Ca­so Ro­ber­ti­nho qua­se no Tri­bu­nal

Jornal de Angola - - PRIMEIRA PÁGINA - André da Cos­ta

O pro­ces­so-cri­me con­tra o mú­si­co Ro­ber­ti­nho, por sus­pei­ta de trá­fi­co de dro­ga, já es­tá, há dois me­ses, no Tri­bu­nal Pro­vin­ci­al de Lu­an­da, à es­pe­ra de jul­ga­men­to, afir­mou, on­tem, ao Jor­nal de An­go­la, o por­ta-voz da di­rec­ção na­ci­o­nal do Ser­vi­ço de In­ves­ti­ga­ção Cri­mi­nal (SIC).

O sub­co­mis­sá­rio To­más Agos­ti­nho adi­an­tou que o SIC ter­mi­nou a fa­se de ins­tru­ção pre­pa­ra­tó­ria e re­me­teu o pro­ces­so ao Tri­bu­nal, on­de, a qual­quer mo­men­to, po­de co­me­çar a ses­são de au­di­ção dos im­pli­ca­dos pa­ra a des­co­ber­ta da ver­da­de ma­te­ri­al.

Além do mú­si­co Ro­ber­ti­nho es­tão tam­bém in­di­ci­a­dos dois in­di­ví­du­os que o can­tor afir­ma se­rem as pes­so­as que lhe en­tre­ga­ram, num ae­ro­por­to bra­si­lei­ro, du­as ma­las, em cu­jo in­te­ri­or ha­via dro­ga.

O por­ta-voz do SIC acen­tu­ou que, a par­tir do mo­men­to da en­tre­ga do pro­ces­so ao Tri­bu­nal, a ins­ti­tui­ção de In­ves­ti­ga­ção Cri­mi­nal dei­xou de ter informações adi­ci­o­nais em re­la­ção ao ca­so.

To­más Agos­ti­nho de­cla­rou que, até Ju­nho, mês em que o pro­ces­so deu en­tra­da no Tri­bu­nal Pro­vin­ci­al de Lu­an­da, o SIC ain­da não ti­nha de­ti­do os dois in­di­ví­du­os que te­rão da­do as du­as ma­las a Ro­ber­ti­nho.

A Rá­dio Lu­an­da in­for­mou on­tem que os dois sus­pei­tos se apre­sen­ta­ram vo­lun­ta­ri­a­men­te ao Ser­vi­ço de In­ves­ti­ga­ção Cri­mi­nal, on­de fo­ram cons­ti­tuí­dos ar­gui­dos, mas aguar­dam o jul­ga­men­to em li­ber­da­de.

O por­ta-voz do SIC ad­mi­tiu a pos­si­bi­li­da­de de o Tri­bu­nal ter re­a­li­za­do tam­bém di­li­gên­ci­as com o ob­jec­ti­vo de es­cla­re­cer de­ta­lhes so­bre o pro­ces­so na fa­se de ins­tru­ção con­tra­di­tó­ria.

O mú­si­co Ro­ber­ti­nho foi de­ti­do em Mar­ço, no Ae­ro­por­to In­ter­na­ci­o­nal 4 de Fe­ve­rei­ro, em Lu­an­da, quan­do em­bar­ca­va pa­ra o Bra­sil. O co­nhe­ci­do mú­si­co não se­guiu vi­a­gem de­vi­do a um man­da­do de cap­tu­ra emi­ti­do pe­lo Mi­nis­té­rio Pú­bli­co, por não ter si­do lo­ca­li­za­do na al­tu­ra em que du­as ma­las em seu no­me fi­ca­ram na área de per­di­dos e acha­dos do ae­ro­por­to em 2017.

O ca­so re­mon­ta a No­vem­bro de 2017, da­ta em que o mú­si­co Ro­ber­ti­nho re­gres­sou de uma ac­ti­vi­da­de cul­tu­ral no Bra­sil, com du­as ma­las, on­de fo­ram en­con­tra­dos no­ve qui­los de co­caí­na.

Quan­do o man­da­do foi emi­ti­do não se sa­bia que se tra­ta­va de uma pes­soa co­nhe­ci­da do pú­bli­co, o que se veio a sa­ber quan­do o mú­si­co, cu­jo no­me é Fer­nan­do Lu­cas da Sil­va, em­bar­ca­va pa­ra o Bra­sil em Mar­ço, ten­do re­ce­bi­do or­dem de pri­são no Ae­ro­por­to In­ter­na­ci­o­nal “4 de Fe­ve­rei­ro”.

Quan­do foi de­ti­do, o mú­si­co ale­gou que as pas­tas não eram su­as e que fo­ram en­tre­gues por dois jo­vens que lhe so­li­ci­ta­ram pa­ra des­pa­char pa­ra Lu­an­da.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.