In­gla­ter­ra exi­be pa­poi­las

Jornal de Angola - - DESPORTO -

A In­gla­ter­ra vai mes­mo jo­gar com pa­poi­las em ho­me­na­gem aos sol­da­dos mor­tos e fe­ri­dos na I Guer­ra Mun­di­al, no jo­go de ho­je com a Es­có­cia, re­la­ti­vo à fa­se de qua­li­fi­ca­ção ao Mun­di­al’2018, se­gun­do anun­ci­ou on­tem o di­rec­tor-exe­cu­ti­vo da Fe­de­ra­ção In­gle­sa (FA).

Mar­tin Glenn con­si­de­rou mes­mo que a FIFA, que recusa qual­quer ti­po de ma­ni­fes­ta­ção po­lí­ti­ca, es­tá a “fa­zer uma in­ter­pre­ta­ção er­ra­da dos re­gu­la­men­tos”, na sequên­cia do pe­di­do da FA pa­ra que as se­lec­ções bri­tâ­ni­cas pu­des­sem usar uma pa­poi­la nas ca­mi­so­las.

“Es­pe­ra­va que a si­tu­a­ção se re­sol­ves­se de for­ma tran­qui­la, o que, nes­tes ca­sos, ra­ra­men­te acon­te­ce. Fo­mos for­ça­dos a mar­car uma po­si­ção e, por is­so, va­mos usá-las”, dis­se Mar­tin Glenn, de­fen­den­do que a In­gla­ter­ra tem es­se “di­rei­to mo­ral”.

A pri­mei­ra-mi­nis­tra bri­tâ­ni­ca, The­re­sa May, já ti­nha con­si­de­ra­do es­can­da­lo­so que a FIFA te­nha proi­bi­do a uti­li­za­ção de pa­poi­las ver­me­lhas nas ca­mi­so­las du­ran­te o jo­go en­tre a In­gla­ter­ra e a Es­có­cia, no Es­tá­dio de Wem­bley, em Lon­dres.

No Rei­no Uni­do, há a tra­di­ção de se usar uma pa­poi­la ver­me­lha, na la­pe­la, em ho­me­na­gem aos sol­da­dos mor­tos e fe­ri­dos du­ran­te a I Guer­ra Mun­di­al. A flor é usa­da des­de o fi­nal de Ou­tu­bro até 11 de No­vem­bro, dia da as­si­na­tu­ra do Ar­mis­tí­cio de Com­pièg­ne, que en­cer­rou as hos­ti­li­da­des, em 1918.

A or­ga­ni­za­ção do Mun­di­al’2022 quer um cam­pe­o­na­to sem ál­co­ol nos es­tá­di­os de fu­te­bol e até nas ru­as. Se­gun­do Has­san Al-Thawa­di, se­cre­tá­rio-ge­ral do co­mi­té or­ga­ni­za­dor, “não ha­ve­rá con­su­mo de ál­co­ol nas ru­as, nos par­ques e nos es­pa­ços pú­bli­cos” no Qa­tar.

Ain­da as­sim, a de­ci­são que, diz o mes­mo, “é de­fi­ni­ti­va” po­de cau­sar pro­ble­mas com a FIFA, que tem en­tre os seus prin­ci­pais pa­tro­ci­na­do­res um fa­bri­can­te de cer­ve­ja.

No en­tan­to, a de­ci­são pren­de-se tam­bém com o fac­to de no Qa­tar, país mu­çul­ma­no, ain­da que o ál­co­ol não se­ja in­ter­di­to, be­ber em pú­bli­co cons­ti­tuir uma in­frac­ção à lei e trans­por­tar be­bi­das al­coó­li­cas pa­ra o Qa­tar ser igual­men­te proi­bi­do.

AFP

Mar­tin Glenn cri­ti­ca com­por­ta­men­to da FIFA

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.