Pre­si­den­te anun­cia de­mis­são do Go­ver­no

Jornal de Angola - - MUNDO -

Es­tá a ser es­pe­ra­da a qual­quer ins­tan­te, em Bis­sau, a de­mis­são do Go­ver­no li­de­ra­do pe­lo pri­mei­ro-mi­nis­tro Ba­ci­ro Djá e a con­se­quen­te no­me­a­ção do no­vo che­fe do Exe­cu­ti­vo que vai li­de­rar, nos pró­xi­mos tem­pos, os des­ti­nos do país. O Pre­si­den­te Jo­sé Má­rio Vaz fez o anún­cio na sequên­cia do en­con­tro que man­te­ve na quar­ta-fei­ra, com os re­pre­sen­tan­tes dos par­ti­dos po­lí­ti­cos com as­sen­to par­la­men­tar pa­ra anun­ci­ar a de­mis­são do Go­ver­no de Ba­ci­ro Djá e ini­ci­ar o pro­ces­so de no­me­a­ção do no­vo pri­mei­ro-mi­nis­tro.

Pa­ra abor­da­gem do as­sun­to, o Con­se­lho de Es­ta­do vol­tou a reu­nir on­tem, de­pois do fra­cas­so de quar­ta-fei­ra, on­de as par­tes não con­se­gui­ram che­gar a um con­sen­so.

Três no­mes en­con­tram-se na me­sa das ne­go­ci­a­ções, dos quais um se­rá in­di­ca­do pa­ra ocu­par o tão dis­pu­ta­do car­go, no­me­a­da­men­te o ge­ne­ral na re­ser­va Uma­ro Cis­so­ko, o po­lí­ti­co Au­gus­to Oli­vais e o di­rec­tor do Ban­co Cen­tral dos Es­ta­dos da África Oci­den­tal (BCEAO) na Gui­né-Bis­sau, João Fa­diá, um as­sun­to que es­tá a ser ti­do a to­dos os tí­tu­los co­mo o gran­de po­mo da dis­cór­dia en­tre as par­tes en­vol­vi­das no diá­lo­go em cur­so na Gui­né-Bis­sau.

El­len John­son que es­te­ve no sá­ba­do pas­sa­do em Bis­sau, na qua­li­da­de de pre­si­den­te em exer­cí­cio da Con­fe­rên­cia de Che­fes de Es­ta­do da Co­mu­ni­da­de Eco­nó­mi­ca dos Paí­ses da África Oci­den­tal (Ce­de­ao), pa­ra aju­dar a en­con­trar uma so­lu­ção pa­ra o im­pas­se que se re­gis­ta, ins­tou o Che­fe de Es­ta­do gui­ne­en­se a no­me­ar “sem de­mo­ra” um pri­mei­ro-mi­nis­tro que reú­na con­di­ções pa­ra for­mar um no­vo Go­ver­no in­clu­si­vo.

A mis­são da Ce­de­ao ao país sur­ge na sequên­cia do im­pas­se ins­ta­la­do pe­ran­te vá­ri­as in­ter­pre­ta­ções por di­fe­ren­tes pro­ta­go­nis­tas em tor­no do con­teú­do do me­mo­ran­do de Co­na­cri.

Os prin­ci­pais ac­to­res po­lí­ti­cos gui­ne­en­ses re­a­fir­ma­ram, no dia 5 de No­vem­bro, o seu en­ga­ja­men­to em res­pei­tar o acor­do po­lí­ti­co re­cen­te­men­te ru­bri­ca­do na vi­zi­nha Re­pú­bli­ca da Gui­né Co­na­cri sob os aus­pí­ci­os da Co­mu­ni­da­de Eco­nó­mi­ca dos Es­ta­dos da África Oci­den­tal (Ce­de­ao). A po­si­ção cons­ta do co­mu­ni­ca­do fi­nal re­sul­tan­te da vi­si­ta de al­gu­mas ho­ras de uma de­le­ga­ção do blo­co re­gi­o­nal che­fi­a­da pe­la Che­fe de Es­ta­do li­be­ri­a­na, igual­men­te em exer­cí­cio da Ce­de­ao, El­len John­son Sir­le­af.

