An­tó­nia Ri­bei­ro faz his­tó­ria

Jornal de Angola - - DESPORTO - AN­TÓ­NIO DE BRITO |

An­tó­nia Ri­bei­ro en­tra pa­ra a his­tó­ria do di­ri­gis­mo des­por­ti­vo an­go­la­no e da Con­fe­de­ra­ção Afri­ca­na de Té­nis de Me­sa (FATM), co­mo a pri­mei­ra mu­lher a as­su­mir a pre­si­dên­cia de uma ins­ti­tui­ção fe­de­ra­ti­va. De­pois de dois man­da­tos na vi­ce-pre­si­dên­cia, foi elei­ta re­cen­te­men­te lí­der da di­rec­ção da Fe­de­ra­ção An­go­la­na de Té­nis de Me­sa, pa­ra o qua­drié­nio 2016/2020.

De 47 anos, ca­sa­da e mãe de qua­tro fi­lhos, An­tó­nia Ri­bei­ro abra­çou o di­ri­gis­mo des­por­ti­vo há oi­to anos, in­flu­en­ci­a­da por Fi­lo­me­no For­tes. De lá pa­ra cá, a no­va pre­si­den­te da FATM co­me­çou a ter gos­to pe­la mo­da­li­da­de, que nun­ca che­gou a pra­ti­car.

Em de­cla­ra­ções ao Jor­nal de An­go­la, An­tó­nia Ri­bei­ro dis­se que ape­sar de ser uma hon­ra es­tar à fren­te da ins­ti­tui­ção des­por­ti­va, re­co­nhe­ce que tem um lon­go ca­mi­nho a per­cor­rer: “Es­tou fe­liz por ser a pri­mei­ra mu­lher a as­su­mir um or­ga­nis­mo fe­de­ra­ti­vo. En­ca­ro a ta­re­fa com gran­de res­pon­sa­bi­li­da­de. Não se­rá fá­cil di­ri­gir em tem­po de cri­se. Fa­rei de tu­do pa­ra não de­frau­dar a con­fi­an­ça de­po­si­ta­da em mim pe­lo elei­to­ra­do.”

An­tó­nia Ri­bei­ro re­fe­riu que vai dar con­ti­nui­da­de, du­ran­te o man­da­to de qua­tro anos, ao pro­gra­ma de ac­ção do an­te­ri­or elen­co, com par­ti­cu­lar re­al­ce pa­ra a organização in­ter­na. “Va­mos tra­ba­lhar ain­da com as as­so­ci­a­ções pro­vin­ci­ais, au­men­tar o nú­me­ro de pra­ti­can­tes, ca­pa­ci­tar ca­da vez mais os trei­na­do­res e man­ter as con­quis­tas a ní­vel in­ter­na­ci­o­nal, prin­ci­pal­men­te na Zo­na 5.”

Do pro­gra­ma de ac­ção da no­va di­rec­ção cons­ta ain­da o re­a­ta­men­to da par­ce­ria com a Ci­tic Cons­truc­ti­on, de mo­do a con­ti­nu­ar a apoi­ar o de­sen­vol­vi­men­to da mo­da­li­da­de no país. “É uma das pri­o­ri­da­des que cons­tam da nos­sa agen­da de tra­ba­lho. A Ci­tic con­tri­buiu so­bre­ma­nei­ra pa­ra o en­gran­de­ci­men­to do té­nis de me­sa no país. Nos úl­ti­mos qua­tro anos, An­go­la con­quis­tou me­da­lhas nos cam­pe­o­na­tos afri­ca­nos. Es­tes ga­nhos de­vem-se à par­ce­ria que man­tí­nha­mos com a Ci­tic”, sa­li­en­tou An­tó­nia Ri­bei­ro.

Em An­go­la o nú­me­ro de pra­ti­can­tes ins­cri­tos na Fe­de­ra­ção An­go­la­na de Té­nis de Me­sa ron­da os 300 atle­tas. An­tó­nia Ri­bei­ro con­si­de­ra re­du­zi­da a po­pu­la­ção des­por­ti­va da mo­da­li­da­de no país.

“É uma go­ta de água no oce­a­no. Te­mos a mis­são de au­men­tar o nú­me­ro de pra­ti­can­tes. Va­mos en­vi­dar es­for­ços pa­ra che­gar­mos aos 600.”

Na his­tó­ria da ins­ti­tui­ção, An­tó­nia Ri­bei­ro é a quar­ta pes­soa à fren­te da pre­si­dên­cia de di­rec­ção, de­pois de Silva Ne­to (já fa­le­ci­do), Tony de Je­sus e Fi­lo­me­no For­tes.

SAN­TOS PE­DRO

Di­ri­gen­te quer mais atle­tas na mo­da­li­da­de

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.