Do­en­tes com le­pra tra­ta­dos em sa­na­tó­rio

Mais de 60 pa­ci­en­tes que re­ce­bem tra­ta­men­to em re­gi­me am­bu­la­tó­rio, por fal­ta de uma le­pro­sa­ria, cor­rem ris­co de vi­da

Jornal de Angola - - PRIMEIRA PÁGINA - Car­los Pau­li­no | Me­non­gue

Pe­lo me­nos 62 pa­ci­en­tes com pro­ble­mas de le­pra na pro­vín­cia do Cuando Cubango cor­rem o ris­co de per­der a vi­da, de­vi­do à fal­ta de me­di­ca­men­tos pa­ra o tra­ta­men­to da do­en­ça, há mais de um ano, in­for­mou o director do Hos­pi­tal Sa­na­tó­rio de Me­non­gue.

Al­ber­to Fun­vo, que fa­la­va no fi­nal da vi­si­ta que a vi­ce­go­ver­na­do­ra da pro­vín­cia pa­ra o sec­tor Po­lí­ti­co, So­ci­al e Eco­nó­mi­co, Sara Luí­sa Ma­teus, efec­tu­ou ao Hos­pi­tal Sa­na­tó­rio, pa­ra cons­ta­tar o seu re­al fun­ci­o­na­men­to, dis­se que os 62 do­en­tes re­ce­bem tra­ta­men­to em re­gi­me am­bu­la­tó­rio, mas a fal­ta de me­di­ca­men­tos es­tá a di­fi­cul­tar a re­cu­pe­ra­ção dos mes­mos.

Sa­li­en­tou que o Mi­nis­té­rio da Saúde es­tá há mais de um ano sem en­vi­ar pa­ra a pro­vín­cia do Cuando Cubango me­di­ca­men­tos pa­ra o tra­ta­men­to da le­pra, que são mui­to ca­ros e ne­nhu­ma far­má­cia da re­gião os co­mer­ci­a­li­za.

Em fun­ção des­ta si­tu­a­ção, acres­cen­tou que nes­te mo­men­to o qua­dro clí­ni­co dos 62 pa­ci­en­tes tem-se agra­va­do a ca­da dia que pas­sa, cor­ren­do o ris­co de per­de­rem a vi­da ca­so o pro­ble­ma não se­ja re­sol­vi­do o mais rá­pi­do pos­sí­vel.

Al­ber­to Fun­vo ex­pli­cou que os pa­ci­en­tes com le­pra re­ce­bi­am uma de­ter­mi­na­da do­se pa­ra to­mar du­ran­te um mês em sua ca­sa, por­que a pro­vín­cia não dis­põe de uma le­pro­sa­ria.

Ac­tu­al­men­te, acres­cen­tou, “al­guns com a do­en­ça já em es­ta­do avan­ça­do ain­da pro­cu­ram pe­los nos­sos ser­vi­ços, mas a in­for­ma­ção que re­ce­bem é sem­pre a mes­ma: não te­mos me­di­ca­men­tos”.

O director do Hos­pi­tal Sa­na­tó­rio de Me­non­gue de­fen­de a ne­ces­si­da­de ur­gen­te do Mi­nis­té­rio da Saúde en­vi­ar pa­ra o Cuando Cubango me­di­ca­men­tos pa­ra o tra­ta­men­to da le­pra.

Al­ber­to Fun­vo re­cor­dou que nes­te mo­men­to o Hos­pi­tal Sa­na­tó­rio de Me­non­gue, com 20 ca­mas, é a úni­ca uni­da­de sa­ni­tá­ria a ní­vel da pro­vín­cia do Cuando Cubango que pres­ta as­sis­tên­cia mé­di­ca e me­di­ca­men­to­sa aos do­en­tes com tu­ber­cu­lo­se e le­pra.

Al­ber­to Fun­vo la­men­tou o fac­to de a pro­vín­cia não con­tar até ago­ra com uma le­pro­sa­ria, fa­zen­do com que os pa­ci­en­tes, mes­mo com pro­ble­mas gra­ves de le­pra, se­rem tra­ta­dos em re­gi­me am­bu­la­tó­rio.

Ca­sos de tu­ber­cu­lo­se

O Hos­pi­tal Sa­na­tó­rio di­ag­nos­ti­cou, du­ran­te o pri­mei­ro se­mes­tre des­te ano 574 no­vos ca­sos de tu­ber­cu­lo­se, que re­sul­ta­ram em 41 óbi­tos. A mai­or par­te dos do­en­tes es­tão as­so­ci­a­dos com o VIH/Si­da e a fai­xa etá­ria mais afec­ta­da são os jo­vens dos 18 aos 35 anos.

Al­ber­to Fun­vo re­al­çou que du­ran­te o ano pas­sa­do fo­ram di­ag­nos­ti­ca­do 753 ca­sos de tu­ber­cu­lo­se, dos quais 69 pa­ci­en­tes fo­ram cu­ra­dos e 36 aca­ba­ram por fa­le­cer.

“Ac­tu­al­men­te o Hos­pi­tal Sa­na­tó­rio de Me­non­gue con­tro­la 1.365 pa­ci­en­tes com tu­ber­cu­lo­se, que re­ce­bem tra­ta­men­to em re­gi­me am­bu­la­tó­rio”, dis­se Al­ber­to Fun­vo, que acres­cen­tou que o au­men­to con­si­de­rá­vel do ín­di­ce de VIH/Si­da na pro­vín­cia de­ve-se prin­ci­pal­men­te ao fac­to do Cuando Cubango di­vi­dir uma ex­ten­sa fron­tei­ra com a Na­mí­bia e a Zâm­bia, paí­ses que têm nes­te mo­men­to uma ta­xa de se­ro­pre­va­lên­cia bas­tan­te al­ta.

Al­ber­to Fun­vo ga­ran­tiu que pa­ra o tra­ta­men­to da tu­ber­cu­lo­se o Hos­pi­tal Sa­na­tó­rio de Me­non­gue con­ta com um stock ra­zoá­vel de me­di­ca­men­tos e que di­a­ri­a­men­te são aten­di­dos cer­ca de 50 pa­ci­en­tes.

Al­ber­to Fun­vo mos­trou­se re­go­zi­ja­do pe­lo fac­to de nos úl­ti­mos tem­pos as pes­so­as na pro­vín­cia ga­nha­rem a cul­tu­ra de pro­cu­rar os ser­vi­ços da uni­da­de hos­pi­ta­lar quan­do sen­tem os pri­mei­ros sin­to­mas da tu­ber­cu­lo­se, uma si­tu­a­ção que não acon­te­cia an­te­ri­or­men­te, por­que mui­tos pre­fe­ri­am op­tar, nu­ma pri­mei­ra fa­se, pe­lo tra­ta­men­to tra­di­ci­o­nal e só pro­cu­ra­vam o Hos­pi­tal Sa­na­tó­rio quan­do o qua­dro clí­ni­co se agra­va­va.

Mi­nis­té­rio da Saúde es­tá há mais de um ano sem en­vi­ar pa­ra a pro­vín­cia do Cuando Cubango me­di­ca­men­tos pa­ra o tra­ta­men­to da le­pra, que são mui­to ca­ros e ne­nhu­ma far­má­cia da re­gião os co­mer­ci­a­li­za

NICOLAU VASCO | EDIÇÕES NO­VEM­BRO

Po­pu­la­ção con­ti­nua a ser sen­si­bi­li­za­da a pro­cu­rar os ser­vi­ços de saúde lo­go dos pri­mei­ros sin­to­mas

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.