Fi­del Cas­tro

Jornal de Angola - - DESTAQUE -

Dezembro, em Santiago de Cu­ba, no sul do país.

Atra­vés de um bre­ve co­mu­ni­ca­do, o Con­se­lho de Es­ta­do cu­ba­no re­fe­re que “to­das as ac­ti­vi­da­des e es­pec­tá­cu­los pú­bli­cos” são in­ter­rom­pi­dos. A ban­dei­ra na­ci­o­nal é co­lo­ca­da a meia has­te em to­dos os edi­fí­ci­os pú­bli­cos e es­ta­be­le­ci­men­tos mi­li­ta­res. Tam­bém a rá­dio e a te­le­vi­são pas­sam a ter uma pro­gra­ma­ção es­pe­ci­al, in­for­ma­ti­va, pa­trió­ti­ca e his­tó­ri­ca du­ran­te os no­ve di­as de lu­to. Du­ran­te a semana vão re­a­li­zar-se di­ver­sas ho­me­na­gens em Cu­ba. O pon­to al­to vai ser a mar­cha com as cin­zas do ex-Pre­si­den­te cu­ba­no que vai atra­ves­sar o país ao lon­go de qua­tro di­as, re­cri­an­do, mas ao con­trá­rio, o per­cur­so da Ca­ra­va­na da Li­ber­da­de de 1959.

Men­sa­gens de condolências

O Pa­pa Fran­cis­co ma­ni­fes­tou on­tem pe­sar pela morte do líder cu­ba­no Fi­del Cas­tro e, num te­le­gra­ma di­ri­gi­do ao seu ir­mão Raúl, que o su­ce­deu na Pre­si­dên­cia de Cu­ba, dis­se que vai re­zar pe­lo seu des­can­so.

“Ao re­ce­ber a tris­te no­tí­cia do fa­le­ci­men­to do seu que­ri­do ir­mão, o ex­ce­len­tís­si­mo se­nhor Fi­del Ale­jan­dro Cas­tro Ruz, exP­re­si­den­te do Con­se­lho de Es­ta­do e do Go­ver­no da Re­pú­bli­ca de Cu­ba, ex­pres­so os meus sen­ti­men­tos Fi­del Cas­tro dis­cur­sa nas Na­ções Uni­das de pe­sar”, afir­ma o Pa­pa.

No te­le­gra­ma, Jor­ge Ber­go­glio es­ten­de os seus pê­sa­mes aos res­tan­tes fa­mi­li­a­res do líder histórico cu­ba­no, as­sim co­mo ao Go­ver­no e ao po­vo “des­sa ama­da Na­ção”.

“Ao mes­mo tem­po, ofe­re­ço pre­ces ao Se­nhor pe­lo seu des­can­so e con­fio a to­do o po­vo cu­ba­no a ma­ter­na in­ter­ven­ção de 'Nu­es­tra Seño­ra de la Ca­ri­dad del Co­bre', pa­dro­ei­ra des­se país”, acres­cen­tou o Pa­pa Fran­cis­co.

O Pa­pa Fran­cis­co e Fi­del Cas­tro en­con­tra­ram-se em 2015. Cas­tro foi bap­ti­za­do e edu­ca­do em es­co­las di­ri­gi­das pe­los Je­suí­tas, a or­dem re­li­gi­o­sa à qual tam­bém per­ten­ce o Pa­pa Fran­cis­co. O Pa­pa João Pau­lo II vi­si­tou Cu­ba em Ja­nei­ro de 1998. Du­ran­te os cin­co di­as da vi­si­ta, Fi­del acom­pa­nhou-o em vá­ri­as apa­ri­ções pú­bli­cas, de­sig­na­da­men­te du­ran­te a mis­sa na Pra­ça da Revolução, em Ha­va­na.

