Lí­der sin­di­cal diz que Uni­ver­si­da­des pri­va­das ex­plo­ram o ho­mem

Jornal de Angola - - SOCIEDADE -

do Sin­di­ca­to dos Pro­fes­so­res do En­si­no Su­pe­ri­or afir­mou que não há re­gu­la­men­ta­ção da car­rei­ra do­cen­te nas uni­ver­si­da­des pri­va­das, um ele­men­to de­ter­mi­nan­te nas ins­ti­tui­ções do en­si­no su­pe­ri­or. “Ho­je, to­do mun­do é pro­fes­sor. O in­di­ví­duo que aca­ba a li­cen­ci­a­tu­ra, por ser fi­lho ou amigo, e pa­ra pa­gar pou­co, os pro­mo­to­res pre­fe­rem es­tes li­cen­ci­a­dos em de­tri­men­to dos mes­tres e dou­to­res e não há uma ins­pec­ção es­co­lar no en­si­no su­pe­ri­or.”

Eduardo Peres as­se­ve­rou que “o pro­ble­ma sa­la­ri­al nas uni­ver­si­da­des pri­va­das dei­xa mui­to a de­se­jar, por­que es­tá re­ser­va­do uni­ca­men­te ao cri­té­rio da en­ti­da­de pa­tro­nal, no ca­so o pro­mo­tor.” In­for­mou que os pro­fes­so­res em mui­tas des­tas uni­ver­si­da­des as­si­nam um acor­do, mas de­pois élhes pa­go um sa­lá­rio mi­se­rá­vel, ou se­ja, mui­to abai­xo da re­a­li­da­de.

“Há sem­pre uma men­ti­ra pú­bli­ca e o mi­nis­té­rio de­ve ac­tu­ar”, re­ve­lou, afir­man­do que as ins­ti­tui­ções pri­va­das do en­si­no su­pe­ri­or en­ga­nam e ex­plo­ram o pes­so­al do­cen­te. “Os pro­fes­so­res que só tra­ba­lham nas ins­ti­tui­ções do en­si­no pri­va­do são ex­plo­ra­dos. Há ex­plo­ra­ção de homens. Os sa­lá­ri­os são in­di­ca­dos a bel-pra­zer pe­los pro­mo­to­res. O sin­di­ca­to, no qua­dro da ini­ci­a­ti­va le­gis­la­ti­va, vai tra­ba­lhar na ela­bo­ra­ção de uma re­gu­la­men­ta­ção”, fri­sou.

O se­cre­tá­rio- ge­ral

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.