Seul fa­la em im­pa­ci­ên­cia e ame­a­ça com uma re­ta­li­a­ção

Jornal de Angola - - MUNDO -

da Co­reia do Sul, Mo­on Jae-in, afir­mou que o seu país tem po­der su­fi­ci­en­te para des­truir a Co­reia do Nor­te e vol­tou a in­sis­tir na im­por­tân­cia das san­ções in­ter­na­ci­o­nais, se­gun­do a agên­cia Reuters.

Na sequên­cia do no­vo teste ba­lís­ti­co re­a­li­za­do pe­lo vi­zi­nho do Nor­te, Mo­on Ja­ein rei­te­rou que o diá­lo­go com o Go­ver­no nor­te-coreano é “im­pos­sí­vel nu­ma si­tu­a­ção co­mo es­ta” e, nes­se sen­ti­do, dei­xou uma ame­a­ça ao país vi­zi­nho. “No ca­so de a Co­reia de Nor­te con­ti­nu­ar a re­a­li­zar pro­vo­ca­ções con­tra nós ou con­tra o nos­so ali­a­do, te­mos o po­der para des­truí-los de uma for­ma em que não se­rá pos­sí­vel re­cu­pe­ra­rem”, afir­mou Mo­on Jae-in, se­gun­do o jor­nal The In­de­pen­dent, que ci­tou a agên­cia sul­co­re­a­na Yo­nhap.

“O diá­lo­go é im­pos­sí­vel nu­ma si­tu­a­ção co­mo es­ta. As san­ções in­ter­na­ci­o­nais e a pres­são vão for­çar a Co­reia do Nor­te a não ter ou­tra op­ção se­não avan­çar para um ca­mi­nho de diá­lo­go ge­nuí­no”, acres­cen­tou.

O ban­co cen­tral sul­co­re­a­no con­vo­cou para on­tem uma reu­nião de emer­gên­cia para ana­li­sar o im­pac­to nos mer­ca­dos fi­nan­cei­ros na­ci­o­nais do mais re­cen­te mís­sil lan­ça­do pe­lo Go­ver­no de Pyongyang, se­gun­do a agên­cia de no­tí­ci­as Yo­nhap. Du­ran­te o en­con­tro, o Ban­co da Co­reia de­ci­diu re­ver os pla­nos de con­tin­gên­cia para es­ta­bi­li­zar os mer­ca­dos. A bol­sa de Seul abriu a ses­são com per­das nos seus dois ín­di­ces de­pois do lan­ça­men­to nor­te-coreano, que te­ve lu­gar an­tes da aber­tu­ra da­que­la pra­ça fi­nan­cei­ra. De­cor­ri­dos 40 mi­nu­tos de­pois da aber­tu­ra, o ín­di­ce de re­fe­rên­cia sul-coreano, o Kos­pi, acu­mu­la­va per­das de 0,38 por cen­to, e co­tou-se nos 2 mil e 368,66 pontos.

O Pre­si­den­te

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.