Ka­bi­la pro­me­te fa­zer res­pei­tar o acor­do de paz e a Cons­ti­tui­ção

Jornal de Angola - - PARTADA -

O Pre­si­den­te ces­san­te da Re­pú­bli­ca De­mo­crá­ti­ca do Con­go (RDC), Jo­seph Ka­bi­la, re­a­fir­mou na ter­ça­fei­ra, em Kinsha­sa, num dis­cur­so à na­ção pe­ran­te o Congresso (Par­la­men­to e Se­na­do con­go­lês), que o acor­do po­lí­ti­co saí­do do diá­lo­go na­ci­o­nal “é a úni­ca via” pa­ra re­sol­ver as di­fe­ren­ças em tor­no do adi­a­men­to das elei­ções ge­rais, com des­ta­que pa­ra as pre­si­den­ci­ais, mar­ca­das pa­ra Abril de 2018.

No seu dis­cur­so, o Che­fe do Es­ta­do con­go­lês pro­me­teu no­me­ar “mui­to bre­ve­men­te” um no­vo Pri­mei­ro-Mi­nis­tro que, ao abri­go do acor­do as­si­na­do no mês pas­sa­do pe­la mai­o­ria pre­si­den­ci­al e par­te da opo­si­ção con­go­le­sa, é pro­ve­ni­en­te de par­ti­dos opo­si­to­res.

A pro­mes­sa foi fei­ta de­pois do pe­di­do de de­mis­são, tam­bém no âm­bi­to do acor­do, apre­sen­ta­do um dia an­tes pe­lo pri­mei­ro-mi­nis­tro con­go­lês, Au­gus­tin Ma­pon.

Jo­seph Ka­bi­la ga­ran­tiu que a Cons­ti­tui­ção “se­rá sem­pre res­pei­ta­da” e im­pe­di­rá que o país se­ja “re­fém de es­tra­té­gi­as in­sur­rec­ci­o­nais”, o que é en­ten­di­do co­mo um re­ca­do à co­li­ga­ção da opo­si­ção “Res­sam­ble­ment”.

“Ne­nhu­ma agen­da po­lí­ti­ca se­rá jus­ti­fi­ca­ção pa­ra a vi­o­lên­cia”, acres­cen­tou, an­tes de afir­mar que “não é acei­tá­vel che­gar ao po­der por ci­ma do san­gue do po­vo con­go­lês” e de pe­dir ao po­vo con­go­lês pa­ra “pre­ser­var a de­mo­cra­cia” e à opo­si­ção pa­ra se pre­pa­rar pa­ra as elei­ções.

O Pre­si­den­te con­go­lês de­nun­ci­ou o que cha­mou de “in­ge­rên­cia es­tran­gei­ra” e lem­brou que, co­mo to­dos os paí­ses da Or­ga­ni­za­ção das Na­ções Uni­das, a RDC “tam­bém tem di­rei­to à sua In­de­pen­dên­cia”.

Na se­ma­na pas­sa­da, che­fes das de­le­ga­ções da mai­o­ria pre­si­den­ci­al e dos par­ti­dos da opo­si­ção que in­te­gram o sis­te­ma de diá­lo­go na­ci­o­nal dis­se­ram à agên­cia de no­tí­ci­as Fran­ce Press que a no­me­a­ção do no­vo pri­mei­ro-mi­nis­tro da RDC, que vai or­ga­ni­zar as pre­si­den­ci­ais adi­a­das pa­ra Abril de 2018, des­ta vez sem a par­ti­ci­pa­ção, por im­pe­ra­ti­vos cons­ti­tu­ci­o­nais, do Pre­si­den­te ces­san­te, Jo­seph Ka­bi­la, é fei­ta es­ta se­ma­na.

Vi­tal Ka­merhe, co-mo­de­ra­dor da opo­si­ção no diá­lo­go, e fa­vo­ri­to à no­me­a­ção de pri­mei­ro-mi­nis­tro con­go­lês, ex­pli­cou que a es­pe­ra dos re­sul­ta­dos dos bons ofí­ci­os de pre­la­dos da Igre­ja jun­to dos par­ti­dos que não par­ti­ci­pa­ram no diá­lo­go es­tá en­tre as ra­zões pa­ra o atra­so.

No mês pas­sa­do, a mai­o­ria pre­si­den­ci­al que go­ver­na a RDC e par­te da opo­si­ção con­go­le­sa as­si­na­ram um acor­do po­lí­ti­co que adia as elei­ções ge­rais pa­ra Abril de 2018, au­to­ri­za o Pre­si­den­te ces­san­te, cu­jo man­da­to ter­mi­na em 19 de De­zem­bro, a per­ma­ne­cer no car­go in­te­ri­na­men­te até à re­a­li­za­ção das pre­si­den­ci­ais e per­mi­te a for­ma­ção de um go­ver­no de união na­ci­o­nal, di­ri­gi­do por um mem­bro da opo­si­ção e cu­ja pri­o­ri­da­de é or­ga­ni­zar a vo­ta­ção.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.