No­me­a­ções são da al­ça­da do Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca

Jornal de Angola - - PARTADA - JOÃO DI­AS |

O se­cre­tá­rio pa­ra a Co­mu­ni­ca­ção Ins­ti­tu­ci­o­nal e Im­pren­sa do Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, Manuel Ra­be­lais, es­cla­re­ceu on­tem que é da com­pe­tên­cia do Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca no­me­ar os pre­si­den­tes e res­pec­ti­vos ad­mi­nis­tra­do­res dos Con­se­lhos de Ad­mi­nis­tra­ção das Em­pre­sas Pú­bli­cas, no exer­cí­cio da sua fun­ção co­mo Ti­tu­lar do Po­der Exe­cu­ti­vo.

O se­cre­tá­rio pa­ra a co­mu­ni­ca­ção ins­ti­tu­ci­o­nal e im­pren­sa do Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, Manuel Ra­be­lais, ape­la a to­das as pes­so­as en­vol­vi­das na re­a­li­za­ção da ma­ni­fes­ta­ção con­tra a no­me­a­ção de Isabel dos San­tos, PCA da So­nan­gol, aguar­dem pe­la de­cla­ra­ção do Tri­bu­nal Su­pre­mo. “Em­bo­ra o di­rei­to à ma­ni­fes­ta­ção se­ja um di­rei­to cons­ti­tu­ci­o­nal­men­te con­sa­gra­do, con­si­de­ra­mos que es­te ti­po de pres­são so­bre o sis­te­ma ju­di­ci­al po­de con­di­ci­o­nar a sua de­ci­são.”

O tam­bém di­rec­tor-ge­ral do Ga­bi­ne­te de Re­vi­ta­li­za­ção da Co­mu­ni­ca­ção Ins­ti­tu­ci­o­nal e Mar­ke­ting da Ad­mi­nis­tra­ção (GRECIMA) es­cla­re­ceu que é da com­pe­tên­cia do Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca no­me­ar os pre­si­den­tes e res­pec­ti­vos ad­mi­nis­tra­do­res dos Con­se­lhos de Ad­mi­nis­tra­ção das Em­pre­sas Pú­bli­cas, no exer­cí­cio da sua fun­ção co­mo Ti­tu­lar do Po­der Exe­cu­ti­vo.

Ra­be­lais lem­brou que à luz da Cons­ti­tui­ção, o Pre­si­den­te tem so­bre es­ta ma­té­ria po­der dis­cri­ci­o­ná­rio e as su­as de­ci­sões vi­sam uma ges­tão efi­caz e efi­ci­en­te, ca­paz de dar re­sul­ta­dos que ga­ran­tam a saú­de fi­nan­cei­ra das em­pre­sas e me­lho­ria da eco­no­mia do país, com re­sul­ta­dos po­si­ti­vos pa­ra a vi­da dos an­go­la­nos. “Pa­re­ce jus­to re­co­nhe­cer que a en­ge­nhei­ra Isabel dos San­tos tem pro­vas da­das em ma­té­ria de ges­tão de em­pre­sas den­tro e fo­ra do país e é das em­pre­sá­ri­as an­go­la­nas me­lhor su­ce­di­das e com em­pre­sas co­ta­das em bol­sas in­ter­na­ci­o­nais”, re­al­çou.

Nu­ma al­tu­ra di­fí­cil, co­mo é a que se es­tá a vi­ver, re­fe­riu, o país pre­ci­sa ra­pi­da­men­te de re­cu­pe­rar a efi­cá­cia da So­nan­gol, bai­xar os cus­tos de pro­du­ção e ca­pi­ta­li­zar os seus ac­ti­vos. “A ex­pe­ri­ên­cia de Isabel dos San­tos no de­sen­vol­vi­men­to de pro­jec­tos sus­ten­tá­veis e as for­tes par­ce­ri­as com em­pre­sas in­ter­na­ci­o­nais fo­ram de­ter­mi­nan­tes pa­ra a sua es­co­lha co­mo PCA da So­nan­gol”, lem­brou Manuel Ra­be­lais, men­ci­o­nan­do que a Cons­ti­tui­ção con­sa­gra o prin­cí­pio da igual­da­de e que as pes­so­as me­re­cem tra­ta­men­to igual e não po­dem ser pre­ju­di­ca­das por cri­té­ri­os de na­tu­re­za po­lí­ti­ca, re­li­gi­o­sa e, co­mo no ca­so pre­sen­te, fa­mi­li­ar. O fac­to de Isabel dos San­tos ser fi­lha do Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca não po­de ser um ele­men­to dis­cri­mi­na­dor.

“Nin­guém po­de ser be­ne­fi­ci­a­do por ser fi­lho do Pre­si­den­te ou de ou­tra pes­soa qual­quer que te­nha car­go pú­bli­co. Se is­to é cer­to, tam­bém é cer­to que nin­guém po­de ser pre­ju­di­ca­do por is­so”, dis­se, acres­cen­tan­do que de­fen­der o con­trá­rio, es­tar-se-ia a sub­ver­ter o prin­cí­pio da igual­da­de con­sa­gra­do na Cons­ti­tui­ção. Manuel Ra­be­lais dis­se que a Lei da Pro­bi­da­de Pú­bli­ca de­ve ser in­ter­pre­ta­da den­tro des­te prin­cí­pio e es­cla­re­ceu que es­ta lei não im­pe­de que fi­lhos de ti­tu­la­res de car­gos pú­bli­cos se­jam no­me­a­dos pa­ra qual­quer car­go, se fo­rem dis­so me­re­ce­do­res.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.