Ter­ro­ris­mo e cor­rup­ção na mi­ra dos pro­cu­ra­do­res

Jornal de Angola - - PARTADA - EDNA DALA |

No dis­cur­so de en­cer­ra­men­to da XI con­fe­rên­cia anu­al e as­sem­bleia-ge­ral de mem­bros da As­so­ci­a­ção dos Pro­cu­ra­do­res de Áfri­ca, que cul­mi­nou com a re­con­du­ção de An­go­la na pre­si­dên­cia da or­ga­ni­za­ção por mais dois anos, João Ma­ria de Sou­sa ape­lou ao es­pí­ri­to de união e pe­diu aos no­vos mem­bros do co­mi­té exe­cu­ti­vo elei­to mai­or co­o­pe­ra­ção pa­ra que a or­ga­ni­za­ção con­ti­nen­tal con­si­ga êxi­tos no com­ba­te à cri­mi­na­li­da­de em Áfri­ca. A con­fe­rên­cia pro­du­ziu uma De­cla­ra­ção na qual os mem­bros da As­so­ci­a­ção con­si­de­ram a cor­rup­ção, os cri­mes trans­na­ci­o­nais e o ter­ro­ris­mo co­mo fe­nó­me­nos trans­fron­tei­ri­ços que afec­tam a to­dos. As­sim sen­do, os pro­cu­ra­do­res ge­rais fo­ram unâ­ni­mes na de­ci­são de se im­ple­men­tar to­das as de­cla­ra­ções ema­na­das pe­la As­so­ci­a­ção dos Pro­cu­ra­do­res de Áfri­ca re­fe­ren­tes ao com­ba­te à cor­rup­ção, cri­mes trans­na­ci­o­nais, ter­ro­ris­mo e ou­tras ac­ções gra­ves.A de­cla­ra­ção en­fa­ti­za a ne­ces­si­da­de de os ma­gis­tra­dos do Mi­nis­té­rio Pú­bli­co con­tri­buí­rem pa­ra se al­can­çar as me­tas de de­sen­vol­vi­men­to das Na­ções Uni­das, com ba­se na Agen­da 2030 pa­ra o De­sen­vol­vi­men­to Sus­ten­tá­vel.

Os mem­bros da As­so­ci­a­ção dos Pro­cu­ra­do­res de Áfri­ca (APA) ex­pres­sa­ram, no sá­ba­do, em Lu­an­da, a ne­ces­si­da­de de me­lho­rar a re­de de in­for­ma­ção e as­sis­tên­cia mú­tua le­gal en­tre as pro­cu­ra­do­ri­as ge­rais e agên­ci­as do con­ti­nen­te.

A von­ta­de cons­ta da de­cla­ra­ção de Lu­an­da, apre­sen­ta­da no fi­nal dos tra­ba­lhos da XI Con­fe­rên­cia Anu­al e As­sem­bleia-ge­ral de Mem­bros da As­so­ci­a­ção dos Pro­cu­ra­do­res de Áfri­ca, que cul­mi­nou com a re­con­du­ção de An­go­la na pre­si­dên­cia da or­ga­ni­za­ção por mais dois anos.

O do­cu­men­to re­co­men­da ain­da que os pro­cu­ra­do­res de Áfri­ca, de di­fe­ren­tes ju­ris­di­ções, a uni­rem-se pa­ra a ela­bo­ra­ção de uma res­pos­ta co­mum que vi­sa as­se­gu­rar a cri­a­ção de uma co­la­bo­ra­ção efec­ti­va, bem co­mo de uma re­de de con­tac­tos pa­ra me­lho­rar os ser­vi­ços das pro­cu­ra­do­ri­as ge­rais de Áfri­ca, nos ter­mos da lei da União Afri­ca­na so­bre ju­ris­di­ção uni­ver­sal.

Os mem­bros da As­so­ci­a­ção re­co­nhe­ce­ram que a cor­rup­ção, os cri­mes trans­na­ci­o­nais e o ter­ro­ris­mo são fe­nó­me­nos trans­fron­tei­ri­ço que afec­tam a to­dos. As­sim sen­do, os pro­cu­ra­do­res ge­rais fo­ram unâ­ni­mes na de­ci­são de se im­ple­men­tar to­das as de­cla­ra­ções ema­na­das pe­la As­so­ci­a­ção dos Pro­cu­ra­do­res de Áfri­ca re­fe­ren­tes ao com­ba­te à cor­rup­ção, cri­mes trans­na­ci­o­nais, ter­ro­ris­mo e ou­tras ac­ções gra­ves.

