or­ça­men­to Ge­ral do Es­ta­do pa­ra o pró­xi­mo ano pre­vê um con­jun­to de me­di­das pa­ra a sua sus­ten­ta­bi­li­da­de, co­mo a me­lho­ria da qua­li­da­de da des­pe­sa pú­bli­ca.

Os pre­si­den­tes dos gru­pos par­la­men­ta­res reu­ni­ram-se on­tem com o pre­si­den­te da As­sem­bleia Na­ci­o­nal, Fer­nan­do da Pi­e­da­de Di­as dos San­tos, pa­ra agen­dar tam­bém as reu­niões ple­ná­ri­as dos di­as 16 e 18.

De­ba­te men­sal

A por­ta-voz da As­sem­bleia Na­ci­o­nal, Emí­lia Car­lo­ta Di­as, dis­se que pa­ra o dia 16, os par­la­men­ta­res agen­da­ram o de­ba­te men­sal com o te­ma “Os in­di­ca­do­res do cres­ci­men­to eco­nó­mi­co e a dis­tri­bui­ção da ren­da na­ci­o­nal em An­go­la”, uma ini­ci­a­ti­va do gru­po par­la­men­tar da UNITA.

Em de­cla­ra­ções ao Jor­nal de An­go­la, a vi­ce-pre­si­den­te do gru­po par­la­men­tar da UNITA, Na­vi­ta Ngo­lo, dis­se que o seu gru­po par­la­men­tar es­tá pre­o­cu­pa­do com a re­a­li­da­de ac­tu­al re­la­ti­va ao cres­ci­men­to eco­nó­mi­co e a po­bre­za no país. “Es­ta­mos com uma ta­xa de cres­ci­men­to bas­tan­te bai­xa e te­mos uma po­pu­la­ção po­bre e o país é ri­co”, dis­se a de­pu­ta­da da UNITA.

Se­gun­do Na­vi­ta Ngo­lo, a UNITA pre­ten­de, com es­te de­ba­te, mos­trar que o país é ri­co, mas a ges­tão não é boa, por­que o ren­di­men­to na­ci­o­nal é de­si­gual “por­que 90 por cen­to da po­pu­la­ção vi­ve na po­bre­za.” Pa­ra in­ver­ter o qu­a­dro, a de­pu­ta­da en­ten­de que é pre­ci­so que a dis­tri­bui­ção do ren­di­men­to se­ja igual e con­tri­bua pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to hu­ma­no.

No dia 18, vão à dis­cus­são e vo­ta­ção oi­to pro­pos­tas de Lei e qua­tro re­so­lu­ções com des­ta­que pa­ra a pro­pos­ta de Lei de Al­te­ra­ção da Lei so­bre o Re­gi­me Ju­rí­di­co da emis­são e ges­tão da dí­vi­da pú­bli­ca di­rec­ta e in­di­rec­ta do Es­ta­do, a re­so­lu­ção so­bre o re­la­tó­rio de balanço de exe­cu­ção or­ça­men­tal, fi­nan­cei­ra e pa­tri­mo­ni­al do Or­ça­men­to Ge­ral do Es­ta­do, re­fe­ren­te ao se­gun­do tri­mes­tre de 2016, e o Pa­co­te Le­gis­la­ti­vo da Co­mu­ni­ca­ção So­ci­al.

A le­gis­la­ção que cons­ta no pa­co­te da Co­mu­ni­ca­ção So­ci­al, que vai à vo­ta­ção fi­nal glo­bal, vai re­gu­lar o exer­cí­cio da ac­ti­vi­da­de jor­na­lís­ti­ca, as re­gras es­ta­tu­tá­ri­as que de­fi­nem os re­qui­si­tos e de­mais con­di­ções pa­ra o exer­cí­cio da pro­fis­são, bem co­mo a pro­pos­ta de Lei de Im­pren­sa, di­plo­ma que re­sul­ta da ne­ces­si­da­de de adequá-la à Cons­ti­tui­ção da Re­pú­bli­ca de An­go­la e às trans­for­ma­ções po­lí­ti­cas, eco­nó­mi­cas e so­ci­ais ocor­ri­das no país.

