Eu­cli­des da Lom­ba é figura de car­taz no Es­pa­ço Aplau­sos

Au­tor de “Tchut­cha” e “De­se­jo Ma­lan­dro” ac­tua com a Ban­da Ma­ra­vi­lha na cen­tra­li­da­de do Se­que­le

Jornal de Angola - - PARTADA - Ro­que Sil­va

Eu­cli­des da Lom­ba e a Ban­da Ma­ra­vi­lha le­vam o me­lhor da sua dis­co­gra­fia à Cen­tra­li­da­de do Se­que­le, em Ca­cu­a­co, num con­cer­to a ser re­a­li­za­do ama­nhã, a par­tir das 10h00, no re­cin­to cul­tu­ral Es­pa­ço Aplau­sos.

O es­pec­tá­cu­lo vai ce­le­brar o pri­mei­ro aniversário do re­fe­ri­do es­pa­ço de for­ma­ção e pro­mo­ção de ar­tes e cul­tu­ra, e além da música, o pú­bli­co tem a opor­tu­ni­da­de de apre­ci­ar os pra­tos tí­pi­cos de vá­ri­as re­giões do país.

Aguar­da­dos com ex­pec­ta­ti­va na Cen­tra­li­da­de do Se­que­le, por ser a pri­mei­ra vez que a ci­da­de re­ce­be no­mes con­sa­gra­dos da música an­go­la­na, Eu­cli­des da Lom­ba e os “Em­bai­xa­do­res do Sem­ba” re­a­li­zam per­for­man­ces in­ter­ca­la­das, com a du­ra­ção de du­as ho­ras.

O tem­po é su­fi­ci­en­te para en­tre­ter o pú­bli­co e os re­per­tó­ri­os, com um to­tal de 20 te­mas, dois con­vi­tes aos apre­ci­a­do­res dos es­ti­los que pre­do­mi­nam a dis­co­gra­fia de am­bos, on­de o sem­ba, ki­zom­ba, bo­le­ro e rum­ba têm mai­or no­to­ri­e­da­de.

A Ban­da Ma­ra­vi­lha pro­põe-se in­ter­pre­tar can­ções iné­di­tas, pre­vis­tas para in­cluir no quin­to dis­co de ori­gi­nais “En­tre Ami­gos”, cu­ja fi­na­li­za­ção es­tá com­pro­me­ti­da por di­fi­cul­da­des fi­nan­cei­ras.

Se­gun­do o ba­te­ris­ta Ma­ri­to Fur­ta­do, a per­for­man­ce da Ban­da Ma­ra­vi­lha é ba­se­a­da nu­ma mon­ta­da há al­gum tem­po e apre­sen­ta­da nou­tros lo­cais on­de o con­jun­to se exi­be com re­gu­la­ri­da­de, des­ta­can­do te­mas co­mo “Meu amor da rua 11”, “Pa­la­me”, “Re­bi­ta”, “Ngui­ta­bué” e “Ngu­xi”, dos ál­buns “An­go­la Ma­ra­vi­lha” (1997), “Sem­ba Lu­an­da” (2001), “Zun­guei­ra” (2005) e “A Ma­ra­vi­lha e os Kam­bas” (2006).

A ac­tu­al for­ma­ção dos Em­bai­xa­do­res do Sem­ba in­te­gra Mo­rei­ra Fi­lho (vi­o­la bai­xo e voz), Ma­ri­to Fur­ta­do (ba­te­ria), Mi­quei­as Ra­mi­ro (te­cla­dos), Isaú Bap­tis­ta (gui­tar­ra e voz), Luís Costa (per­cus­são) e Dja­ni­ra Mer­ce­des (co­ros). Pe­la ban­da pas­sa­ram tam­bém Car­li­tos Vi­ei­ra Di­as (so­lo e voz), João­zi­nho Mor­ga­do (tum­bas), Ki­ni­to Trin­da­de (bai­xo) já fa­le­ci­do, Ru­fi­no Ci­pri­a­no (te­clas), Car­los Ve­nân­cio e Ne­las do Som (gui­tar­ra), Chi­co San­tos (tum­bas e voz), Pi­ri­ka Duia (vi­o­lão e voz) e João Oliveira (te­clas). De Ca­bin­da a Lu­an­da sur­ge, uma vez mais, a Lu­an­da o ro­mân­ti­co mú­si­co e com­po­si­tor para re­cor­dar os mais de trin­ta anos de car­rei­ra, cu­jo iní­cio em 1998 fi­ca mar­ca­do pe­lo pri­mei­ro gran­de si­nal de su­ces­so, com o lan­ça­men­to do ál­bum “Li­vre Se­rás”.

Es­se deu sequên­cia aos dis­cos “De­se­jo Ma­lan­dro”, em 2000, “3 em 1 CD - Gran­des Su­ces­sos”, (2016) e “País Que Ve­ne­ro”, apre­sen­ta­do em Fe­ve­rei­ro, que in­te­gram can­ções co­mo “Ca­so de Amor e Ter­nu­ra”, “An­gús­tia Fa­tal”, “Tchut­cha”, “Re­gres­sa”, “Bus­can­do seu Cor­po”, “Pa­ran­dei­ra”, “Jei­to Atre­vi­do”, “Mil Mo­ti­vos”, “De­se­jo Ma­lan­dro”, “Re­ca­do dum Sem­ba” e “Quem me Ama”, to­das elas par­te do ali­nha­men­to que tem o su­por­te ins­tru­men­tal da Ban­da Ma­ra­vi­lha.

Com cré­di­tos fir­ma­dos, Eu­cli­des da Lom­ba que já re­a­li­zou mais de 280 per­for­man­ces em di­ver­si­fi­ca­dos even­tos, co­me­çou a car­rei­ra mu­si­cal co­mo tro­va­dor, em 1984, em Cu­ba, na Ilha da Ju­ven­tu­de, on­de fez a sua for­ma­ção aca­dé­mi­ca.

As ac­tu­a­ções da ban­da e do mú­si­co são an­te­ce­di­das de música am­bi­en­te, por Dj Ni­box. O pro­du­tor da ac­ti­vi­da­de e ges­tor do es­pa­ço in­for­mou que o ar­tis­ta re­a­li­za uma ses­são de ven­das e as­si­na­tu­ra de au­tó­gra­fos da sua dis­co­gra­fia.

Em de­cla­ra­ções ao Jor­nal de An­go­la, Ca­bin­ga­no Ma­nu­el deu a co­nhe­cer que além do ca­rác­ter cul­tu­ral, a ac­ti­vi­da­de tem o seu cu­nho so­ci­al pois as ver­bas ad­qui­ri­das com a ven­das dos bi­lhe­tes ser­vem para a ma­nu­ten­ção do Es­pa­ço Aplau­sos e as au­las de música, te­a­tro e dan­ça (bal­let) que ne­le lec­ci­o­nam.

Na oca­sião, dis­se, as ins­ti­tui­ções e pes­so­as sin­gu­la­res par­cei­ras do pro­jec­to de for­ma­ção e pro­mo­ção de ar­tes e cul­tu­ra vão ser dis­tin­gui­das com di­plo­mas de mé­ri­to.

O es­pec­tá­cu­lo vai ce­le­brar o pri­mei­ro aniversário do Es­pa­ço Aplau­sos de for­ma­ção e pro­mo­ção de ar­tes e cul­tu­ra

PAU­LO MULAZA | EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO Au­tor de “Li­vre Se­rás” é o car­taz do es­pec­tá­cu­lo de ama­nhã na cen­tra­li­da­de do Se­que­le

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.