Huambo tem con­di­ções pa­ra a re­for­ma da Jus­ti­ça

Jornal de Angola - - POLÍTICA -

A pro­vín­cia do Huambo tem um ex­ce­len­te po­ten­ci­al pa­ra a or­ga­ni­za­ção ade­qua­da do pro­ces­so da re­for­ma da Jus­ti­ça e do Di­rei­to, fru­to da qua­li­da­de e da mo­ti­va­ção dos seus ma­gis­tra­dos, ali­a­da à de­di­ca­ção dos de­mais fun­ci­o­ná­ri­os.

A cons­ta­ta­ção é do juiz pre­si­den­te do Tri­bu­nal Su­pre­mo, Rui Fer­rei­ra, em de­cla­ra­ções on­tem à im­pren­sa, no ter­mo da vi­si­ta de dois di­as ao Pla­nal­to Cen­tral. O ma­gis­tra­do dis­se es­tar sa­tis­fei­to com o ní­vel de pres­ta­ção de tra­ba­lho do Tri­bu­nal Pro­vin­ci­al do Huambo, en­quan­to fac­tor in­dis­pen­sá­vel pa­ra a exe­cu­ção eficaz do pro­ces­so de re­for­ma da Jus­ti­ça e do Di­rei­to, fal­tan­do, pa­ra o efei­to, a me­lho­ria das su­as in­fra­es­tru­tu­ras.

“En­con­trei um tri­bu­nal mui­to bem or­ga­ni­za­do, com juí­zes de qua­li­da­de e fun­ci­o­ná­ri­os bem-dis­pos­tos, qua­se to­dos a exer­ce­rem fun­ções que não cor­res­pon­dem com a ca­te­go­ria que os­ten­tam, co­mo sen­do um in­di­ca­dor po­si­ti­vo de de­di­ca­ção, em­bo­ra es­te­ja de­si­lu­di­do com a qua­li­da­de das in­fra-es­tru­tu­ras co­lo­ca­das à dis­po­si­ção do tri­bu­nal, com bas­tan­te im­por­tân­cia pa­ra a vi­da ju­di­ciá­ria do país”, sa­li­en­tou.

Rui Fer­rei­ra su­bli­nhou que a pro­vín­cia do Huambo me­re­ce ter in­fra-es­tru­tu­ras ju­di­ciá­ri­as de mai­or qua­li­da­de, por ser a re­gião do país de on­de saiu o pri­mei­ro juiz a in­te­grar o Tri­bu­nal Su­pre­mo, o ma­gis­tra­do ju­di­ci­al João Fe­lis­ber­to.

Tri­bu­nais mu­ni­ci­pais

Rui Fer­rei­ra con­fir­mou a re­cen­te ex­tin­ção, por lei, dos tri­bu­nais mu­ni­ci­pais, pas­san­do pa­ra sa­las de com­pe­tên­ci­as ge­né­ri­cas.

O mo­de­lo dos tri­bu­nais pro­vin­ci­ais, dis­se, não tem ca­pa­ci­da­de pa­ra res­pon­der, de for­ma ade­qua­da, à or­ga­ni­za­ção e ao fun­ci­o­na­men­to es­pe­ra­do, o que de­ve­rá pas­sar a uma ou­tra ins­tân­cia, de­no­mi­na­da por Tri­bu­nal de Co­mar­ca, com com­pe­tên­ci­as um pou­co mais alar­ga­das.

No ca­so do Huambo, ex­pli­cou que es­tão pre­vis­tos três tri­bu­nais de Co­mar­ca nos mu­ni­cí­pi­os se­de, Caá­la e Bai­lun­do, que vão aten­der ca­sos dos mu­ni­cí­pi­os vi­zi­nhos, no âm­bi­to da co­lo­ca­ção des­te ór­gão mais pró­xi­mo da co­mu­ni­da­de.

Rui Fer­rei­ra es­cla­re­ceu que a or­ga­ni­za­ção dos tri­bu­nais de Co­mar­ca cons­ti­tui um pas­so pa­ra fle­xi­bi­li­zar a ac­ti­vi­da­de do sec­tor, com o des­do­bra­men­to em sa­las pa­ra ter­ri­tó­ri­os que es­te­jam na área de sua ju­ris­di­ção.

A in­ten­ção do TS, dis­se, pas­sa pe­la cri­a­ção, nu­ma se­gun­da fa­se, de um Tri­bu­nal da Re­la­ção na pro­vín­cia do Huambo, em­bo­ra não exis­ta na­da de­fi­ni­do e nem con­di­ções pa­ra que tal pro­ces­so se­ja con­cre­ti­za­do a mé­dio pra­zo. “Va­mos, pri­mei­ro, im­ple­men­tar o Tri­bu­nal da Re­la­ção de Ben­gue­la e, de se­gui­da, co­me­çar a cri­ar con­di­ções pa­ra a ins­ta­la­ção do Tri­bu­nal da Re­la­ção no Pla­nal­to Cen­tral”.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.