Os pro­cu­ra­do­res vão sub­me­ter as de­cla­ra­ções à União Afri­ca­na, en­fa­ti­zan­do os de­sa­fi­os dos pro­cu­ra­do­res, ten­do em con­ta o me­mo­ran­do de en­ten­di­men­to en­tre as or­ga­ni­za­ções. A de­cla­ra­ção re­fe­re que os pro­cu­ra­do­res vão con­tri­buir pa­ra se al­can­çar as me­tas de de­sen­vol­vi­men­to das Na­ções Uni­das, com ba­se na Agen­da 2030 pa­ra o De­sen­vol­vi­men­to Sus­ten­tá­vel, pa­ra fa­ci­li­tar, des­te mo­do, a paz, a se­gu­ran­ça, a pros­pe­ri­da­de e a er­ra­di­ca­ção da po­bre­za.

Agra­de­ci­men­tos

O pre­si­den­te da As­so­ci­a­ção de Pro­cu­ra­do­res de Áfri­ca, João Ma­ria de Sou­sa, agra­de­ceu a con­fi­an­ça dos de­le­ga­dos pe­la re­e­lei­ção de An­go­la e pro­me­teu não de­frau­dar as ex­pec­ta­ti­vas. “Te­mos for­ça e von­ta­de pa­ra tra­ba­lhar e le­var a As­so­ci­a­ção a atin­gir os ob­jec­ti­vos da sua cri­a­ção”, dis­se. O ma­gis­tra­do an­go­la­no su­bli­nhou que não bas­tam as par­ce­ri­as in­ter­na­ci­o­nais. Dos mem­bros da As­so­ci­a­ção dos Pro­cu­ra­do­res de Áfri­ca, dis­se, es­pe­ra-se uma mai­or apro­xi­ma­ção e en­tre­ga à cau­sa des­ta or­ga­ni­za­ção.

O pro­cu­ra­dor, que dis­cur­sa­va na ce­ri­mó­nia de en­cer­ra­men­to da con­fe­rên­cia anu­al, pe­diu aos no­vos mem­bros do co­mi­té exe­cu­ti­vo elei­to a da­rem uma me­lhor con­tri­bui­ção em prol da As­so­ci­a­ção dos Pro­cu­ra­do­res de Áfri­ca, bem co­mo dos seus ob­jec­ti­vos es­ta­tu­tá­ri­os, pa­ra uma Áfri­ca li­vre da cri­mi­na­li­da­de.

João Ma­ria de Sou­sa pe­diu aos de­le­ga­dos que se apre­sen­ta­ram du­ran­te a con­fe­rên­cia anu­al, co­mo ob­ser­va­do­res, pa­ra subs­cre­ve­rem a sua ade­são à As­so­ci­a­ção dos Pro­cu­ra­do­res de Áfri­ca. O pro­cu­ra­dor-ge­ral an­go­la­no ape­lou a to­dos pa­ra o aca­ta­men­to da dis­ci­pli­na in­ter­na da As­so­ci­a­ção, ao pa­ga­men­to das res­pec­ti­vas quo­tas anu­ais e à par­ti­ci­pa­ção des­te mo­do nas ac­ções de for­ma­ção e ca­pa­ci­ta­ção téc­ni­co-pro­fis­si­o­nal, de mo­do que no fi­nal se jus­ti­fi­quem os gas­tos fi­nan­cei­ros pa­ra que a or­ga­ni­za­ção pos­sa con­ti­nu­ar a ob­ter os apoi­os dos do­a­do­res ha­bi­tu­ais, mor­men­te de or­ga­nis­mos das Na­ções Uni­das, co­mo PNUD e a UNODC, bem co­mo dos go­ver­nos dos seus res­pec­ti­vos paí­ses.

O pre­si­den­te da As­so­ci­a­ção dos Pro­cu­ra­do­res de Áfri­ca re­co­nhe­ceu que o le­ma da 11.ª con­fe­rên­cia anu­al, “Pro­cu­ra­do­res de Áfri­ca uni­dos con­tra a cor­rup­ção e cri­mes trans­na­ci­o­nais”, re­flec­te as pre­o­cu­pa­ções dos Mi­nis­té­ri­os Pú­bli­cos fa­ce ao nú­me­ro cres­cen­te de ca­sos de cor­rup­ção no con­ti­nen­te afri­ca­no, dan­do ori­gem a cri­mes co­ne­xos co­mo o bran­que­a­men­to de ca­pi­tais, su­bor­nos, trá­fi­co de dro­gas e de se­res hu­ma­nos.

CONTREIRAS PIPA

Pro­cu­ra­do­res afri­ca­nos re­co­nhe­ce­ram em Lu­an­da que a cor­rup­ção e o ter­ro­ris­mo são fe­nó­me­nos trans­fron­tei­ri­ços que afec­tam a to­dos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.