Mais ca­pa­ci­ta­ção aos mu­ni­cí­pi­os

Ana Pau­la de Car­va­lho de­fen­de mais po­de­res às ad­mi­nis­tra­ções lo­cais pa­ra res­pon­der à pro­ble­má­ti­ca das re­ser­vas fun­diá­ri­as

Jornal de Angola - - POLÍTICA - João Upa­le | Mo­çâ­me­des

A mi­nis­tra do Or­de­na­men­to do Ter­ri­tó­rio e Ha­bi­ta­ção, Ana Pau­la de Car­va­lho, de­fen­deu, na ci­da­de de Mo­çâ­me­des (Na­mi­be) a ne­ces­si­da­de de po­ten­ci­a­li­za­ção das ad­mi­nis­tra­ções lo­cais no sen­ti­do de es­ta­rem ca­pa­ci­ta­das pa­ra dar res­pos­tas às so­li­ci­ta­ções re­la­ci­o­na­das com a pro­ble­má­ti­ca fun­diá­ria, em ge­ral, e, em par­ti­cu­lar, com mé­to­dos ino­va­do­res e cé­le­res pa­ra in­fra-es­tru­tu­ra­ção das re­ser­vas fun­diá­ri­as.

Ana Pau­la de Car­va­lho fa­la­va na aber­tu­ra do en­con­tro me­to­do­ló­gi­co e téc­ni­co so­bre o Or­de­na­men­to e Ha­bi­ta­ção de­cor­ri­do na ci­da­de de Mo­çâ­me­des, em ac­to tes­te­mu­nha­do pe­los vi­ce-go­ver­na­do­res pa­ra o sec­tor téc­ni­co e in­fra-es­tru­tu­ras das pro­vín­ci­as de Ben­gue­la, Cu­ne­ne, Cu­an­do-Cu­ban­go, Huí­la e Na­mi­be.

A dis­po­ni­bi­li­za­ção de ter­re­nos in­fra - es­tru­tu­ra­dos e le­ga­li­za­dos pa­ra fa­mí­li­as que pre­ten­dam cons­truir a ca­sa pró­pria me­di­an­te o re­gi­me da cons­tru­ção di­ri­gi­da, sim­pli­fi­ca­ção dos pro­ces­sos pa­ra atri­bui­ção de tí­tu­los de con­ces­são, bem co­mo a dis­po­ni­bi­li­za­ção às fa­mí­li­as agrí­co­las de ter­re­nos pa­ra o cul­ti­vo, cons­tam das ques­tões ti­das co­mo pri­o­ri­tá­ri­as pa­ra o mi­nis­té­rio.

A mi­nis­tra dis­se que o con­jun­to de in­for­ma­ções que fo­ram trans­mi­ti­das pe­los pre­lec­to­res aos ad­mi­nis­tra­do­res mu­ni­ci­pais vão ser­vir de ba­se pa­ra con­tri­bui­ções im­por­tan­tes so­bre ma­té­ri­as que fo­ram apre­sen­ta­das no en­con­tro.

Ana Pau­la de Car­va­lho lem­brou que o mi­nis­té­rio tem co­mo mis­são de­fi­nir, exe­cu­tar e co­or­de­nar a es­tra­té­gia e po­lí­ti­ca de or­de­na­men­to do ter- ri­tó­rio das cidades e da ha­bi­ta­ção, com vis­ta a pro­mo­ção de um de­sen­vol­vi­men­to har­mo­ni­o­so e am­bi­en­tal­men-te sus­ten­tá­vel, nu­ma ló­gi­ca pai­sa­gís­ti­ca, ur­ba­na, eco­nó­mi­ca, so­ci­al e cul­tu­ral.

Pa­ra Ana Pau­la de Car­va­lho, a des­cen­tra­li­za­ção ad­mi­nis­tra­ti­va, bem co­mo a re­for­ma de procedimentos ad­mi­nis­tra­ti­vos e for­ta­le­ci­men­to das ins­ti­tui­ções, vai tor­nar a ad­mi­nis­tra­ção mu­ni­ci­pal do Es­ta­do nu­ma unidade de “pres­ta­ção de ser­vi­ço pú­bli­co por ex­ce­lên­cia”, trans­fe­rin­do pa­ra ela as prin­ci­pais ta­re­fas no do­mí­nio da sa­tis­fa­ção das ne­ces­si­da­des co­lec­ti­vas es­sen­ci­ais.

