Cor­rei­os abrem no­vas es­ta­ções

Jornal de Angola - - PARTADA - Ana Pau­lo

Os Cor­rei­os ins­ta­lam, até ao fim de Mar­ço, seis es­ta­ções em áre­as de ele­va­da con­cen­tra­ção po­pu­la­ci­o­nal em Lu­an­da, en­tre as quais o Cazenga, No­va Vida e Ta­la­to­na.

Os Cor­rei­os de An­go­la (CA) ins­ta­lam, até ao fim de Mar­ço, seis es­ta­ções em áre­as de ele­va­da con­cen­tra­ção po­pu­la­ci­o­nal e de ser­vi­ços em Lu­an­da, en­tre as quais o Cazenga, No­va Vida e Ta­la­to­na, in­for­mou on­tem o se­cre­tá­rio de Es­ta­do das Te­le­co­mu­ni­ca­ções.

Má­rio Oli­vei­ra dis­se a re­pre­sen­tan­tes da im­pren­sa es­tran­gei­ra que os tra­ba­lhos já es­tão em cur­so e que os Cor­rei­os es­tão a co­la­bo­rar com as ad­mi­nis­tra­ções mu­ni­ci­pais pa­ra ad­qui­ri­rem ter­re­nos e áre­as on­de se pos­sam ins­ta­lar as no­vas es­ta­ções.

Nu­ma pri­mei­ra fa­se, adi­an­tou, vão ser ins­ta­la­dos con­ten­to­res mó­veis pa­ra avan­çar com o tra­ba­lho e evi­tar, já, o in­con­ve­ni­en­te dos cli­en­tes dos Cor­rei­os de An­go­la te­rem de se des­lo­car pa­ra bair­ros dis­tan­tes pa­ra usu­fru­to dos ser­vi­ços.

“Es­ta­mos a tra­ba­lhar no sen­ti­do de acom­pa­nhar o cres­ci­men­to da ci­da­de, pa­ra que pos­sa­mos, jun­to dos ci­da­dãos, aten­der os mais va­ri­a­dos ser­vi­ços, des­de car­tas, en­co­men­das pos­tais, fi­la­te­lia e ou­tros”, fri­sou.

O se­cre­tá­rio de Es­ta­do anun­ci­ou que cons­ta tam­bém da car­tei­ra de ac­ti­vi­da­des a re­a­li­za­ção de um pro­ces­so de ac­tu­a­li­za­ção e cri­a­ção do có­di­go pos­tal do­mi­ci­li­ar, um tra­ba­lho que re­co­nhe­ceu ser atu­ra­do, mas que, a ser bem su­ce­di­do, vai vi­a­bi­li­zar, den­tre ou­tras ac­ti­vi­da­des, a co­bran­ça e o pa­ga­men­to de ser­vi­ços so­ci­ais co­mo água, ener­gia e ou­tros.

A pre­si­den­te do con­se­lho de ad­mi­nis­tra­ção dos Cor­rei­os de An­go­la , Ma­ria An­dra­de, as­si­na­lou a ma­te­ri­a­li­za­ção de um Pla­no Di­rec­tor adop­ta­do em 2015, com 33 pro­jec­tos pa­ra a in­tro­du­ção de ser­vi­ços fi­nan­cei­ros pos­tais, ex­pres­so e lo­gís­ti­ca e iden­ti­fi­ca­ção pa­tri­mo­ni­al.

Já es­tá em cur­so a in­tro­du­ção dos ser­vi­ços fi­nan­cei­ros pos­tais em par­ce­ria com ins­ti­tui­ções pri­va­das, on­de os Cor­rei­os de An­go­la apa­re­cem co­mo ope­ra­dor pú­bli­co com uma per­cen­ta­gem de 22,5 por cen­to e um par­cei­ro es­ta­tal, que é a ENSA, com 10 por cen­to.

Os Cor­rei­os de An­go­la apos­tam na dis­po­ni­bi­li­za­ção dos ser­vi­ços pos­tais nos mu­ni­cí­pi­os e co­mu­nas das zo­nas mais recôn­di­tas do país, afir­mou Ma­ria An­dra­de, la­men­tan­do, con­tu­do, a con­ten­ção de gas­tos que, des­de 2015, im­pe­de a ex­pan­são.

Os Cor­rei­os de An­go­la atra­ves­sam di­fi­cul­da­des pa­ra fa­zer fa­ce, até, aos ser­vi­ços diá­ri­os, que re­pre­sen­tam gran­des cus­tos, não po­den­do, tam­bém, ad­qui­rir uma fro­ta au­to­mó­vel con­sen­tâ­nea com os de­sa­fi­os.

EDU­AR­DO PE­DRO | EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO

Fun­ci­o­ná­ri­os do ser­vi­ço de lo­gís­ti­ca em azá­fa­ma per­ma­nen­te

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.