Fo­tó­gra­fo apre­sen­ta “Mu­lhe­res In­vi­sí­veis”

Jornal de Angola - - CULTURA -

Uma ex­po­si­ção in­di­vi­du­al do fo­tó­gra­fo sul-afri­ca­no Sabelo Mlangeni é inau­gu­ra­da ama­nhã, às 18h30, no Me­mo­ri­al Dr. An­tó­nio Agos­ti­nho Ne­to, no qua­dro da ter­cei­ra edi­ção da pla­ta­for­ma de fo­to­gra­fia pan-afri­ca­na “Vi­drul Con­vi­da”.

In­se­ri­da na pro­gra­ma­ção do “Vi­drul Fo­to­gra­fia 2018”, a mos­tra que reú­ne 32 obras de ar­te do fo­tó­gra­fo sul-afri­ca­no in­ti­tu­la-se “Mu­lhe­res In­vi­sí­veis 2006” e re­flec­te a vi­são fu­tu­ris­ta dos sul-afri­ca­nos, quan­to à igual­da­de de gé­ne­ro, gui­a­da por uma pers­pec­ti­va de di­rei­tos hu­ma­nos apli­ca­dos de for­ma ina­li­e­ná­vel a to­das as mu­lhe­res e homens.

Um co­mu­ni­ca­do de im­pren­sa da or­ga­ni­za­ção re­al­ça que a mos­tra pro­cu­ra re­tra­tar a for­ça e a re­sis­tên­cia des­sas mu­lhe­res, que pro­ce­dem à lim­pe­za dos es­ta­be­le­ci­men­tos co­mer­ci­ais e áre­as de ne­gó­ci­os no cen­tro de Jo­a­nes­bur­go, mas tam­bém mos­trar co­mo, ape­sar de fa­ze­rem um tra­ba­lho que a mai­o­ria pen­sa ser hu­mi­lhan­te, as fron­tei­ras po­dem ser eli­mi­na­das, dan­do-lhes in­de­pen­dên­cia, per­mi­tin­do-lhes ace­der a ne­ces­si­da­des bá­si­cas e ca­pa­ci­ta­ção eco­nó­mi­ca.

Es­sa vi­são do fu­tu­ro, destaca a nota, vem “var­rer uma his­tó­ria em que a dig­ni­da­de dos in­di­ví­du­os era pre­di­ca­da não ape­nas por li­nhas, mas tam­bém den­tro de vá­ri­os gru­pos ra­ci­ais, por gé­ne­ro”.

“Es­se pro­ble­ma cri­ou fron­tei­ras dis­tin­tas on­de as mu­lhe­res di­fi­cil­men­te iri­am li­de­rar a to­ma­da de de­ci­sões e fi­ca­ri­am con­fi­na­das às áre­as ru­rais, sub­ser­vi­en­tes e sub­ju­ga­das. A po­bre­za é, há mui­to tem­po, um gran­de pro­ble­ma pa­ra as mu­lhe­res na Áfri­ca do Sul: sob as leis do apartheid, elas fo­ram ‘ba­ni­das’ pa­ra áre­as ru­rais, on­de a in­fra-es­tru­tu­ra bá­si­ca era qua­se ine­xis­ten­te”, lê-se na nota.

Sabelo Mlangeni nas­ceu em 1980 em Dri­e­fon­tein, na Áfri­ca do Sul. Em 2001, mu­dou-se pa­ra Jo­a­nes­bur­go, on­de se jun­tou ao “Workshop de Fo­to­gra­fia de Mer­ca­do”, gra­du­an­do-se em 2004. “Tro­pa d’Os Tu­ne­za Best do Best”, o for­ma­to de su­ces­so pro­ta­go­ni­za­do pe­los co­me­di­an­tes mais co­nhe­ci­dos de An­go­la es­tá de re­gres­so no pró­xi­mo dia 30, no Mun­do FOX, ca­nal ex­clu­si­vo da DStv, com a es­treia dos “me­lho­res dos me­lho­res”.

Es­sa fa­se do con­cur­so jun­ta os no­ve me­lho­res con­cor­ren­tes das tem­po­ra­das an­te­ri­o­res que não con­se­gui­ram al­can­çar a vi­tó­ria, dan­do-lhes uma se­gun­da opor­tu­ni­da­de de ven­cer o mai­or con­cur­so de “stand up co­medy” de An­go­la e Mo­çam­bi­que.

A fór­mu­la de su­ces­so de “Tro­pa d’Os Tu­ne­za Best do Best” man­tém-se. Três gru­pos de três con­cor­ren­tes ca­da “com­ba­tem” en­tre si nas di­ver­sas “ba­ta­lhas hu­mo­rís­ti­cas”.

Os “ge­ne­rais do hu­mor” li­de­ram es­ta “tro­pa” na com­pa­nhia dos “re­cru­tas” Wa­zem­ba, La­dil­son, Ma­ne­zes Ake­la Gar­ga­lha­da, Ri­cha, Txo­pi­to, An­del­son, Bon­do­so, Ma­es­tro e Zu­e­la Ki­ku­a­ta, os me­lho­res con­cor­ren­tes das tem­po­ra­das pas­sa­das, que mais uma vez vão ter de pro­var que me­re­cem o tí­tu­lo de me­lhor hu­mo­ris­ta.

Pa­ra al­can­çar es­se tí­tu­lo, os hu­mo­ris­tas con­cor­ren­tes vão ter de dar o seu me­lhor e ar­ran­car as mai­o­res gar­ga­lha­das do pú­bli­co com as su­as pi­a­das.

O ca­nal Mun­do FOX, ex­clu­si­vo da DStv, es­tá na po­si­ção 500 dos pa­co­tes DStv Me­ga, DStv Bué, DStv Gran­de+ e Dstv Gran­de.

DR

Fo­tó­gra­fo ex­plo­ra o uni­ver­so fe­mi­ni­no na re­a­li­da­de do seu país

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.