Mais pro­fes­so­res no en­si­no es­pe­ci­al em An­go­la

Edu­ca­do­res bra­si­lei­ros ori­en­tam de­ze­nas de téc­ni­cos pa­ra o país cor­ri­gir o dé­fi­ce no sec­tor

Jornal de Angola - - SOCIEDADE - CARLITOS PAU­LI­NO |

Mais de 13 mil pro­fes­so­res vão re­ce­ber, a par­tir do pró­xi­mo ano, co­nhe­ci­men­tos téc­ni­cos pa­ra da­rem au­las a pes­so­as com ne­ces­si­da­des edu­ca­ti­vas es­pe­ci­ais, no âm­bi­to da Po­lí­ti­ca Na­ci­o­nal so­bre Edu­ca­ção Es­pe­ci­al Ori­en­ta­da pa­ra a In­clu­são Edu­ca­ci­o­nal.

A in­for­ma­ção foi avan­ça­da on­tem, na ci­da­de de Me­non­gue, pe­lo di­rec­tor na­ci­o­nal pa­ra a Edu­ca­ção Es­pe­ci­al, Jor­ge Pe­dro, que anun­ci­ou a che­ga­da a Lu­an­da, já em De­zem­bro, de três especialistas bra­si­lei­ros que, em um mês, vão for­mar 15 téc­ni­cos que, por sua vez, vão de­pois trans­mi­tir os co­nhe­ci­men­tos ad­qui­ri­dos a co­le­gas nas 18 pro­vín­ci­as do país.

O ob­jec­ti­vo da for­ma­ção, de acor­do com Jor­ge Pe­dro, que, em Me­non­gue, apre­sen­tou o pro­jec­to, é o au­men­to do nú­me­ro de pro­fes­so­res pa­ra o as­se­gu­ra­men­to do sub­sis­te­ma de en­si­no es­pe­ci­al. O ob­jec­ti­vo fun­da­men­tal, acen­tu­ou, é a for­ma­ção con­tí­nua de qua­dros, a mai­or ofer­ta no Aten­di­men­to Edu­ca­ti­vo Es­pe­ci­a­li­za­do (AEE), a cons­tru­ção de mais es­co­las e a eli­mi­na­ção de bar­rei­ras pa­ra a in­ser­ção de to­das as pes­so­as com ne­ces­si­da­des edu­ca­ti­vas es­pe­ci­ais no pro­ces­so de en­si­no e apren­di­za­gem.

O di­rec­tor na­ci­o­nal pa­ra a Edu­ca­ção Es­pe­ci­al lem­brou que An­go­la ga­nhou re­cen­te­men­te a pri­mei­ra grá­fi­ca pa­ra a tra­du­ção de li­vros do en­si­no ge­ral pa­ra Brail­le.

Os li­vros, pa­ra os alu­nos da ini­ci­a­ção à 9ª clas­se, co­me­çam a ser usa­dos a par­tir do pró­xi­mo ano lec­ti­vo.

Jor­ge Pe­dro acres­cen­tou que An­go­la tem, des­de es­te ano, um di­ci­o­ná­rio de lín­gua ges­tu­al an­go­la­na, cu­ja se­gun­da edi­ção já es­tá a ser tra­ba­lha­da, com a re­vi­são de mais de 800 pa­la­vras do con­tex­to an­go­la­no.

Sem avan­çar o nú­me­ro de pro­fes­so­res con­tro­la­dos pe­lo sec­tor que di­ri­ge, Jor­ge Pe­dro ex­pli­cou que, em to­do o país, es­tão ma­tri­cu­la­dos mais de 28 mil alu­nos com de­fi­ci­ên­cia fí­si­ca, mo­to­ra, au­di­ti­va, vi­su­al e trans­tor­nos men­tais, dis­tri­buí­dos por 797 es­co­las, sen­do 20 do en­si­no es­pe­ci­al e 777 in­clu­si­vas, no­me uti­li­za­do pa­ra de­sig­nar as es­co­las on­de es­tu­dam tam­bém pes­so­as com ne­ces­si­da­des edu­ca­ti­vas es­pe­ci­ais.

