Par­la­men­tar destaca pa­pel da “Ca­sa das leis”

Jornal de Angola - - POLÍTICA -

AAs­sem­bleia Na­ci­o­nal tem con­tri­buí­do pa­ra o re­for­ço do pa­pel das mulheres an­go­la­nas e a eli­mi­na­ção de to­do o ti­po de dis­cri­mi­na­ção ba­se­a­da no gé­ne­ro, atra­vés de re­for­mas po­lí­ti­cas e ju­rí­di­cas, disse a de­pu­ta­da Ruth Men­des, em No­va Ior­que, à mar­gem da 61.ª ses­são da Co­mis­são da ONU so­bre a Con­di­ção da Mu­lher.

Ruth Men­des, que che­fia uma de­le­ga­ção de de­pu­ta­das an­go­la­nas na­que­la reu­nião, disse que as ac­ções de for­ma­ção re­a­li­za­das pe­lo Gru­po de Mulheres Parlamentares têm aju­da­do as mulheres a ad­qui­rir fer­ra­men­tas que lhes per­mi­tem en­ca­rar a ques­tão da de­si­gual­da­de de gé­ne­ro de for­ma pro­fun­da e abran­gen­te. Ruth Men­des afir­mou que a Re­de de Mulheres Parlamentares in­flu­en­cia e de­fen­de no Par­la­men­to a pri­o­ri­da­de da apro­va­ção de le­gis­la­ção que pri­vi­le­gie e fo­men­te a igual­da­de de gé­ne­ro.

“Es­tas es­tru­tu­ras são trans­ver­sais a to­dos os par­ti­dos po­lí­ti­cos e exis­te uma re­pre­sen­ta­ti­vi­da­de par­ti­dá­ria que no seu pa­pel de divulgação, vi­si­bi­li­da­de das su­as ac­ções e im­ple­men­ta­ção de pro­jec­tos, per­mi­te le­var a te­má­ti­ca de gé­ne­ro a ou­tros cír­cu­los, pro­mo­ven­do o in­ter­câm­bio e in­fluên­ci­as ne­ces­sá­ri­os pa­ra se al­te­rar o con­tex­to de de­si­gual­da­de”, sa­li­en­tou.

No to­can­te ao re­for­ço do pa­pel eco­nó­mi­co da mu­lher em si­tu­a­ção de con­fli­to e pós-con­fli­to, prin­ci­pal­men­te de­sa­lo­ja­das e re­fu­gi­a­das ace­de­rem a es­sas opor­tu­ni­da­des, a de­pu­ta­da Ruth Men­des re­cor­reu à ex­pe­ri­ên­cia de An­go­la na dis­tri­bui­ção de par­ce­las de ter­ra e se­men­tes de pro­du­tos tra­di­ci­o­nal­men­te ge­ra­dos nas re­giões de as­sen­ta­men­to des­sas po­pu­la­ções.

A for­ma­ção so­bre pro­du­ção agro­pe­cuá­ria, sis­te­mas de ir­ri­ga­ção, pro­ces­sa­men­to ali­men­tar pa­ra me­lho­rar o ren­di­men­to das fa­mí­li­as, o Pro­gra­ma de Lu­ta Con­tra a Po­bre­za, o aces­so ao mi­cro­cré­di­to e a cri­a­ção de co­o­pe­ra­ti­vas agrí­co­las e no sec­tor mi­nei­ro são ou­tras ac­ções de­sen­vol­vi­das pe­las au­to­ri­da­des an­go­la­nas des­ta­ca­das por Ruth Men­des.

A par­la­men­tar res­sal­tou que o Go­ver­no an­go­la­no es­ta­be­le­ceu co­mo pro­gra­ma de ac­ção fun­da­men­tal a va­lo­ri­za­ção da fa­mí­lia e a me­lho­ria das su­as con­di­ções eco­nó­mi­cas, sociais, cul­tu­rais e po­lí­ti­cas, pa­ra que pos­sa de­sem­pe­nhar a sua fun­ção nu­cle­ar na so­ci­e­da­de, com res­pei­to da sua iden­ti­da­de, uni­da­de, au­to­no­mia e va­lo­res tra­di­ci­o­nais.

“Foi também cri­a­do o Pla­no de Ac­ção Na­ci­o­nal so­bre a fa­mí­lia, que é um ins­tru­men­to de po­lí­ti­ca ori­en­ta­do pa­ra dar res­pos­ta às exi­gên­ci­as ac­tu­ais fa­ce à di­nâ­mi­ca da evo­lu­ção das ques­tões e fe­nó­me­nos sociais re­la­ci­o­na­dos com as fa­mí­li­as em An­go­la”.

A par­la­men­tar re­fe­riu-se ao Pro­gra­ma Na­ci­o­nal de De­sen­vol­vi­men­to da Mu­lher Ru­ral, que tem co­mo ob­jec­ti­vo con­du­zir um pro­ces­so de diá­lo­go em to­da a ex­ten­são do ter­ri­tó­rio na­ci­o­nal.

A de­le­ga­ção par­la­men­tar an­go­la­na à 61.ª ses­são da Co­mis­são da ONU so­bre a Con­di­ção da Mu­lher é in­te­gra­da pe­las de­pu­ta­das Ma­ria Jo­sé Gou­veia Al­fre­do e So­fia Por­fí­rio Mus­son­gue­la.

ANGOP

Ruth Men­des re­al­ça contributo do Par­la­men­to na eli­mi­na­ção de to­do o ti­po de dis­cri­mi­na­ção

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.