“Fi­del foi o Pre­si­den­te que mais aten­ção deu ao Pa­pa João Pau­lo II”, es­cre­ve­ria o car­de­al Tar­ci­sio Ber­to­ne, no seu li­vro “Un cu­o­re gran­de, Omag­gio a Gi­o­van­ni Pa­o­lo II”. “Fi­del mos­trou afec­to pe­lo Pa­pa, que já es­ta­va do­en­te, e João Pau­lo II con­fi­den­ci­ou-me que, pos­si­vel­men­te, ne­nhum Che­fe de Es­ta­do ti­nha pre­pa­ra­do tão pro­fun­da­men­te a vi­si­ta de um Pon­tí­fi­ce.” Fi­del ti­nha li­do as en­cí­cli­cas, os prin­ci­pais dis­cur­sos de João Pau­lo II e até al­guns dos seus po­e­mas.

Nu­ma no­ta pu­bli­ca­da no si­te da Pre­si­dên­cia da Re­pú­bli­ca, o Che­fe de Es­ta­do por­tu­guês, Mar­ce­lo Re­be­lo de Sou­sa, en­vi­ou “sin­ce­ras condolências” ao Pre­si­den­te Raúl Cas­tro e ao po­vo cu­ba­no pela morte de Fi­del Cas­tro.

Mar­ce­lo Re­be­lo de Sou­sa lem­brou o en­con­tro que te­ve com o líder histórico de Cu­ba, há cer­ca de um mês, apon­tan­do a “de­bi­li­da­de fí­si­ca” de Fi­del Cas­tro e sa­li­en­tan­do que ain­da as­sim, “do pon­to de vis­ta in­te­lec­tu­al”, Cas­tro es­ta­va “mui­to aten­to”.

O Pre­si­den­te por­tu­guês, o pe­núl­ti­mo Che­fe de Es­ta­do a ter um en­con­tro com Fi­del, dis­se que o líder cu­ba­no es­ta­va “fra­gi­li­za­do do pon­to de vis­ta fí­si­co mas in­te­lec­tu­al­men­te mui­to aten­to, aten­to ao que se pas­sa­va ho­je. Acom­pa­nha­va a par e pas­so as no­tí­ci­as do dia e co­men­ta­va o mun­do tal co­mo ele se en­con­tra­va, além de re­cor­dar o pas­sa­do com uma vi­va­ci­da­de in­dis­cu­tí­vel”.

Ape­sar de Fi­del Cas­tro, ad­mi­tiu Mar­ce­lo Re­be­lo de Sou­sa, não se si­tu­ar na mes­ma “área ide­o­ló­gi­ca”, que ele, o Pre­si­den­te por­tu­guês re­co­nhe­ceu o pa­pel mar­can­te do líder cu­ba­no na His­tó­ria: “Não se po­de ne­gar que ele te­ve um pe­so na Amé­ri­ca La­ti­na, no cha­ma­do Ter­cei­ro Mun­do, até no mun­do em ge­ral. Pen­se­mos na cri­se dos mís­seis que fez sus­pen­der por um ins­tan­te o mun­do no iní­cio dos anos 60”, sa­li­en­tou.

Mes­mo re­co­nhe­cen­do a de­bi­li­da­de fí­si­ca de Fi­del Cas­tro, Mar­ce­lo Re­be­lo de Sou­sa con­fes­sou es­tar al­go sur­pre­en­di­do com a morte do ex-Che­fe de Es­ta­do cu­ba­no. Fi­del ti­nha si­do vis­to pela úl­ti­ma vez em pú­bli­co a 15 de No­vem­bro, quan­do re­ce­beu o Pre­si­den­te vi­et­na­mi­ta, Tran Dai Qu­ang.

O Go­ver­no por­tu­guês tam­bém já apre­sen­tou as condolências “ao Pre­si­den­te Raúl Cas­tro, ir­mão de Fi­del Cas­tro, à fa­mí­lia e a to­do o po­vo cu­ba­no”, dis­se o mi­nis­tro dos Ne­gó­ci­os Es­tran­gei­ros de Por­tu­gal, Au­gus­to San­tos Sil­va. “É uma per­so­na­li­da­de his­tó­ri­ca de Cu­ba cu­ja morte de­ve­mos la­men­tar”, con­si­de­rou o mi­nis­tro.