A de­le­ga­ção man­te­ve su­ces­si­va­men­te en­con­tros com o Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, Jo­sé Má­rio Vaz, o lí­der do Par­la­men­to, Ci­pri­a­no Cas­sa­má, o pri­mei­ro-mi­nis­tro Ba­ci­ro Djá, com as co­mi­ti­vas do PAIGC e do gru­po dos 15 dis­si­den­tes do par­ti­do, di­ri­gi­das res­pec­ti­va­men­te por Do­min­gos Si­mões e Brai­ma Ca­ma­rá. A de­le­ga­ção da Ce­de­ao reu­niu igual­men­te com re­pre­sen­tan­tes do PRS.

Ape­sar do con­sen­so anun­ci­a­do em re­la­ção ao en­con­tro de sá­ba­do, que na opi­nião da Ce­de­ao te­ria re­ce­bi­do o be­ne­plá­ci­to de to­das for­ças en­vol­vi­das nas dis­cus­sões, mui­tas dú­vi­das pa­re­cem pai­rar no ar em re­la­ção ao fu­tu­ro po­lí­ti­co da Gui­né-Bis­sau.

A no­me­a­ção do no­vo pri­mei­ro­mi­nis­tro da Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go, que vai or­ga­ni­zar as elei­ções pre­si­den­ci­ais adi­a­das pa­ra Abril de 2018, des­ta vez sem a par­ti­ci­pa­ção, por im­pe­ra­ti­vos cons­ti­tu­ci­o­nais, do Pre­si­den­te ces­san­te con­go­lês, Jo­seph Ka­bi­la, é fei­ta na pró­xi­ma se­ma­na, re­ve­la­ram, em Kinsha­sa, à agên­cia de no­tí­ci­as Fran­ce Press, os che­fes das de­le­ga­ções da mai­o­ria Pre­si­den­ci­al e dos par­ti­dos da opo­si­ção que in­te­gram o diá­lo­go na­ci­o­nal.

Vi­tal Ka­merhe, co-mo­de­ra­dor da opo­si­ção no diá­lo­go, e, se­gun­do a agên­cia de no­tí­ci­as Reu­ters, o pró­xi­mo pri­mei­ro-mi­nis­tro con­go­lês, ex­pli­cou que en­tre as ra­zões pa­ra o atra­so es­tá a es­pe­ra dos re­sul­ta­dos dos bons ofí­ci­os dos bis­pos jun­to dos par­ti­dos que não par­ti­ci­pa­ram no diá­lo­go e afir­mou que “seis di­as de pa­ci­ên­cia su­ple­men­tar pa­ra a de­sig­na­ção do pri­mei­ro-mi­nis­tro não en­tra­vam em na­da o ob­jec­ti­vo de pro­cu­rar mais de ex­clu­si­vi­da­de e de as­se­gu­rar elei­ções em paz” . En­tre­tan­to, o en­car­re­ga­do de negócios dos EUA na RDC de­fen­deu em Kinsha­sa ser pos­sí­vel elei­ções pre­si­den­ci­ais cre­dí­veis “ain­da em 2017”, con­tra­ri­an­do o acor­do en­tre a Mai­o­ria Pre­si­den­ci­al e a opo­si­ção in­te­gra­da no diá­lo­go na­ci­o­nal, se­gun­do a qual as elei­ções pre­si­den­ci­ais de­vem ser re­a­li­za­das em Abril de 2018.

A Cons­ti­tui­ção im­pe­de o Pre­si­den­te Jo­seph Ka­bi­la de con­cor­rer a um ter­cei­ro man­da­to. O seu man­da­to ex­pi­ra a 20 de De­zem­bro, mas os acor­dos as­si­na­dos pe­la Mai­o­ria Pre­si­den­ci­al e a opo­si­ção que in­te­gra o diá­lo­go na­ci­o­nal o per­mi­te go­ver­nar até à to­ma­da de pos­se do pró­xi­mo Che­fe de Es­ta­do.

A “Res­sam­ble­ment”, co­li­ga­ção de par­ti­dos que re­jei­ta o acor­do as­si­na­do na RDC, sob me­di­a­ção da União Afri­ca­na, da SADC e das Na­ções Uni­das, con­ti­nua en­tre­tan­to a exi­gir a saí­da do Che­fe de Es­ta­do ces­san­te do po­der, quan­do ex­pi­rar o seu man­da­to.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.