Mor­te de Or­lan­do Swagg dei­xa a mú­si­ca mais po­bre

Jornal de Angola - - CULTURA - JEUS SIL­VA |

A clas­se ar­tís­ti­ca e do Lo­bi­to, em par­ti­cu­lar, e de Ben­gue­la, em ge­ral, es­tá de lu­to com a mor­te pre­ma­tu­ra do mú­si­co Or­lan­do Swagg, um jo­vem pro­mis­sor que ti­nha uma lon­ga car­rei­ra ar­tís­ti­ca por tri­lhar.

A as­cen­são pro­fis­si­o­nal de Or­lan­do Swagg foi in­ter­rom­pi­da na se­ma­na pas­sa­da, aos 28 anos, ten­do o seu de­sa­pa­re­ci­men­to fí­si­co dei­xa­do cons­ter­na­da a clas­se ar­tís­ti­ca, pois, nos úl­ti­mos tem­pos, o mú­si­co es­ta­va a afir­mar-se no mu­sic hall na­ci­o­nal.

Pa­ra Fran­cis­co Ma­nu­el Do­min­gos “Chi­co San­dro”, se­cre­tá­rio pro­vin­ci­al da União Na­ci­o­nal dos Ar­tis­tas e Com­po­si­to­res (UNAC), em Ben­gue­la, a no­tí­cia da mor­te pre­ma­tu­ra de Or­lan­do Swagg “caiu co­mo um bal­de de água fria e co­mo­veu a po­pu­la­ção da pro­vín­cia de Ben­gue­la, em ge­ral, e da ci­da­de do Lo­bi­to, em par­ti­cu­lar, on­de ele re­si­dia.”

Dos su­ces­sos do ma­lo­gra­do, des­ta­cam-se as mú­si­cas “Ho­je não saio da­qui”, “Mais ve­lho agua­do” e “Mawan­go­lé”. O se­cre­tá­rio pro­vin­ci­al da UNAC a fez sa­ber ain­da que no pas­sa­do mês de Ou­tu­bro a ter­ra das acá­ci­as ru­bras per­deu ou­tros dois ar­tis­tas: Ben­ja­mim Ma­nu­el Fer­rão Bas­tos “Ne­li­to Fer­rão” e Jo­sé Brás “Tio Tchom­bé”. De no­me pró­prio Or­lan­do Car­los Pin­to da Sil­va, co­nhe­ci­do ar­tis­ti­ca­men­te por Or­lan­do Swagg, co­me­çou a sua car­rei­ra ar­tís­ti­ca em 2004 co­mo in­te­gran­te do gru­po B’boys da zo­na co­mer­ci­al do Lo­bi­to.

Em 2010, en­ve­re­da pa­ra o mun­do da dan­ça na com­pa­nhia Gú Dan­ce. Dois anos mais tar­de, in­te­gra o gru­po Gang Ma­cha­do, ten­do gra­va­do a mú­si­ca in­ti­tu­la­da “Ho­je não saio da­qui” que o ca­ta­pul­tou pa­ra o mer­ca­do e con­quis­tou uma le­gião de fãs.

Or­lan­do Swagg es­te­ve em Windho­ek (Na­mí­bia) e Lis­boa (Por­tu­gal) à pro­cu­ra de pro­jec­ção e in­ter­na­ci­o­na­li­za­ção da sua mú­si­ca. De­sin­te­gra­do do gru­po Gang Ma­cha­do, o mú­si­co decide gra­var a sua pri­mei­ra can­ção a so­lo in­ti­tu­la­da “Mwan­go­lé”.

Em 2016, Or­lan­do Swagg as­si­na um con­tra­to de tra­ba­lho com a pro­du­to­ra de even­tos Had­ja Mo­del em Lu­an­da. Quan­do decide gra­var o seu pri­mei­ro vi­de­o­cli­pe, sur­ge a do­en­ça e, con­se­quen­te­men­te, a sua mor­te no dia 18 de No­vem­bro de 2016, no Hos­pi­tal Ge­ral de Ben­gue­la.

O mú­si­co Or­lan­do Swag nas­ceu na pro­vín­cia de Ben­gue­la, aos 2 de Se­tem­bro de 1988. Or­lan­do Swagg foi a en­ter­rar no úl­ti­mo sá­ba­do no ce­mi­té­rio da Ca­tum­be­la.

DR

Clas­se ar­tís­ti­ca ben­gue­len­se aba­la­da com a mor­te pre­ma­tu­ra do au­tor de “Mais ve­lho agua­do”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.