Go­ver­no es­tan­ca ra­vi­nas no Dun­do

As obras que in­clu­em sis­te­mas de dre­na­gem con­sis­ten­tes têm ter­mo pre­vis­to pa­ra o pró­xi­mo mês de De­zem­bro

Jornal de Angola - - PRIMEIRA PÁGINA - Isi­do­ro Sa­mu­tu­la|Dun­do

Os tra­ba­lhos de es­tan­ca­men­to das qua­tro prin­ci­pais ra­vi­nas da ci­da­de do Dun­do, uma das quais ame­a­ça­va a des­trui­ção de pré­di­os da zo­na 4 da cen­tra­li­da­de do Mus­sun­gue, de­cor­rem a um rit­mo ace­le­ra­do e po­dem ser con­cluí­dos no pró­xi­mo mês de De­zem­bro.

A cons­ta­ta­ção é do vi­ce-go­ver­na­dor pa­ra o sec­tor Téc­ni­co e In­fra-es­tru­tu­ras, ar­qui­tec­to Li­no dos San­tos, que foi ver o an­da­men­to das di­fe­ren­tes obras pú­bli­cas em cur­so, com pre­vi­são de se­rem con­cluí­das ain­da es­te ano, com in­ci­dên­cia pa­ra os 26 qui­ló­me­tros da es­tra­da na­ci­o­nal 225 e res­pec­ti­vas pon­tes.

Em re­la­ção às ra­vi­nas, o vi­ce-go­ver­na­dor pa­ra o sec­tor Téc­ni­co e In­fra-es­tru­tu­ras de­fen­deu a cons­tru­ção de va­las de dre­na­gem de céu aber­to, em de­tri­men­to de tu­bos de um metro e meio de di­â­me­tro, que a em­prei­tei­ra pre­ten­de co­lo­car, ale­gan­do as es­pe­ci­fi­ci­da­des da re­gião, on­de as chu­vas se re­gis­tam de for­ma in­ten­sa du­ran­te pra­ti­ca­men­te no­ves me­ses.

O ar­qui­tec­to jus­ti­fi­cou que a uti­li­za­ção das va­las de dre­na­gem de céu aber­to fa­ci­li­ta a sua ma­nu­ten­ção e per­mi­te tam­bém que os re­sí­du­os só­li­dos, que mui­tas ve­zes são trans­por­ta­dos pe­las enor­mes cor­ren­tes das águas plu­vi­ais, pos­sam fa­cil­men­te ser en­ca­mi­nha­dos pa­ra as zo­nas mais bai­xas.

“A dre­na­gem das águas das chu­vas, atra­vés dos tu­bos, não é um pro­ces­so con­sis­ten­te, por­que po­de fun­ci­o­nar cor­rec­ta­men­te nu­ma pri­mei­ra fa­se, mas com o tempo e o acú­mu­lo de li­xo po­de­rá apre­sen­tar pro­ble­mas, por­que os tu­bos es­tão di­men­si­o­na­dos ape­nas pa­ra um de­ter­mi­na­do cau­dal”, sa­li­en­tou.

Pa­ra con­tor­nar es­te pres­su­pos­to téc­ni­co, Li­no dos San­tos pro­me­teu con­ver­sar com os res­pon­sá­veis da em­pre­sa GRINER, a quem o Go­ver­no ad­ju­di­cou as obras de es­tan­ca­men­to das qua­tro prin­ci­pais ra­vi­nas na ci­da­de do Dun­do.

“Te­mos de al­te­rar o sis­te­ma de dre­na­gem das ra­vi­nas, en­quan­to ain­da é ce­do”, dis­se, rei­te­ran­do a to­ma­da de de­ci­sões téc­ni­cas que ga­ran­tam mai­or con­sis­tên­cia no com­ba­te às ra­vi­nas e evi­tar des­car­ri­la­men­tos, prin­ci­pal­men­te de­vi­do aos pro­ble­mas de es­co­a­men­to das águas plu­vi­ais, atra­vés dos tu­bos que es­tão a ser pre­vis­tos nes­ta em­prei­ta­da.

“Nes­ta re­gião, as chu­vas são for­tes e a da­do mo­men­to os tu­bos não irão su­por­tar o cau­dal das águas que mui­tas ve­zes atin­gem ní­veis ele­va­dos, po­den­do da­ni­fi­car, com o tempo, os tu­bos e vol­tar­mos a ter no fu­tu­ro os mes­mos pro­ble­mas”, res­sal­tou.

