Mi­chel Te­mer em ris­co de per­der o man­da­to

Jornal de Angola - - MUNDO -

De­pu­ta­dos da ban­ca­da da opo­si­ção no Par­la­men­to anun­ci­a­ram on­tem a apre­sen­ta­ção ama­nhã de um pe­di­do de afas­ta­men­to do Pre­si­den­te em exer­cí­cio do Bra­sil, Mi­chel Te­mer, com ba­se em de­nún­ci­as à Po­lí­cia Fe­de­ral fei­tas pe­lo ex-mi­nis­tro da Cul­tu­ra, Mar­ce­lo Ca­le­ro.

O an­ti­go mi­nis­tro con­fes­sou à po­lí­cia que o Pre­si­den­te Mi­chel Te­mer pres­si­o­nou-o a aten­der um in­te­res­se pes­so­al do ago­ra ex-mi­nis­tro Ged­del Vi­ei­ra Li­ma.

Par­la­men­ta­res dos par­ti­dos PT, PSOL, Re­de e PC­doB de­fen­de­ram a des­ti­tui­ção de Mi­chel Te­mer, atra­vés do de­sig­na­do “im­pe­a­ch­ment”. A li­de­ran­ça do PSOL anun­ci­ou que não vai apoi­ar o pe­di­do de “im­pe­a­ch­ment”.

O se­na­dor Lind­bergh Fa­ri­as (PTRJ), dis­se que es­tá a tra­ba­lhar “ar­du­a­men­te” pa­ra ter o do­cu­men­to pron­to. “Va­mos es­tar com es­te pe­di­do de ‘im­pe­a­ch­ment’ pron­to ama­nhã. Va­mos tra­ba­lhar to­do o fim-de­se­ma­na, por­que que­re­mos um do­cu­men­to mui­to con­sis­ten­te. E tem que ter um tra­ba­lho de ar­ti­cu­la­ção tam­bém, por­que nós que­re­mos gran­des no­mes da so­ci­e­da­de ci­vil pa­ra en­trar com es­se pe­di­do”, dis­se Lind­bergh Fa­ri­as num ví­deo di­vul­ga­do no seu per­fil nas re­des so­ci­ais.

O se­na­dor afir­mou tam­bém que vai fa­zer um pe­di­do à Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos pa­ra que au­to­ri­ze o Tri­bu­nal Su­pre­mo Fe­de­ral (STF) jul­gar Mi­chel Te­mer por cri­me co­mum co­me­ti­do no exer­cí­cio do man­da­to, além de pe­dir a de­mis­são da mi­nis­tra da Ad­vo­ca­cia-Ge­ral da União, Gra­ce Men­don­ça. Pa­ra o líder do PSOL na Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, Ivan Va­len­te (SP), a ac­tu­a­ção de Mi­chel Te­mer na de­fe­sa de in­te­res­ses pes­so­ais de Ged­del Vi­ei­ra Li­ma jus­ti­fi­ca a des­ti­tui­ção por cri­me de res­pon­sa­bi­li­da­de.

“Ago­ra, sim, es­ta­mos di­an­te de um cri­me de res­pon­sa­bi­li­da­de sem mar­gem pa­ra dú­vi­das”, dis­se. Após a for­ma­li­za­ção, o pe­di­do de “im­pe­a­ch­ment” de­ve ser ana­li­sa­do pe­lo pre­si­den­te da Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos, Ro­dri­go Maia (DEM-RJ), a qu­em ca­be de­ci­dir se dá ou não an­da­men­to ao ca­so. Maia é um ali­a­do de Te­mer.

O ex-mi­nis­tro da Cul­tu­ra, Mar­ce­lo Ca­le­ro, que pe­diu a de­mis­são do Go­ver­no na semana pas­sa­da, dis­se no úl­ti­mo fim-de-semana que Ged­del Vi­ei­ra Li­ma o pres­si­o­nou pa­ra li­ber­tar a obra de um em­pre­en­di­men­to imo­bi­liá­rio na ci­da­de de Sal­va­dor, que ha­via si­do em­bar­ga­da pe­lo Ins­ti­tu­to do Pa­tri­mó­nio Histórico e Ar­tís­ti­co Na­ci­o­nal, no qual Ged­del Vi­ei­ra Li­ma com­prou um apar­ta­men­to.

Pos­te­ri­or­men­te, em de­poi­men­to à Po­lí­cia Fe­de­ral, cu­jo te­or foi con­fir­ma­do à agên­cia Reu­ters por uma fon­te com co­nhe­ci­men­to do as­sun­to, Mar­ce­lo Ca­le­ro afir­mou que o pró­prio Mi­chel Te­mer tam­bém o pres­si­o­nou pa­ra que en­con­tras­se uma saí­da pa­ra en­ca­mi­nhar o ca­so à Ad­vo­ca­cia-Ge­ral da União (AGU), que ha­via de dar uma so­lu­ção. Ain­da de acor­do com o de­poi­men­to de Mar­ce­lo Ca­le­ro, Mi­chel Te­mer afir­mou que o epi­só­dio ir­ri­tou Ged­del Vi­ei­ra Li­ma e ge­rou di­fi­cul­da­des ao seu Go­ver­no.

Ged­del Vi­ei­ra Li­ma re­co­nhe­ceu em en­tre­vis­ta à Reu­ters que con­ver­sou com Mar­ce­lo Ca­le­ro so­bre o em­pre­en­di­men­to em Sal­va­dor, mas ne­gou que te­nha pres­si­o­na­do o en­tão ti­tu­lar da Cul­tu­ra.

O Pre­si­den­te Mi­chel Te­mer tam­bém ne­gou as acu­sa­ções, afir­man­do, atra­vés do por­ta-voz Ale­xan­dre Pa­ro­la, es­tra­nhar as de­cla­ra­ções de Mar­ce­lo Ca­le­ro. Ele afir­mou que pre­ten­dia me­di­ar uma dis­pu­ta en­tre dois dos seus mi­nis­tros.

Em no­ta de im­pren­sa, a Ad­vo­ca­cia-Ge­ral da União (AGU) dis­se que ja­mais re­ce­beu ori­en­ta­ção e que não acei­ta­ria qual­quer ti­po de in­ter­fe­rên­cia na ac­tu­a­ção in­de­pen­den­te e téc­ni­ca do cor­po ju­rí­di­co da ins­ti­tui­ção.

“Qual­quer afir­ma­ção em con­trá­rio é fal­sa e le­vi­a­na”, afir­mou a AGU na no­ta. “O que cons­ta a res­pei­to do ca­so no­ti­ci­a­do é um pe­di­do pa­ra ava­li­ar uma pos­sí­vel di­ver­gên­cia ju­rí­di­ca en­tre ór­gãos da ad­mi­nis­tra­ção, uma vez que di­ri­mir con­fli­tos ju­rí­di­cos é uma das fun­ções da AGU”, as­si­na­lou.

A no­ta tam­bém afir­ma que a mi­nis­tra da AGU tem re­pu­ta­ção ili­ba­da e tra­jec­tó­ria pro­fis­si­o­nal mar­ca­da por uma ac­tu­a­ção éti­ca e vol­ta­da pa­ra o in­te­res­se pú­bli­co e da ins­ti­tui­ção, a qual re­pre­sen­ta há 15 anos, e acres­cen­tou que a mi­nis­tra con­si­de­ra ir­res­pon­sá­vel o en­vol­vi­men­to do seu no­me no epi­só­dio e in­sen­sa­tas as de­cla­ra­ções vei­cu­la­das.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.