Bu­run­di so­li­ci­ta re­gres­so da su­as tro­pas da So­má­lia

Jornal de Angola - - MUNDO -

O Par­la­men­to do Bu­run­di so­li­ci­tou o re­gres­so das tro­pas in­cor­po­ra­das na Mis­são da União Afri­ca­na na So­má­lia (Ami­som), in­for­ma­ram fon­tes da As­sem­bleia Na­ci­o­nal.

Os de­pu­ta­dos con­vo­ca­ram o mi­nis­tro da De­fe­sa, Em­ma­nu­el Ntahom­vu­kiye, e o co­mis­sá­rio da po­lí­cia, Alain Guil­lau­me Bunyo­ni, pa­ra res­pon­der a al­gu­mas per­gun­tas so­bre a for­ça de paz des­ta­ca­da pe­lo Go­ver­no de Bu­jum­bu­ra na­que­le país do Cor­no de Áfri­ca.

“Já são pas­sa­dos 10 me­ses des­de que as nos­sas tro­pas na So­má­lia não são pa­gas. A União Eu­ro­peia (UE), ago­ra, ne­ga-se a en­vi­ar sa­lá­ri­os atra­vés do Go­ver­no do Bu­run­di. Pen­sa­mos que é ho­ra de tra­zê­los de vol­ta”, ma­ni­fes­tou Vic­tor Bu­ri­ku­kiye, pre­si­den­te da co­mis­são de Se­gu­ran­ça e De­fe­sa da Câ­ma­ra Bai­xa. A UE sus­pen­deu em Mar­ço des­te ano a aju­da di­rec­ta ao Bu­run­di, in­cluin­do os fun­dos des­ti­na­dos às su­as For­ças Ar­ma­das.

As au­to­ri­da­des eu­ro­pei­as se­di­a­das em Bru­xe­las, ca­pi­tal da Bél­gi­ca, con­si­de­ram que as con­di­ções pro­pos­tas pe­las au­to­ri­da­des de Bu­jum­bu­ra não são su­fi­ci­en­tes pa­ra sa­tis­fa­zer as pre­o­cu­pa­ções da co­mu­ni­da­de in­ter­na­ci­o­nal.

“Ne­nhum país do Mun­do po­de acei­tar que os seus sol­da­dos se­jam pa­gos di­rec­ta­men­te por ou­tra or­ga­ni­za­ção. O Bu­run­di não vai ser uma ex­cep­ção”, pre­ci­sou o mi­nis­tro da De­fe­sa, Em­ma­nu­el Ntahom­vu­kiye, num co­mu­ni­ca­do.

Al­guns de­pu­ta­dos re­co­men­da­ram pre­cau­ção, pa­ra que as au­to­ri­da­de pos­sam ana­li­sar com mais cal­ma e pro­fun­di­da­de a ques­tão, de for­ma a não pôr em ris­co a co­o­pe­ra­ção in­ter­na­ci­o­nal, nem di­fi­cul­tar a Mis­são da União Afri­ca­na na So­má­lia (Ami­som).

As dis­cre­pân­ci­as com o Bu­run­di co­me­ça­ram em Abril de 2015, quan­do o Pre­si­den­te Pi­er­re Nku­run­zi­za anun­ci­ou que se­ria can­di­da­to a um ter­cei­ro man­da­to.

O Go­ver­no bu­run­dês as­se­gu­rou na sex­ta-fei­ra que o país des­fru­ta de paz e a po­pu­la­ção vi­ve em har­mo­nia com as ins­ti­tui­ções do Es­ta­do, ao ne­gar as de­nún­ci­as que acu­sam as au­to­ri­da­des de cri­mes con­tra a Hu­ma­ni­da­de.

“Des­fru­ta­mos da paz, da ale­gria de vi­ver em har­mo­nia, [et­ni­as] hu­tu, tut­si e twa, em­bo­ra a Fe­de­ra­ção In­ter­na­ci­o­nal dos Di­rei­tos Hu­ma­nos (FIDH) pre­ten­da di­vi­dir-nos”, afir­mou o por­ta-voz do Go­ver­no. A FIDH di­vul­gou um re­la­tó­rio em que aler­ta pa­ra a pos­si­bi­li­da­de de um ge­no­cí­dio con­tra os tut­si no Bu­run­di. A si­tu­a­ção de se­gu­ran­ça de­te­ri­o­rou­se nos úl­ti­mos me­ses e re­vi­ve­ram­se te­mo­res so­bre um no­vo con­fli­to, de­pois da re­e­lei­ção de Pi­er­re Nku­run­zi­za, em Ju­lho de 2015. O Tri­bu­nal Pe­nal In­ter­na­ci­o­nal (TPI) abriu uma in­ves­ti­ga­ção.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.