Li­no dos San­tos su­bli­nhou a ne­ces­si­da­de de en­con­trar-se con­sen­so en­tre as au­to­ri­da­des lo­cais, be­ne­fi­ciá­ri­as da obra, e a em­pre­sa cons­tru­to­ra, pa­ra que as obras pú­bli­cas se­jam mais du­ra­dou­ras e sir­vam os in­te­res­ses do Es­ta­do e da po­pu­la­ção por mais tempo. O vi­ce-go­ver­na­dor pa­ra o sec­tor Téc­ni­co e In­fra-es­tru­tu­ras mos­trou-se sa­tis­fei­to com o rit­mo dos tra­ba­lhos e pe­lo fac­to de es­tar a ser man­ti­do o tra­ça­do dos an­te­ri­o­res tro­ços, com du­as fai­xas de ro­da­gem, uma pla­ta­for­ma de no­ve me­tros e um metro e meio de ber­ma de ca­da la­do, o que, se­gun­do Li­no dos San­tos, se en­qua­dra nos pa­drões do pro­jec­to.

O di­rec­tor das obras de es­tan­ca­men­to das ra­vi­nas da em­pre­sa GRINER, João Ro­dri­gues, in­for­mou que vão ser fei­tos ater­ros nas ca­be­cei­ras das ra­vi­nas, um tra­ba­lho que de­ve co­me­çar nos pró­xi­mos di­as.

Foi des­ma­ta­da uma área de 15.000 me­tros qua­dra­dos e cri­a­do um sis­te­ma de pro­tec­ção pro­vi­só­rio, com sa­cos de areia, pa­ra des­vi­ar as águas da chu­va pa­ra fo­ra da área de ser­vi­ço, de­cla­rou o res­pon­sá­vel das obras da em­pre­sa GRINER. Obras na Es­tra­da 225 De­pois de cons­ta­tar o de­sen­vol­vi­men­to das obras de es­tan­ca­men­to das ra­vi­nas, o vi­ce-go­ver­na­dor da Lunda-Nor­te pa­ra o sec­tor Téc­ni­co e In­fra-es­tru­tu­ras foi ver a reabilitação dos 26 qui­ló­me­tros da Es­tra­da Na­ci­o­nal 225 e a cons­tru­ção da pon­te so­bre o rio Lu­xi­co, tam­bém sob res­pon­sa­bi­li­da­de da cons­tru­to­ra GRINER.

O di­rec­tor da obra, Mário Men­don­ça, des­ta­cou a ce­le­ri­da­de dos tra­ba­lhos, ape­sar de re­co­nhe­cer que a chu­va que cai in­ten­sa­men­te na re­gião con­ti­nua a ser um obs­tá­cu­lo a ven­cer.

“Em fun­ção dos cons­tran­gi­men­tos das chu­vas, re­for­ça­mos as equi­pas de tra­ba­lho pa­ra apro­vei­tar os pe­río­dos de me­lhor tempo e evi­tar atra­sos na exe­cu­ção fí­si­ca da obra, que já con­ta com um li­gei­ro atra­so, ten­do em con­ta a pla­ni­fi­ca­ção ini­ci­al”, ex­pli­cou Mário Men­don­ça.

Nes­se tro­ço ro­do­viá­rio, de 26 qui­ló­me­tros da Es­tra­da Na­ci­o­nal 225, es­tá con­tem­pla­da a cons­tru­ção da pon­te so­bre o rio Lu­xi­co, cu­jas obras de­cor­rem a bom rit­mo.

Se­gun­do Mário Men­don­ça, a pon­te se­rá de es­tru­tu­ra mis­ta, com os en­con­tros em be­tão, um vão de 30 me­tros e um ta­bu­lei­ro em es­tru­tu­ra me­tá­li­ca, com três vigas mes­tre de um metro e meio de al­tu­ra. A pon­te so­bre o rio Lu­xi­co de­ve es­tar con­cluí­da em De­zem­bro des­te ano, de acor­do com a pre­vi­são dos téc­ni­cos da em­pre­sa GRINER.

A Es­tra­da Na­ci­o­nal 225 tem um per­cur­so de 504 qui­ló­me­tros e in­ter­li­ga a ci­da­de do Dun­do, ca­pi­tal da pro­vín­cia da Lunda-Nor­te, e seis municípios do su­des­te da pro­vín­cia (Lo­vua, Cui­lo, Lu­ba­lo, Caun­gu­la, Cu­an­go e Xá-Mu­te­ba). A sua cons­tru­ção co­me­çou em 2013, mas, de­vi­do à cri­se, 26 qui­ló­me­tros e uma pon­te es­tão por con­cluir.

BEN­JA­MIM CÂN­DI­DO | EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO | LUNDA- NOR­TE

Além de edi­fí­ci­os da cen­tra­li­da­de de Mus­sun­gue es­ta­vam ame­a­ça­das vá­ri­as in­fra-es­tru­tu­ras

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.