Apre­en­di­dos me­di­ca­men­tos fo­ra do pra­zo

Jornal de Angola - - PRIMEIRA PÁGINA - Ade­lai­de Mu­a­li­mu­si | Ond­ji­va

O Ser­vi­ço de In­ves­ti­ga­ção Cri­mi­nal (SIC) apre­en­deu on­tem, no Hos­pi­tal Ge­ral de Ond­ji­va (Cunene), 380 qui­los de me­di­ca­men­tos di­ver­sos ex­pi­ra­dos em 2014, ava­li­a­dos em qua­tro mi­lhões de kwan­zas. O che­fe do de­par­ta­men­to de Com­ba­te aos Cri­mes Eco­nó­mi­cos e Con­tra a Saúde Pú­bli­ca do SIC, in­ten­den­te Brito Tei­xei­ra, dis­se que a apre­en­são foi feita gra­ças a uma de­nún­cia de ci­da­dãos.

Ao to­do, 380 qui­los de me­di­ca­men­tos di­ver­sos ex­pi­ra­dos, des­de 2014, ava­li­a­dos em qua­tro mi­lhões de kwan­zas, fo­ram apre­en­di­dos on­tem, no Hos­pi­tal Ge­ral de Ond­ji­va, pe­lo Ser­vi­ço de In­ves­ti­ga­ção Cri­mi­nal.

Se­gun­do o che­fe do de­par­ta­men­to de Com­ba­te aos Cri­mes Eco­nó­mi­cos e Con­tra a Saúde Pú­bli­ca do SIC, in­ten­den­te Brito Tei­xei­ra, a apre­en­são dos me­di­ca­men­tos foi feita gra­ças a uma de­nún­cia de ci­da­dãos.

Após a de­nún­cia, ele­men­tos do Ser­vi­ço de In­ves­ti­ga­ção Cri­mi­nal des­lo­ca­ram-se ao Hos­pi­tal Ge­ral de Ond­ji­va e con­fir­ma­ram a exis­tên­cia de 380 qui­los de me­di­ca­men­tos di­ver­sos, com pra­zos de va­li­da­de ex­pi­ra­dos, em 2014, 2015, 2016, 2017 e Maio de 2018.

Brito Tei­xei­ra in­for­mou que no mo­men­to da ope­ra­ção fo­ram en­con­tra­das al­gu­mas pe­lí­cu­las de Raio X a se­rem usa­das, tam­bém com pra­zos de va­li­da­de ex­pi­ra­dos, des­de Maio des­te ano, en­quan­to os me­di­ca­men­tos se en­con­tra­vam ar­ma­ze­na­dos nu­ma sa­la.

O res­pon­sá­vel do SIC dis­se não com­pre­en­der que vá­ri­os me­di­ca­men­tos ex­pi­ra­dos, sem se­rem usa­dos, e com mai­or re­al­ce pa­ra os an­ti­pa­lú­di­cos, pa­ra o com­ba­te à ma­lá­ria, uma do­en­ça que mais se re­gis­ta em uni­da­des sa­ni­tá­ri­as da pro­vín­cia e que tem le­va­do à mor­te de cen­te­nas de pes­so­as.

Na oca­sião, o di­rec­tor do Hos­pi­tal Ge­ral de Ond­ji­va, Fer­nan­do So­mon­gu­la, dis­se que os me­di­ca­men­tos en­con­tra­dos e apre­en­di­dos nas far­má­ci­as in­ter­na e ex­ter­na da­que­la ins­ti­tui­ção de saúde são pro­ve­ni­en­tes de uni­da­des hos­pi­ta­la­res de al­guns municípios da pro­vín­cia que man­da­ram de vol­ta pa­ra Ond­ji­va por es­ta­rem im­pró­pri­os pa­ra o con­su­mo hu­ma­no.

Ar­gu­men­tou que uma boa par­te des­tes fár­ma­cos foi do­a­da por al­guns em­pre­sá­ri­os, igre­jas e ou­tros, que o hos­pi­tal dis­tri­buiu aos municípios, dis­se o res­pon­sá­vel pa­ra quem “ou­tros mei­os gas­tá­veis de la­bo­ra­tó­rio não fo­ram uti­li­za­dos por­que o la­bo­ra­tó­rio de bi­oquí­mi­ca en­con­tra-se ava­ri­a­do.”

Fer­nan­do So­mon­gu­la dis­se ain­da que os an­ti­pa­lú­di­cos ex­pi­ra­dos fo­ram en­tre­gues pe­la Di­rec­ção Pro­vin­ci­al da Saúde “nu­ma al­tu­ra em que fal­ta­vam ape­nas dois me­ses de ca­du­ci­da­de e o hos­pi­tal não con­se­guiu con­su­mir to­dos.”

Fer­nan­do So­mon­gu­la jus­ti­fi­cou que o ma­te­ri­al pa­ra Raio X ex­pi­ra­do ain­da es­tá em bom es­ta­do, por is­so o hos­pi­tal es­te­ve a uti­li­zá-los.

Os me­di­ca­men­tos ex­pos­tos nas far­má­ci­as aguar­da­vam que a Ins­pec­ção de Saúde lhes des­se ou­tro des­ti­no.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.