O al­to fun­ci­o­ná­rio do Mi­nis­té­rio da Edu­ca­ção deu ên­fa­se ao fac­to de ter au­men­ta­do con­si­de­ra­vel­men­te o nú­me­ro de alu­nos com ne­ces­si­da­des edu­ca­ti­vas es­pe­ci­ais no sis­te­ma de en­si­no e apren­di­za­gem em An­go­la, um fac­to que é re­sul­tan­te das cam­pa­nhas de sen­si­bi­li­za­ção.

Ex­pan­são do en­si­no es­pe­ci­al

Jor­ge Pe­dro con­si­de­rou que, pa­ra a con­tí­nua ex­pan­são do en­si­no es­pe­ci­al, se de­ve ter em con­ta a cons­tru­ção e lo­ca­li­za­ção das es­co­las, o re­cru­ta­men­to e a for­ma­ção dos edu­ca­do­res e ges­to­res es­co­la­res, o for­ne­ci­men­to de ma­te­ri­ais di­dác­ti­cos e equi­pa­men­tos pa­ra me­lhor qua­li­da­de do pro­ces­so edu­ca­ci­o­nal. Tam­bém é ne­ces­sá­rio en­vol­ver as fa­mí­li­as e as co­mu­ni­da­des no pro­ces­so de es­co­la­ri­za­ção pa­ra am­pli­ar as pos­si­bi­li­da­des de su­ces­so es­co­lar, acres­cen­tou Jor­ge Pe­dro, que in­sis­tiu na ne­ces­si­da­de do de­sen­vol­vi­men­to do sis­te­ma de ges­tão de in­for­ma­ção so­bre in­di­ca­do­res quan­ti­ta­ti­vos e qua­li­ta­ti­vos, pa­ra a mo­ni­to­ri­za­ção sis­te­má­ti­ca da efi­ci­ên­cia e efi­cá­cia dos ser­vi­ços da edu­ca­ção es­pe­ci­al.

A for­ma­ção con­tí­nua, o in­cen­ti­vo à in­ves­ti­ga­ção e à ex­pe­ri­men­ta­ção pe­da­gó­gi­ca e o es­ta­be­le­ci­men­to de par­ce­ri­as com as­so­ci­a­ções e ins­ti­tui­ções que ac­tu­am no cam­po do di­rei­to das pes­so­as com de­fi­ci­ên­cia cons­tam das pri­o­ri­da­des.

A pro­vín­cia do Cu­an­do Cu­ban­go ma­tri­cu­lou nes­te ano lec­ti­vo 869 alu­nos com de­fi­ci­ên­cia fí­si­ca, au­di­ti­va, vi­su­al e trans­tor­no men­tal, dos quais 661 no en­si­no pri­má­rio e 208 no pri­mei­ro ci­clo, in­for­mou, no ac­to de apre­sen­ta­ção do pro­jec­to, a res­pon­sá­vel pro­vin­ci­al pa­ra a Edu­ca­ção Es­pe­ci­al.

Amé­lia Jam­ba dis­se que, ac­tu­al­men­te, o Cu­an­do Cu­ban­go dis­põe ape­nas de du­as es­co­las es­pe­ci­ais, uma sob ges­tão da Igre­ja Evan­gé­li­ca Con­gre­ga­ci­o­nal de An­go­la (IECA) e ou­tra da Igre­ja Ca­tó­li­ca, as­se­gu­ra­das por 40 pro­fes­so­res. Amé­lia Jam­ba la­men­tou que o fac­to de “mui­tos pais e en­car­re­ga­dos de edu­ca­ção não se in­te­res­sa­rem em ma­tri­cu­lar os seus fi­lhos com ne­ces­si­da­des es­pe­ci­ais”.

BEN­JA­MIN CÂN­DI­DO

Mi­nis­té­rio da Edu­ca­ção cria con­di­ções pa­ra in­ser­ção de to­das as pes­so­as com ne­ces­si­da­des edu­ca­ti­vas es­pe­ci­ais no pro­ces­so de en­si­no

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.