A pro­pos­ta tem co­mo ob­jec­ti­vo con­cre­ti­zar o exer­cí­cio dos di­rei­tos, li­ber­da­des e ga­ran­ti­as fun­da­men­tais dos ci­da­dãos no que diz res­pei­to à li­ber­da­de de im­pren­sa e de ex­pres­são.

Es­ta­tu­to do jor­na­lis­ta

A pro­pos­ta de Lei so­bre o Es­ta­tu­to do Jor­na­lis­ta, que tam­bém vai a de­ba­te na es­pe­ci­a­li­da­de, tem co­mo ob­jec­ti­vo prin­ci­pal a de­fi­ni­ção dos pa­râ­me­tros do exer­cí­cio da pro­fis­são de jor­na­lis­ta, as­sim co­mo os di­rei­tos, de­ve­res e res­pon­sa­bi­li­da­des pro­fis­si­o­nais. O di­plo­ma es­ta­be­le­ce o de­ver de o jor­na­lis­ta pau­tar o exer­cí­cio da pro­fis­são no res­pei­to e ob­ser­vân­cia das nor­mas le­gais per­ti­nen­tes e da éti­ca e de­on­to­lo­gia pro­fis­si­o­nais.

Ga­ran­te, igual­men­te, o di­rei­to do jor­na­lis­ta de aces­so às fon­tes de in­for­ma­ção e o de­ver de si­gi­lo pro­fis­si­o­nal, bem co­mo es­ta­be­le­ce o prin­cí­pio de res­pon­sa­bi­li­da­de por ac­tos por ele pra­ti­ca­dos que in­frin­jam a lei. O es­ta­tu­to cla­ri­fi­ca as con­di­ções em que um jor­na­lis­ta es­tran­gei­ro po­de exer­cer a pro­fis­são em ter­ri­tó­rio na­ci­o­nal.

Um ou­tro di­plo­ma que cons­ta do pa­co­te é a pro­pos­ta de Lei so­bre o Exer­cí­cio da Ac­ti­vi­da­de de Ra­di­o­di­fu­são, que sur­ge da ne­ces­si­da­de de pro­ce­der-se à ac­tu­a­li­za­ção da le­gis­la­ção so­bre ra­di­o­di­fu­são, adap­tan­do-a à no­va re­a­li­da­de po­lí­ti­ca, eco­nó­mi­ca e so­ci­al do país.

A pro­pos­ta de Lei da En­ti­da­de Re­gu­la­do­ra da Co­mu­ni­ca­ção So­ci­al An­go­la­na (ERCA) sur­ge da ne­ces­si­da­de de cri­ar-se me­ca­nis­mos de re­gu­la­ção e ga­ran­tia da ob­jec­ti­vi­da­de, ri­gor e isen­ção da in­for­ma­ção, pa­ra cor­res­pon­der à no­va re­a­li­da­de po­lí­ti­ca e eco­nó­mi­ca do país, em subs­ti­tui­ção do Con­se­lho Na­ci­o­nal de Co­mu­ni­ca­ção So­ci­al. A ERCA as­se­gu­ra a com­po­si­ção dos li­tí­gi­os de­cor­ren­tes do exer­cí­cio da li­ber­da­de de im­pren­sa em ma­té­ria de di­rei­to de res­pos­ta e de rec­ti­fi­ca­ção.

Já a pro­pos­ta de Lei de Pro­tec­ção das Re­des e Sis­te­mas In­for­má­ti­cos tem co­mo ob­jec­ti­vo res­pon­der, de for­ma efi­caz, aos no­vos de­sa­fi­os da so­ci­e­da­de de in­for­ma­ção, tra­du­zi­da no au­men­to da de­sig­na­da “ci­ber-se­gu­ran­ça” com to­dos os ris­cos a ela as­so­ci­a­dos, in­cluin­do ma­té­ria de cri­mi­na­li­da­de or­ga­ni­za­da e de ter­ro­ris­mo.

SAN­TOS PE­DRO

Edi­fí­cio da As­sem­bleia Na­ci­o­nal aco­lhe na pró­xi­ma se­ma­na sessões de dis­cus­são do OGE e de ou­tras pro­pos­tas le­gis­la­ti­vas

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.