Mor­re nos EUA Le­o­nard Cohen

Jornal de Angola - - PARTADA -

Mor­reu quin­ta-fei­ra, aos 82 anos, o po­e­ta, es­cri­tor, can­tor e com­po­si­tor ca­na­di­a­no Le­o­nard Cohen. O anún­cio da sua mor­te foi fei­to pe­la sua edi­to­ra, a Sony Mu­sic Ca­na­da, na pá­gi­na ofi­ci­al no fa­ce­bo­ok do mú­si­co: “É com pro­fun­da dor que anun­ci­a­mos que o len­dá­rio po­e­ta, com­po­si­tor e ar­tis­ta Le­o­nard Cohen fa­le­ceu. Perdemos um dos mais acla­ma­dos e pro­lí­fi­cos vi­si­o­ná­ri­os da mú­si­ca. Uma ce­ri­mó­nia te­rá lu­gar em Los An­ge­les em bre­ve. A fa­mí­lia pe­de pri­va­ci­da­de du­ran­te es­te pe­río­do de lu­to.” Não foi re­ve­la­da a cau­sa da sua mor­te. Le­o­nard Nor­man Cohen nas­ceu no Qu­e­be­que, na ci­da­de de West­mount, ar­re­do­res de Mon­tréal, a 21 de Se­tem­bro de 1934. A mú­si­ca en­trou ce­do na sua vi­da, na ado­les­cên­cia, com os Bucks­kin Boys, um gru­po folk de que não re­za a his­tó­ria.

O con­tac­to com a po­e­sia de Fe­de­ri­co Gar­cia Lor­ca, de qu­em mui­tos anos mais tar­de mu­si­ca­ria “Ta­ke This Waltz” (1988), con­du­ziu-o à es­cri­ta - de po­e­mas e ro­man­ces. Pu­bli­cou três li­vros, qu­an­do nos anos 1960 se ins­ta­lou nu­ma ilha gre­ga, Hi­dra: “Flowers for Hi­tler” (1964), “The Fa­vou­ri­te Ga­me” (1963) e “Be­au­ti­ful Lo­sers” (1966). Mas re­gres­sa à Amé­ri­ca e à mú­si­ca. De vi­si­ta a No­va Ior­que, con­tac­ta de no­vo a mú­si­ca folk e co­nhe­ce a can­to­ra Judy Col­lins. Pu­bli­ca en­tão “Songs of Le­o­nard Cohen” (1967), que abre com “Su­zan­ne”, can­ção mai­or de amor, co­mo tan­tas da sua pe­na, de um ál­bum ful­gu­ran­te - nas su­as pa­la­vras e gui­tar­ras e co­ros - e on­de tam­bém se ou­ve “So Long, Ma­ri­an­ne”.

Em Agos­to pas­sa­do, sou­be-se que a Ma­ri­an­ne da can­ção ti­nha mor­ri­do e Le­o­nard es­cre­veu-lhe uma car­ta de des­pe­di­da, em que fa­la­va da mor­te. “Sa­bes Ma­ri­an­ne, che­gou es­te tem­po em que es­ta­mos re­al­men­te tão ve­lhos e os nos­sos cor­pos es­tão cain­do aos pou­cos que acho que vou se­guir-te mui­to em bre­ve. Sei que es­tou tão per­to de ti que se es­ti­ca­res a tua mão, acho que con­se­gues to­car na mi­nha.”

Ju­deu con­ver­ti­do ao bu­dis­mo, Cohen nun­ca dei­xou de tra­zer mui­tas re­fe­rên­ci­as re­li­gi­o­sas. “Hi­ne­ni”, que can­ta no seu ál­bum de des­pe­di­da, é uma pa­la­vra he­brai­ca que sig­ni­fi­ca “aqui es­tou”, di­ta por Abraão a Deus. Es­te dia 10, Le­o­nard can­tou-a pe­la úl­ti­ma vez.

AFP

Mor­te do len­dá­rio po­e­ta e mú­si­co é cho­ra­da um pou­co por to­dos os con­ti­nen­tes

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.