A pre­si­den­te da Fun­da­ção Sa­ra­ma­go, Pi­lar del Rio, fa­lou on­tem da ad­mi­ra­ção de Jo­sé Sa­ra­ma­go por Fi­del Cas­tro e das con­ver­sas en­tre os dois. “Era um ho­mem que sa­bia mui­to de tu­do”. É des­ta for­ma que Pi­lar del Rio, pre­si­den­te da Fun­da­ção Sa­ra­ma­go, des­cre­ve Fi­del Cas­tro.

O histórico líder cu­ba­no e o es­cri­tor por­tu­guês en­con­tra­ram-se vá­ri­as ve­zes, con­ver­sa­ram mui­to so­bre mui­ta coi­sa, ape­sar de nem sem­pre con­cor­da­rem em tu­do, dis­se a com­pa­nhei­ra de Sa­ra­ma­go à TSF.

Na ma­dru­ga­da de on­tem, o Pre­si­den­te do Mé­xi­co, En­ri­que Peña Ni­e­to, es­cre­veu: “Fi­del Cas­tro foi um ami­go do Mé­xi­co, pro­mo­tor de uma re­la­ção bi­la­te­ral ba­se­a­da no res­pei­to, no diá­lo­go e na so­li­da­ri­e­da­de”.

Em ou­tro post nas re­des so­ci­ais, Peña Ni­e­to es­cre­veu: “La­men­to a morte de Fi­del Cas­tro Ruz, líder da Revolução Cubana e re­fe­rên­cia em­ble­má­ti­ca do sé­cu­lo XX”.

O Pre­si­den­te do Equa­dor, Ra­fa­el Cor­rea, tam­bém pu­bli­cou no Twit­ter. “Foi-se um gran­de. Mor­reu Fi­del. Vi­va Cu­ba! Vi­va a Amé­ri­ca La­ti­na!”, es­cre­veu.

Em men­sa­gens pu­bli­ca­das no Twit­ter, o Pre­si­den­te da Ve­ne­zu­e­la, Ni­co­lás Ma­du­ro, dis­se que o líder cu­ba­no e o ve­ne­zu­e­la­no Hu­go Chá­vez “dei­xa­ram aber­to o ca­mi­nho” pa­ra a li­ber­ta­ção dos po­vos.

O Che­fe de Es­ta­do ve­ne­zu­e­la­no in­di­cou ain­da ter fa­la­do já com o seu ho­mó­lo­go cu­ba­no, Raúl Cas­tro, a qu­em trans­mi­tiu “so­li­da­ri­e­da­de e amor ao po­vo de Cu­ba fa­ce à par­ti­da do Co­man­dan­te Fi­del Cas­tro”.

O Pre­si­den­te de El Sal­va­dor, o ex-co­man­dan­te guer­ri­lhei­ro Sal­va­dor Sán­chez Ce­rén, de­cla­rou-se mui­to tris­te com a morte de Fi­del. “Com pro­fun­da dor, re­ce­be­mos a no­tí­cia do fa­le­ci­men­to de um que­ri­do ami­go e eter­no com­pa­nhei­ro, co­man­dan­te Fi­del Cas­tro”, es­cre­veu Sán­chez Ce­rén no Twit­ter.

O Pre­si­den­te da Fran­ça, Fran­çois Hol­lan­de, dis­se que Fi­del Cas­tro sou­be re­pre­sen­tar, pa­ra o seu po­vo, “o or­gu­lho da re­jei­ção à do­mi­na­ção es­tran­gei­ra”. O Pre­si­den­te fran­cês tam­bém dis­se que Fi­del “en­car­nou a revolução cubana” nas “su­as es­pe­ran­ças e de­si­lu­sões”.

