Ra­ting da dí­vi­da bem clas­si­fi­ca­do

Jornal de Angola - - ECONOMIA -

A agên­cia de no­ta­ção fi­nan­cei­ra Stan­dard and Po­or’s (S&P) ti­rou on­tem a no­ta de Por­tu­gal do “li­xo”, re­ven­do em al­ta o “ra­ting” atri­buí­do à dí­vi­da so­be­ra­na por­tu­gue­sa de BB+ para BBB-, um pri­mei­ro ní­vel de in­ves­ti­men­to.

Com es­ta re­vi­são em al­ta com pers­pec­ti­va “es­tá­vel”, Por­tu­gal vol­ta a ter uma no­ta­ção de in­ves­ti­men­to, atri­buí­da por uma das três prin­ci­pais agên­ci­as de “ra­ting” mun­di­ais.

Des­de 2015 que a agên­cia atri­buía à dí­vi­da so­be­ra­na por­tu­gue­sa um “ra­ting” BB+, a no­ta mais ele­va­da de não in­ves­ti­men­to, com uma pers­pec­ti­va “es­tá­vel”.

O pri­mei­ro-mi­nis­tro de Por­tu­gal, An­tó­nio Cos­ta, va­lo­ri­zou a “boa no­tí­cia” que é a su­bi­da do “ra­ting” de Por­tu­gal por par­te da Stan­dard and Po­or’s (S&P), de­cla­ran­do que es­ta de­ci­são irá per­mi­tir me­lho­res con­di­ções de fi­nan­ci­a­men­to do país nos mer­ca­dos.

“Es­ta no­ta­per­mi­te-nos ob­vi­a­men­te me­lho­res con­di­ções de fi­nan­ci­a­men­to”, que têm por in­tui­to final a re­du­ção do dé­fi­ce e da dí­vi­da, “de um mo­do mais du­ra­dou­ro” ser da­da con­ti­nui­da­de à po­lí­ti­ca ac­tu­al sem “ris­cos de no­vos re­cu­os”, de­cla­rou o che­fe do Go­ver­no.

Es­se tra­jec­to, dis­se An­tó­nio Cos­ta, vi­sa co­lo­car o país a cres­cer “de um mo­do só­li­do, a cri­ar em­pre­go, a me­lho­rar o ren­di­men­to das fa­mí­li­as por­tu­gue­sas e, so­bre­tu­do, a cri­ar e re­for­çar as con­di­ções de con­fi­an­ça dos in­ves­ti­do­res” in­ter­na­ci­o­nais e na­ci­o­nais.

Por­tu­gal en­fren­tou, em 2011, uma cri­se que obri­gou o país a so­li­ci­tar um res­ga­te eco­nó­mi­co ao FMI e à União Eu­ro­peia.

WIKIMEDIA COMMONS Dí­vi­da pú­bli­ca por­tu­gue­sa atin­ge ní­vel de in­ves­ti­men­to

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.