Fal­ta de mer­ca­do pro­vo­ca a que­da de pro­du­ção

Jornal de Angola - - ECONOMIA -

A em­pre­sa de po­li­men­to de már­mo­res e gra­ni­tos “Mar­gran”, do mu­ni­cí­pio de Mo­çâ­me­des, pro­vín­cia do Na­mi­be, bai­xou os ní­veis de pro­du­ção por di­fi­cul­da­des no es­co­a­men­to dos seus pro­du­tos, re­ve­lou on­tem o seu ge­ren­te.

Jo­sé Edu­ar­do Cos­ta dis­se que a uni­da­de fa­bril tem a ca­pa­ci­da­de de pro­du­zir 100 me­tros por dia, mas, em fun­ção da cri­se, os ní­veis de pro­du­ção bai­xa­ram pa­ra 30 me­tros diá­ri­os. O res­pon­sá­vel la­men­tou o fac­to de o mer­ca­do lo­cal ser pou­co atrac­ti­vo pa­ra a em­pre­sa, e de­fi­niu co­mo es­tra­té­gia o es­co­a­men­to dos seus pro­du­tos pa­ra as pro­vín­ci­as da Huí­la, Ben­gue­la e Hu­am­bo.

“Nas gran­des obras da pro­vín­cia não são uti­li­za­dos os már­mo­res pro­du­zi­dos lo­cal­men­te. Não per­ce­be­mos por que ra­zão o pes­so­al da cons­tru­ção ci­vil não re­co­nhe­ce os nos­sos ser­vi­ços”, la­men­tou.

O ges­tor res­sal­tou a ne­ces­si­da­de de fi­nan­ci­a­men­to pa­ra o re­lan­ça­men­to do sec­tor, nu­ma al­tu­ra em que o ma­te­ri­al usa­do na em­pre­sa se en­con­tra ob­so­le­to, de­pois de mui­to tem­po de uso. Jo­sé Cos­ta de­fen­deu a cri­a­ção de in­cen­ti­vos pa­ra as mé­di­as e pe­que­nas em­pre­sas, uma vez que es­tas são o su­por­te da eco­no­mia.

Com 26 tra­ba­lha­do­res, a uni­da­de ope­ra no mer­ca­do há mais de 20 anos e a fra­ca pro­du­ção es­tá a di­fi­cul­tar a es­ta­bi­li­da­de fi­nan­cei­ra da em­pre­sa.As au­to­ri­da­des do Na­mi­be pre­ten­dem al­te­rar o ac­tu­al qua­dro da ex­plo­ra­ção de mi­né­ri­os.

O director pro­vin­ci­al da In­dús­tria, Ge­o­lo­gia e Mi­nas, Ar­man­do Va­len­te, que fa­la­va du­ran­te o fó­rum da In­dús­tria, Ge­o­lo­gia e Mi­nas da pro­vín­cia do Na­mi­be, dis­se que es­ses re­cur­sos são trans­por­ta­dos pa­ra ou­tras re­giões do país e pa­ra o es­tran­gei­ro.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.