Or­ga­ni­za­ção man­tém os va­lo­res dos pré­mi­os

En­car­gos as­som­bram o Car­na­val, mas os me­ce­nas mos­tram-se ir­re­du­tí­veis no apoio

Jornal de Angola - - CULTURA -

A Co­mis­são Pro­vin­ci­al do Car­na­val de Lu­an­da ga­ran­te es­ta­rem dis­po­ní­veis os 15 mi­lhões de kwan­zas re­fe­ren­tes aos pré­mi­os dos cin­co pri­mei­ros clas­si­fi­ca­dos das clas­ses A, B (adul­tos) e C (in­fan­til) do En­tru­do, com os des­fi­les agen­da­dos pa­ra os di­as 10, 11 e 13 de Fe­ve­rei­ro, res­pec­ti­va­men­te, na Mar­gi­nal da Praia do Bis­po.

Os da­dos fo­ram avan­ça­dos on­tem pe­lo co­or­de­na­dor da co­mis­são, num en­con­tro com os Ór­gãos de Co­mu­ni­ca­ção So­ci­al, que dá con­ta que os va­lo­res mo­ne­tá­ri­os dos pré­mi­os são os mes­mos atri­buí­dos na edi­ção an­te­ri­or.

Aos 15 mi­lhões de kwan­zas já guar­da­dos, co­mo re­fe­riu Manuel Se­bas­tião, são acres­ci­dos ou­tros va­lo­res pa­ra ga­ran­tir a re­mu­ne­ra­ção do gru­po ho­me­na­ge­a­do da pre­sen­te edi­ção, o União Jo­vens da Ca­cim­ba, da Mai­an­ga, que re­ce­be 1.500.000 kwan­zas.

A clas­se A ame­a­lha a fa­tia mai­or, sen­do um to­tal de 9.200.000 kwan­zas, o que per­mi­te o pa­ga­men­to de três mi­lhões ao vencedor, dois mi­lhões ao se­gun­do clas­si­fi­ca­do, um 1.200.000 ao ter­cei­ro, um mi­lhão ao quar­to e o prémio de 800 mil kwan­zas ao quin­to.

À Clas­se B (adul­tos) é ad­ju­di­ca­do quatro mi­lhões de kwan­zas, a ser re­par­ti­do em 1.500.000 pa­ra o pri­mei­ro clas­si­fi­ca­do, um mi­lhão, 600 mil kwan­zas, 500 mil e 400 mil pa­ra pre­mi­ar do se­gun­do ao quin­to clas­si­fi­ca­dos, res­pec­ti­va­men­te.

Pa­ra os Cas­su­les es­tão dis­po­ní­veis um to­tal de 2.800.000 kwan­zas. Es­te va­lor é di­vi­di­do em um mi­lhão de kwan­zas pa­ra o vencedor, 700 mil pa­ra o se­gun­do, 500 mil kwan­zas pa­ra o (3.º), 350 mil pa­ra o (4.º) e 250 mil pa­ra o (5.º).

En­car­gos fi­nan­cei­ros

O Car­na­val de 2018 tem en­car­gos or­ça­dos em 156 mi­lhões de kwan­zas, quan­do na ver­da­de a equi­pa técnica ha­via pro­jec­ta­do 170 mi­lhões pa­ra to­das as des­pe­sas ligadas a or­ga­ni­za­ção e apoio aos gru­pos.

Manuel Se­bas­tião in­for­mou que deste va­lor vão ser pa­gos os jú­ris, o alu­guer e mon­ta­gem das in­fra-es­tru­tu­ras (ban­ca­das), o equi­pa­men­to de som e de ilu­mi­na­ção, os 65 au­to­car­ros pa­ra a des­lo­ca­ção dos gru­pos, os es­tú­di­os de gra­va­ção das can­ções, edi­ção dos dis­cos com a mú­si­cas dos gru­pos das três clas­ses, mar­ke­ting e publicidade (re­vis­tas) e da for­ça de tra­ba­lho.

Aos 15 mi­lhões de kwan­zas já guar­da­dos são acres­ci­dos ou­tros va­lo­res pa­ra ga­ran­tir a re­mu­ne­ra­ção do gru­po ho­me­na­ge­a­do da pre­sen­te edi­ção

O co­or­de­na­dor Co­mis­são Pro­vin­ci­al do Car­na­val do Lu­an­da des­ta­cou ain­da a con­tri­bui­ção do me­ce­na­to cul­tu­ral pa­ra a efec­ti­va­ção do En­tru­do na ca­pi­tal, ape­sar do es­for­ço efec­tu­a­do pe­lo Mi­nis­té­rio da Cul­tu­ra que acres­ceu mais va­lo­res aos sub­sí­di­os dos gru­pos pa­ra per­mi­tir uma re­pre­sen­ta­ção mais con­dig­na.

“Es­ta­mos a fa­zer um es­for­ço pa­ra fa­zer um Car­na­val pos­sí­vel, por­que ape­sar das di­fi­cul­da­des, os gru­pos es­tão mo­ti­va­dos em ofe­re­cer uma fes­ta po­pu­lar dig­na ao Pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca, por ser o seu pri­mei­ro. Al­gu­mas em­pre­sas es­tão apoi­ar a co­mis­são pre­pa­ra­tó­ria e gru­pos, por is­so va­mos fes­te­jar”.

KINDALA MANUEL | EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO Co­mis­são Pre­pa­ra­tó­ria Pro­vin­ci­al afi­na a má­qui­na car­na­va­les­ca

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.