O Pre­si­den­te da Rús­sia, Vla­di­mir Pu­tin, ren­deu ho­me­na­gem a Fi­del Cas­tro, o “sím­bo­lo de uma era”, se­gun­do o Krem­lin.

O Pre­si­den­te da Bo­lí­via, Evo Mo­ra­les, afir­mou que sen­te uma “pro­fun­da dor” pela morte de Fi­del Cas­tro, a qu­em cha­mou de gi­gan­te da his­tó­ria da hu­ma­ni­da­de. “Qu­e­ro ex­pres­sar nos­sa pro­fun­da dor. Re­al­men­te dói a par­ti­da do Co­man­dan­te, do gi­gan­te da his­tó­ria da hu­ma­ni­da­de”, dis­se Mo­ra­les, por te­le­fo­ne, à re­de de te­le­vi­são “Te­le­sur”.

O Go­ver­no da Ar­gen­ti­na dis­se que, com a morte de Fi­del Cas­tro, “se fe­cha um ca­pí­tu­lo im­por­tan­te da his­tó­ria la­ti­no-ame­ri­ca­na”. A opi­nião do Go­ver­no ar­gen­ti­no foi ex­pres­sa­da pela mi­nis­tra dos Ne­gó­ci­os Es­tran­gei­ros, Su­sa­na Mal­cor­ra, no Twit­ter, trans­mi­tin­do tam­bém condolências “ao Go­ver­no e ao po­vo de Cu­ba”.

O Pre­si­den­te da Chi­na, Xi Jin­ping, dis­se em de­cla­ra­ções na TV que Fi­del Cas­tro “vi­ve­rá eter­na­men­te”, se­gun­do a Fran­ce Pres­se.

O pre­si­den­te da Co­mis­são Eu­ro­peia, Je­an-Clau­de Junc­ker, dis­se que com a morte de Fi­del “o mun­do per­de um he­rói pa­ra mui­tos”. Se­gun­do Junc­ker, o le­ga­do de Fi­del en­tra­rá pa­ra a His­tó­ria. “Fi­del Cas­tro foi uma das fi­gu­ras his­tó­ri­cas do sé­cu­lo pas­sa­do e sin­te­ti­zou a Revolução Cubana. Com a morte de Fi­del Cas­tro, o mun­do per­deu um ho­mem que era um he­rói pa­ra mui­tos”, dis­se Junc­ker em co­mu­ni­ca­do.

O ex-Pre­si­den­te do Bra­sil Luiz Iná­cio Lu­la da Sil­va apon­tou Fi­del Cas­tro co­mo “o mai­or de to­dos os la­ti­no-ame­ri­ca­nos”. O Pre­si­den­te elei­to dos EUA, Do­nald Trump, tui­tou ape­nas: “Fi­del Cas­tro is de­ad!”.

O mi­nis­tro bri­tâ­ni­co dos Ne­gó­ci­os Es­tran­gei­ros, Bo­ris John­son, dis­se que a morte de Fi­del mar­ca “o fim de uma era pa­ra Cu­ba”.

A Pre­si­den­te do Chi­le, Mi­chel­le Ba­che­let, la­men­tou a morte de Fi­del Cas­tro. Ela o de­fi­niu co­mo “um líder pela dig­ni­da­de e jus­ti­ça so­ci­al”, na sua con­ta no Twit­ter.

O Pre­si­den­te dos EUA, Ba­rack Oba­ma, dis­se que “a his­tó­ria vai jul­gar” o im­pac­to do ex-líder cu­ba­no.

UN PHOTO|YUTAKA NAGATA

AFP

Co­man­dan­te Fi­del Cas­tro com o líder histórico do ANC Nel­son Man­de­la

AFP

Pre­si­den­te Fi­del Cas­tro com o en­tão líder da Igre­ja Ca­tó­li­ca João Pau­lo II

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.