Mais uni­da­de nos fes­te­jos do 11 de No­vem­bro

Jornal de Angola - - POLÍTICA -

O go­ver­na­dor do Cu­ne­ne, Kun­di Paiha­ma, pe­diu on­tem, em Ond­ji­va, mai­or uni­da­de e co­e­rên­cia da po­pu­la­ção nas actividades comemorativas dos 41 anos da in­de­pen­dên­cia na­ci­o­nal, a as­si­na­lar-se a 11 de No­vem­bro.

O go­ver­na­dor, que fa­la­va no ac­to de aber­tu­ra das jor­na­das, re­fe­riu que to­dos de­vem par­ti­ci­par nas actividades com ale­gria, es­pí­ri­to de res­pon­sa­bi­li­da­de e re­con­ci­li­a­ção na­ci­o­nal. “O su­ces­so das actividades pro­gra­ma­das pa­ra o 41º ani­ver­sá­rio da in­de­pen­dên­cia de An­go­la exi­ge mui­to em­pe­nho”, re­fe­riu.

A con­quis­ta da in­de­pen­dên­cia, a 11 de No­vem­bro de 1975, cus­tou mui­to e foi fru­to da uni­da­de de to­dos os an­go­la­nos, dis­se. Em 14 anos de paz, o país con­se­guiu mui­tos ga­nhos nos di­fe­ren­tes do­mí­ni­os.

O pro­gra­ma da jor­na­da, a de­cor­rer até dia 19 des­te mês sob o le­ma “uni­dos por uma An­go­la de­sen­vol­vi­da”, pre­vê a inau­gu­ra­ção de in­fra-es­tru­tu­ras so­ci­ais, uma me­sa re­don­da so­bre os 41 anos da in­de­pen­dên­cia na­ci­o­nal, cam­pa­nhas de lim­pe­za e par­ti­das de futebol.

No Cu­an­do Cu­ban­go, o vi­ce-go­ver­na­dor pa­ra o Sec­tor Po­lí­ti­co e So­ci­al, Pe­dro Ca­me­lo, qua­li­fi­cou de va­lor ím­par a con­quis­ta da in­de­pen­dên­cia pa­ra os an­go­la­nos por­quan­to per­mi­tiu a re­cu­pe­ra­ção efec­ti­va da iden­ti­da­de na­ci­o­nal.

O po­lí­ti­co fa­la­va nu­ma palestra su­bor­di­na­da ao te­ma “An­go­la e os ga­nhos da In­de­pen­dên­cia”, no âm­bi­to das actividades alu­si­vas aos 41 anos da In­de­pen­dên­cia Na­ci­o­nal, pro­cla­ma­da pe­lo pri­mei­ro Pre­si­den­te de An­go­la, An­tó­nio Agos­ti­nho Ne­to, a 11 de No­vem­bro de 1975.

“O sau­do­so Pre­si­den­te Dr. An­tó­nio Agos­ti­nho Ne­to cons­ti­tui o ele­men­to de re­fe­rên­cia, pois foi ele qu­em, em no­me de to­do o po­vo an­go­la­no, pro­cla­mou, pe­ran­te a Áfri­ca e o Mun­do, a In­de­pen­dên­cia de An­go­la, tor­nan­do-se no pri­mei­ro Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca de An­go­la in­de­pen­den­te”, des­ta­cou.

A in­de­pen­dên­cia de An­go­la sur­giu na sequên­cia da des­co­lo­ni­za­ção for­ça­da pe­las lu­tas de li­ber­ta­ção, de­sen­ca­de­a­das pe­los mo­vi­men­tos de li­ber­ta­ção con­tra a ocu­pa­ção co­lo­ni­al, lem­brou. Com a in­de­pen­dên­cia, su­bli­nhou, os an­go­la­nos as­su­mi­ram-se no con­tex­to das na­ções em Áfri­ca e no mun­do e pas­sa­ram a ser eles pró­pri­os a con­du­zi­rem os seus des­ti­nos.

Con­tu­do, ape­sar da con­quis­ta da li­ber­da­de, o vi­ce-go­ver­na­dor re­cor­dou ain­da que ao po­vo an­go­la­no fal­tou paz pa­ra a cons­tru­ção de uma pá­tria de pro­gres­so e jus­ti­ça so­ci­al, de­vi­do a uma guer­ra fra­tri­ci­da que du­rou qua­se três dé­ca­das.

“Su­pe­ra­do o pe­río­do de guer­ra, An­go­la en­con­tra-se ho­je nu­ma no­va eta­pa da sua his­tó­ria”, afir­mou, ten­do sa­li­en­ta­do o fac­to de o país ter en­tra­do, de for­ma ir­re­ver­sí­vel, no pro­ces­so de re­cons­tru­ção na­ci­o­nal, ru­mo ao de­sen­vol­vi­men­to eco­nó­mi­co e so­ci­al.

No Bié, o vi­ce-go­ver­na­dor pa­ra o sec­tor Po­lí­ti­co e So­ci­al, Car­los Ulom­be da Sil­va, enal­te­ceu o de­sen­vol­vi­men­to so­ci­o­e­co­nó­mi­co do país ao lon­go dos 41 anos de In­de­pen­dên­cia Na­ci­o­nal.

Ulom­be da Sil­va fa­la­va no cul­to de ac­ção de gra­ças pro­mo­vi­do pe­lo CICA em prol dos 41 anos de In­de­pen­dên­cia Na­ci­o­nal, que se as­si­na­la a 11 de No­vem­bro, e des­ta­cou a de­di­ca­ção do Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca ao pro­gres­so e es­ta­bi­li­da­de do país.

O ti­tu­lar do Po­der Exe­cu­ti­vo tem si­do de­ter­mi­nan­te na re­cons­tru­ção na­ci­o­nal, es­sen­ci­al­men­te, na re­con­ci­li­a­ção en­tre ir­mãos da mes­ma pá­tria e na apos­ta ao diá­lo­go pa­ra a re­so­lu­ção de con­fli­tos no país, as­sim co­mo em ou­tras re­giões de Áfri­ca, acen­tu­ou Ulom­be da Sil­va.

FRANCISCO LOPES

Go­ver­na­dor do Cu­ne­ne Kun­di Paiha­ma

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.