A pro­ble­má­ti­ca de di­rei­tos fun­diá­ri­os (ges­tão fun­diá­ria), a ne­ces­si­da­de de o Or­de­na­men­to do Ter­ri­tó­rio im­por o cru­za­men­to e a ame­ni­za­ção dos vá­ri­os ti­pos de pla­nos exis­ten­tes à ní­vel do país, as es­tra­té­gi­as a cur­to e mé­dio pra­zo, as­sim co­mo a ati­tu­de sis­te­má­ti­ca da ava­li­a­ção da sua apli­ca­ção prá­ti­ca e dos cus­tos dos in­ves­ti­men­tos, de­ve­rá ser da­da uma aten­ção es­pe­ci­al em fun­ção das ca­rac­te­rís­ti­cas pró­pri­as de ca­da re­gião, pa­ra fa­ci­li­tar a so­lu­ção dos pro­ble­mas li­ga­dos à cons­tru­ção de in­fra-es­tru­tu­ras e de ha­bi­ta­ções. O pro­pó­si­to, se­gun­do a mi­nis­tra, é re­du­zir os en­car­gos e fa­ci­li­tar a sua in­te­gra­ção har­mo­ni­o­sa no am­bi­en­te. “De­ve­mos adop­tar pa­ra to­das as lo­ca­li­da­des quer a ní­vel mu­ni­ci­pal, pro­vin­ci­al, res­pec­ti­va­men­te, pla­nos de or­de­na­men­to de ter­ri­tó­rio, me­di­da que de­ve ser acom­pa­nha­da da pro­mo­ção de uma cul­tu­ra de res­pei­to pe­lo in­te­res­se pú­bli­co, co­nhe­cer aos ín­di­ces ele­va­dos de ocu­pa­ção ile­gal de ter­re­nos e de cons­tru­ção de­sor­de­na­da e clan­des­ti­na”,re­fe­riu.

O en­con­tro me­to­do­ló­gi­co e téc­ni­co so­bre o Or­de­na­men­to e Ha­bi­ta­ção mi­nis­tra­do pe­los especialistas se­ni­o­res do seu mi­nis­té­rio abor­dou te­mas co­mo “O Di­rei­to fun­diá­rio”, “Or­de­na­men­to do ter­ri­tó­rio”e “Ava­li­a­ção técnica so­bre im­ple­men­ta­ção de pro­jec­tos de in­fra-es­tru­tu­ra­ção de ter­ra”.

En­tre­ga de ca­sas

As pri­mei­ras ca­sas da cen­tra­li­da­de do 5 de Abril, em Mo­çâ­me­des, co­me­ça­ram a ser en­tre­gues na quar­ta-fei­ra, pa­ra sua co­mer­ci­a­li­za­ção e con­se­quen­te ocu­pa­ção. O ac­to for­mal foi ori­en­ta­do pe­la mi­nis­tra do Or­de­na­men­to do Ter­ri­tó­rio e Ha­bi­ta­ção, Ana Pau­la de Car­va­lho. Nu­ma pri­mei­ra fa­se, se­gun­do o as­ses­sor da Imo­ges­tim, Má­rio Guer­ra, a dis­tri­bui­ção é parcial.

Das du­as mil ha­bi­ta­ções que com­pre­en­de a ur­ba­ni­da­de do 5 de Abril, es­tão dis­po­ní­veis (nes­sa pri­mei­ra fa­se) 584 mo­ra­di­as, das quais cem são apar­ta­men­tos. “É o que está dis­po­ní­vel, em fun­ção da exe­cu­ção das in­fra-es­tru­tu­ras ex­ter­nas”, ar­gu­men­tou.

Má­rio Guer­ra ga­ran­te ha­ver, pa­ra es­sas ha­bi­ta­ções que co­me­ça­ram a ser dis­tri­buí­das, con­di­ções de ha­bi­ta­bi­li­da­de, co­mo ener­gia eléc­tri­ca, abas­te­ci­men­to de água, re­co­lha dos re­sí­du­os só­li­dos, bem co­mo o tra­ta­men­to dos es­go­tos.

Mi­nis­tra de­fen­de a adop­ção de pla­nos de or­de­na­men­to de ter­ri­tó­rio, me­di­da que de­ve ser acom­pa­nha­da da pro­mo­ção de uma cul­tu­ra de res­pei­to pe­lo in­te­res­se pú­bli­co

JOÃO GO­MES | EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO Mi­nis­tra ori­en­tou en­con­tro me­to­do­ló­gi­co e téc­ni­co so­bre o Or­de­na­men­to e Ha­bi­ta­ção

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.