Sa­gra­da Es­pe­ran­ça tem se­de mo­der­na

Jornal de Angola - - PARTADA - YARA SI­MÃO |

O vi­ce-pre­si­den­te do MPLA, João Lou­ren­ço, inau­gu­rou on­tem o no­vo edi­fí­cio da Fun­da­ção Sa­gra­da Es­pe­ran­ça, no qua­dro das co­me­mo­ra­ções dos 41 anos de In­de­pen­dên­cia Na­ci­o­nal.

O vi­ce-pre­si­den­te do MPLA, João Lou­ren­ço, inau­gu­rou on­tem o no­vo edi­fí­cio da Fun­da­ção Sa­gra­da Es­pe­ran­ça, no qua­dro das co­me­mo­ra­ções dos 41 anos de In­de­pen­dên­cia Na­ci­o­nal, que ho­je se as­si­na­la.

De­no­mi­na­do “Ki­lam­ba”, o edi­fí­cio, er­gui­do na Mar­gi­nal de Lu­an­da, com­por­ta 31 pi­sos e abar­ca ca­ves com es­pa­ços pa­ra es­ta­ci­o­na­men­to pa­ra 150 vi­a­tu­ras, uma sa­la de con­fe­rên­ci­as, res­tau­ran­te, dois an­da­res pa­ra equi­pa­men­to téc­ni­cos, um an­dar pa­ra gi­ná­sio e 25 an­da­res pa­ra es­cri­tó­ri­os, dos quais três são des­ti­na­dos ao fun­ci­o­na­men­to da Fun­da­ção Sa­gra­da Es­pe­ran­ça.

O pro­jec­to, ini­ci­a­do em 2010, foi fi­nan­ci­a­do pe­lo Ban­co de Pou­pan­ça e Cré­di­to (BPC), num va­lor de apro­xi­ma­da­men­te 70 mi­lhões de dó­la­res. O vi­ce-pre­si­den­te do MPLA con­si­de­rou que a inau­gu­ra­ção de­mons­tra a im­por­tân­cia e pres­tí­gio que a Fun­da­ção gran­je­ou ao lon­go dos pou­cos anos da sua exis­tên­cia, fa­zen­do jus ao no­me e gran­de­za de Agos­ti­nho Ne­to, Fun­da­dor da Na­ção e au­tor da obra poé­ti­ca “Sa­gra­da Es­pe­ran­ça”.

João Lou­ren­ço exor­tou e en­co­ra­jou a pre­si­dên­cia da Fun­da­ção a con­ti­nu­ar a tra­ba­lhar com a co­mu­ni­da­de aca­dé­mi­ca e ci­en­tí­fi­ca do país, com os jo­vens e mu­lhe­res, com as co­mu­ni­da­des ur­ba­nas e ru­rais no res­ga­te dos va­lo­res e tra­di­ções mais su­bli­mes da cul­tu­ra e his­tó­ria dos po­vos de An­go­la, nos tra­ba­lhos de fi­lan­tro­pia de pes­qui­sa e in­ves­ti­ga­ção, no do­mí­nio so­ci­al, lin­guís­ti­co, cul­tu­ral e an­tro­po­ló­gi­co.

O pre­si­den­te do Con­se­lho de Ad­mi­nis­tra­ção da Fun­da­ção Sa­gra­da Es­pe­ran­ça, Ro­ber­to de Al­mei­da, es­cla­re­ceu que o edi­fí­cio é de­no­mi­na­do “Ki­lam­ba” pa­ra ho­me­na­ge­ar An­tó­nio Agos­ti­nho Ne­to, o pri­mei­ro Pre­si­den­te de An­go­la, que há 41 anos pro­cla­mou a In­de­pen­dên­cia Na­ci­o­nal. “O edi­fí­cio tem, pa­ra nós, ca­rac­te­rís­ti­cas pe­cu­li­a­res no con­jun­to de cons­tru­ções exis­ten­tes na Mar­gi­nal de Lu­an­da, pois é um dos mais al­tos e cu­jo tra­ça­do ar­qui­tec­tó­ni­co mar­ca uma se­pa­ra­ção en­tre a ar­qui­tec­tu­ra co­lo­ni­al e da nova An­go­la, acres­cen­do o re­quin­te da be­lís­si­ma Baía de Lu­an­da”, dis­se.

Ma­ria Eu­gé­nia Ne­to, viú­va do pri­mei­ro Pre­si­den­te de An­go­la, dis­se ser um or­gu­lho pa­ra si ver o no­me do ma­ri­do re­cor­da­do. “Ki­lam­ba era no­me de guer­ra de Agos­ti­nho Ne­to. Ki­lam­ba sig­ni­fi­ca cha­ma, pes­soa es­pi­ri­tu­al, cu­ran­dei­ro do cor­po e da al­ma. Es­ta é uma gran­de ho­me­na­gem fei­ta ao pri­mei­ro Pre­si­den­te de An­go­la”, dis­se Eu­gé­nia Ne­to, pa­ra quem tam­bém ur­ge a cri­a­ção de es­tru­tu­ras fi­xas pa­ra a Fun­da­ção Dou­tor An­tó­nio Agos­ti­nho Ne­to, a que ela pre­si­de e que ac­tu­al­men­te não tem se­de pró­pria. A se­cre­tá­ria-ge­ral da Or­ga­ni­za­ção da Mu­lher An­go­la­na (OMA), Lu­zia In­glês, tes­te­mu­nhou o ac­to e agra­de­ceu pe­lo fac­to de o an­fi­te­a­tro do Vis­ta do edi­fí­cio-se­de da Fun­da­ção Sa­gra­da Es­pe­ran­ça na Mar­gi­nal de Lu­an­da edi­fí­cio “Ki­lam­ba” le­var o no­me do seu ma­ri­do, Afon­so Van-Dú­nem Mbin­da. “An­tes da sua mor­te, ele es­te­ve sem­pre pre­o­cu­pa­do com a Fun­da­ção e o pro­jec­to de cons­tru­ção do no­vo edi­fí­cio. Às noi­tes fa­zia sem­pre um co­men­tá­rio so­bre o pro­jec­to”, lem­brou Lu­zia In­glês.

MA­RIA AU­GUS­TA

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.