Pra­do Paim anun­cia lan­ça­men­to do pri­mei­ro CD

O ál­bum de es­treia do mú­si­co Pra­do Paim de­ve che­gar ao mer­ca­do dis­co­grá­fi­co na­ci­o­nal ain­da es­te ano

Jornal de Angola - - PRIMEIRA PÁGINA - Ma­nu­el Al­ba­no

Pra­do Paim, o pri­mei­ro can­tor an­go­la­no a con­quis­tar um dis­co de ou­ro pe­la Com­pa­nhia de Dis­cos de An­go­la (CDA) em 1974, ga­ran­tiu, on­tem em Lu­an­da, ter já as com­po­si­ções es­co­lhi­das pa­ra co­lo­car no mer­ca­do dis­co­grá­fi­co o ál­bum de es­treia, se pos­sí­vel ain­da es­te ano.

O mú­si­co dei­xou um recado, no qu­al diz ain­da ter for­ça fí­si­ca e vo­cal pa­ra dar con­ti­nui­da­de à sua car­rei­ra ar­tís­ti­ca, por is­so pre­ten­de apre­sen­tar um dis­co com dez ou 12 te­mas nos es­ti­los bo­le­ro, sem­ba e rum­ba, es­te úl­ti­mo on­de se con­si­de­ra “um dos me­lho­res exe­cu­tan­tes.”

O can­tor que co­me­çou a sua car­rei­ra em 1948, con­si­de­ra-se um dos me­lho­res com­po­si­to­res do es­ti­lo rum­ba da sua ge­ra­ção. Ad­mi­ra­dor con­fes­so do tra­ba­lho do fa­le­ci­do can­tor e com­po­si­tor Jo­sé Agos­ti­nho, com o qu­al pre­ten­dia for­mar “Os Lam­bu­las do Rit­mo”, em 1957, Pra­do Paim dis­se que a sua car­rei­ra te­ve mui­ta in­fluên­cia dos es­ti­los dos can­to­res do vi­zi­nho Con­go De­mo­crá­ti­co.

O can­tor con­fes­sou: “Não qu­e­ro mor­rer sem an­tes co­lo­car um dis­co no mer­ca­do e pre­ten­do gra­var o te­ma “Ju­li­a­na” no es­ti­lo rum­ba, can­ta­do em lin­ga­la e ki­kon­go com a par­ti­ci­pa­ção es­pe­ci­al do can­tor e com­po­si­tor Sam Manguana.”

O res­pei­to pe­las mu­lhe­res an­go­la­nas co­mo mães, fi­lhas e com­pa­nhei­ras sa­cri­fi­ca­das é re­tra­ta­do nos te­mas “Ju­li­a­na” e “Zi­nha”, no es­ti­lo rum­ba e bo­le­ro, em ho­me­na­gem a Gra­na­da, um amigo de in­fân­cia, can­tor e com­po­si­tor já fa­le­ci­do.

Sa­li­en­tou que ca­so con­si­ga apoi­os vai po­der con­ti­nu­ar a dar o seu con­tri­bu­to à so­ci­e­da­de an­go­la­na atra­vés da mú­si­ca.

Em­bo­ra es­te­ja in­se­ri­do num mun­do de ino­va­ções tec­no­ló­gi­cas, Pra­do Paim afir­mou que vai pro­cu­rar ser fi­el aos seus es­ti­los ca­rac­te­rís­ti­cos.

O au­tor de gran­des su­ces­sos co­mo “Ku­sam­be­la Nzam­bi”, “En­grá­cia”, “Nzen­za” e “Bar­to­lo­meu” apro­vei­tou a oca­sião pa­ra mos­trar a sua in­dig­na­ção com a ati­tu­de de mui­tos ar­tis­tas, prin­ci­pal­men­te jo­vens, que uti­li­zam as mú­si­cas de ou­tros cri­a­do­res sem con­sen­ti­men­to do au­tor.

Pra­do Paim foi o pri­mei­ro mú­si­co an­go­la­no a con­quis­tar um dis­co de ou­ro, em 1974, mar­can­do o mo­men­to mais al­to da sua car­rei­ra, com a ven­da de 15 mil có­pi­as, se­cun­da­do por Al­ber­to Te­ta Lan­do, com se­te mil, e Carlos La­mar­ti­ne, com qua­tro mil.

O can­tor te­ve o pri­mei­ro contacto com um ins­tru­men­to mu­si­cal, o re­co-re­co, em 1947. Após a com­po­si­ção das pri­mei­ras can­ções, Pra­do Paim so­be ao pal­co, pe­la pri­mei­ra vez, em 1967, num pro­gra­ma “Ku­to­no­ca”, no bair­ro Pren­da, em Lu­an­da, que ti­nha co­mo ob­jec­ti­vo a des­co­ber­ta e re­co­nhe­ci­men­to de no­vos va­lo­res.

“Não qu­e­ro mor­rer sem an­tes co­lo­car um dis­co no mer­ca­do e pre­ten­do gra­var o te­ma “Ju­li­a­na” no es­ti­lo rum­ba, can­ta­do em lin­ga­la e ki­kon­go com a par­ti­ci­pa­ção es­pe­ci­al do can­tor e com­po­si­tor Sam Manguana”

Pra­do Paim lan­çou o seu pri­mei­ro LP (Long Play) em 1974, pe­la gra­va­do­ra Va­len­tim de Car­va­lho, com o su­por­te mu­si­cal dos Me­ren­gues.

O mú­si­co foi o des­ta­que,em 2012, de um es­pec­tá­cu­lo, re­a­li­za­do no Cen­tro Cul­tu­ral Er­me, em Lu­an­da, pa­ra mais de 300 pes­so­as, on­de in­ter­pre­tou os te­mas “Ju­li­a­na”, “Ku­sam­be­la Nzam­bi”, “Am­bun­du”, “En­grá­cia”, “Bar­to­lo­meu” e “Nzen­ze”. Na­tu­ral de Ca­xi­to, pro­vín­cia do Ben­go, Pra­do Paim co­me­çou a car­rei­ra mu­si­cal na sua ter­ra na­tal.

Ao co­me­çar a vi­ver em Lu­an­da, par­ti­ci­pa em al­guns ku­to­no­cas, con­cur­sos mu­si­cais pa­ra des­co­ber­ta de no­vos ar­tis­tas. Em 1974, ga­nha um dis­co de Ou­ro pe­la Com­pa­nhia de Dis­cos de An­go­la (CDA), pe­lo su­ces­so das can­ções “Bar­to­lo­meu” e “En­grá­cia”. 46 anos vol­vi­dos de An­go­la co­mo país in­de­pen­den­te, o mú­si­co não con­se­guiu ain­da gra­var um dis­co.

EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO

Can­tor já tem os te­mas es­co­lhi­dos pa­ra o dis­co no qu­al é des­ta­ca­do o pa­pel da mu­lher

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.