Co­li­ga­ção oci­den­tal ma­ta ci­vis e cri­an­ças

Jornal de Angola - - PARTADA -

Pe­lo me­nos 6.455 pes­so­as mor­re­ram nos ata­ques da co­li­ga­ção in­ter­na­ci­o­nal li­de­ra­da pe­los Es­ta­dos Uni­dos con­tra o Es­ta­do Is­lâ­mi­co na Sí­ria des­de o seu iní­cio, em 23 de Se­tem­bro de 2014, se­gun­do os nú­me­ros di­vul­ga­dos on­tem pe­lo Ob­ser­va­tó­rio Sí­rio de Di­rei­tos Hu­ma­nos (OSDH), se­de­a­do em Lon­dres. De acor­do com o OSDH, en­tre os mor­tos há pe­lo me­nos 700 ci­vis, dos qu­ais 169 eram me­no­res de ida­de e 106 mu­lhe­res.

Pe­lo me­nos 6.455 pes­so­as mor­re­ram nos ata­ques da co­li­ga­ção in­ter­na­ci­o­nal li­de­ra­da pe­los Es­ta­dos Uni­dos con­tra o Es­ta­do Is­lâ­mi­co na Sí­ria des­de o seu iní­cio, em 23 de Se­tem­bro de 2014, se­gun­do com os nú­me­ros di­vul­ga­dos on­tem pe­lo Ob­ser­va­tó­rio Sí­rio de Di­rei­tos Hu­ma­nos (OSDH), se­de­a­do em Lon­dres. Os bom­bar­de­a­men­tos tam­bém dei­xa­ram cen­te­nas de fe­ri­dos.

De acor­do com o Ob­ser­va­tó­rio Sí­rio de Di­rei­tos Hu­ma­nos, en­tre os mor­tos há pe­lo me­nos 700 ci­vis, dos qu­ais 169 eram me­no­res de ida­de e 106 mu­lhe­res. O Es­ta­do Is­lâ­mi­co, refere aque­la ONG, so­freu pe­lo me­nos 5.506 bai­xas, a mai­o­ria de mi­li­ci­a­nos es­tran­gei­ros, en­tre os qu­ais al­guns dos seus di­ri­gen­tes co­mo Abu Omar al Shisha­ni, Abu al Hiya al Tu­ni­si, Abu Osa­ma al Ira­qui e Omar al Ra­fi­dan.

O Ob­ser­va­tó­rio Sí­rio de Di­rei­tos Hu­ma­nos ci­ta um res­pon­sá­vel do Es­ta­do Is­lâ­mi­co que mor­reu com a es­po­sa e os qua­tro fi­lhos por um bom­bar­de­a­men­to em Da­biq, na pro­vín­cia de Alep­po, no nor­te do país.

A co­li­ga­ção in­ter­na­ci­o­nal li­de­ra­da pe­los EUA não te­ve co­mo al­vo ape­nas po­si­ções do Es­ta­do Is­lâ­mi­co, mas tam­bém da Fren­te al Nus­ra, ac­tu­al­men­te cha­ma­da de Fren­te da Con­quis­ta do Le­van­te e an­ti­go bra­ço sí­rio da Al Qa­e­da, que per­deu 141 dos seus com­ba­ten­tes, se­gun­do os da­dos apre­sen­ta­dos pe­lo Ob­ser­va­tó­rio Sí­rio de Di­rei­tos Hu­ma­nos.

Mor­te de Mas­ri

Na noi­te de ter­ça-fei­ra, o Pen­tá­go­no anun­ci­ou a mor­te do egíp­cio Abu al Fa­ra­ch al Mas­ri, um al­to co­man­do da Al Qa­e­da na Sí­ria, du­ran­te um ata­que aé­reo lan­ça­do no dia 18 per­to da ci­da­de de Sar­ma­da, na pro­vín­cia de Idlib.

Os da­dos do Ob­ser­va­tó­rio Sí­rio de Di­rei­tos Hu­ma­nos tam­bém in­clu­em dez mi­li­ci­a­nos do gru­po ra­di­cal Exér­ci­to da Sun­na que mor­re­ram num ata­que con­tra a sua ba­se em At­me, tam­bém em Idlib.

Além dis­so, um re­bel­de mor­reu num bom­bar­de­a­men­to da co­li­ga­ção con­tra uma ba­se do Es­ta­do Is­lâ­mi­co on­de es­ta­va re­ti­do na ci­da­de de Ma­a­dan, na pro­vín­cia de Al Raqqa, en­quan­to um ac­ti­vis­ta de uma agência de no­tí­ci­as dos re­bel­des tam­bém mor­reu num bom­bar­de­a­men­to em Tel Ba­tal, em Alep­po.

A es­tas ví­ti­mas jun­tam-se 90 efec­ti­vos go­ver­na­men­tais sí­ri­os, que mor­re­ram num ata­que de gran­de en­ver­ga­du­ra da co­li­ga­ção con­tra o quar­tel de uma bri­ga­da de ar­ti­lha­ria na re­gião de Ja­bal Zar­da, na pe­ri­fe­ria da ci­da­de de Deir ez Zor.

O Ob­ser­va­tó­rio Sí­rio de Di­rei­tos Hu­ma­nos não des­car­tou que o nú­me­ro de se­gui­do­res do Es­ta­do Is­lâ­mi­co se­ja su­pe­ri­or, de­vi­do à di­fi­cul­da­de pa­ra do­cu­men­tar as bai­xas na or­ga­ni­za­ção, por o gru­po man­ter gran­de si­gi­lo so­bre os seus fa­le­ci­dos e pre­juí­zos ma­te­ri­ais.

En­tre­tan­to, o mi­nis­tro fran­cês das Re­la­ções Ex­te­ri­o­res, Je­anMarc Ay­rault, anun­ci­ou on­tem que a Fran­ça vai pro­mo­ver uma reu­nião, nos pró­xi­mos di­as, dos paí­ses oci­den­tais e ára­bes que apoi­am a cha­ma­da “opo­si­ção sí­ria mo­de­ra­da”, pa­ra que se pos­sa tra­çar uma es­tra­té­gia abran­gen­te no sen­ti­do de se con­se­guir o con­tro­lo mai­or das ope­ra­ções no ter­re­no.

“To­mei a ini­ci­a­ti­va de reu­nir em Pa­ris, nos pró­xi­mos di­as, os paí­ses ami­gos da de­mo­cra­cia sí­ria, da opo­si­ção de­mo­crá­ti­ca”, afir­mou ao fim do con­se­lho de mi­nis­tros e in­sis­tiu que “é ur­gen­te to­mar uma ati­tu­de em re­la­ção aos bom­bar­de­a­men­tos em Alep­po”. A reu­nião, acres­cen­tou, de­ve ser re­a­li­za­da no iní­cio de De­zem­bro. O mi­nis­tro Je­an Marc Ay­rault em ne­nhum mo­men­to se re­fe­riu as ope­ra­ções da Rús­sia na Sí­ria.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.