Pon­te so­bre o Lu­an­gu li­ga Cuim­ba e Ma­que­la

Jornal de Angola - - REGIÕES - Ma­nu­u­el Fon­tou­ra

O mu­ni­cí­pio do Cuim­ba, na pro­vín­cia do Zai­re, vol­ta, nos pró­xi­mos di­as, a li­gar-se por ter­ra a Ma­que­la do Zom­bo, Uí­ge,co­ma­mon­ta­gem­da­pon­te me­tá­li­ca so­bre o rio Lu­an­gu.

Pa­ra cons­ta­tar a mon­ta­gem da es­tru­tu­ra me­tá­li­ca, que ce­deu em 2015, com a for­ça da água das chu­vas, des­lo­cou­se, se­gun­da-fei­ra, à co­mu­na de Lu­va­ka (Cuim­ba), o go­ver­na­dor da pro­vín­cia do Zai­re, Pe­dro Jú­lia.

Em­de­cla­ra­ções à im­pren­sa, o di­rec­tor pro­vin­ci­al do Ins­ti­tu­to Na­ci­o­nal de Es­tra­das de An­go­la (INEA), Ma­nu­el Di­an­ga­ni, dis­se que a pre­sen­ça do go­ver­na­dor pro­vin­ci­al no lo­cal vai ace­le­rar os tra­ba­lhos. A pon­te, acres­cen­tou, tem27 me­tros de com­pri­men­to e 12 de lar­gu­ra.

A em­prei­ta­da po­de ser exe­cu­ta­da pe­la Bri­ga­da de En­ge­nha­ria Mi­li­tar do Pos­to Co­man­do da 52ª Bri­ga­da de In­fan­ta­ria das For­ças Ar­ma­das An­go­la­nas (FAA), des­ta­ca­da no mu­ni­cí­pio do Cuim­ba, em par­ce­ria com o INEA. “Por fal­ta de con­di­ções lo­gís­ti­cas não foi pos­sí­vel mon­tar a pon­te em tempo opor­tu­no. O ma­te­ri­al en­con­tra-se con­cen­tra­do a três qui­ló­me­tros do rio Lu­an­gu. Acre­di­ta­mos que com a vi­si­ta do go­ver­na­dor vai-se im­pri­mir mais di­na­mis­mo”, fri­sou Ma­nu­el Di­an­ga­ni.

A jor­na­da de cam­po do go­ver­na­dor da pro­vín­cia do Zai­re es­ten­deu-se tam­bém à co­mu­na mon­ta­nho­sa da Ser­ra da Kan­da (Cuim­ba), on­de ins­pec­ci­o­nou a via de aces­so, com cer­ca de 40 qui­ló­me­tros, bem co­mo a pos­si­bi­li­da­de da edi­fi­ca­ção de uma pon­te so­bre o rio Lu­mony, pa­ra fa­ci­li­tar a cir­cu­la­ção de pes­so­as e mer­ca­do­ri­as en­tre as du­as localidades.

Com uma ex­ten­são de 3.489 qui­ló­me­tros qua­dra­dos, o mu­ni­cí­pio do Cuim­ba tem uma po­pu­la­ção de 64.613 ha­bi­tan­tes, dis­tri­buí­dos em qua­tro co­mu­nas, Lu­va­ka, Bu­e­la, Ser­ra da Kan­da e Se­de. se pre­ve­nir da de­mên­cia, o in­di­ví­duo de­ve ter uma ali­men­ta­ção ade­qua­da, con­tro­lar a hi­per­ten­são ar­te­ri­al, di­a­be­tes e co­les­te­rol, evi­tar o al­co­o­lis­mo, ta­ba­gis­mo e se­den­ta­ris­mo, bem co­mo pra­ti­car exer­cí­ci­os fí­si­cos, es­ti­mu­lar a men­te e a memória, atra­vés de lei­tu­ra e re­a­li­za­ção de exer­cí­ci­os men­tais.

Pa­ra Cruz Ma­nu­el, os fa­mi­li­a­res dos pa­ci­en­tes não de­vem per­mi­tir que os do­en­tes an­dem pe­las ru­as sem controlo, por­que cor­rem mui­tos ris­cos, e as au­to­ri­da­des de­vem, ur­gen­te­men­te, cri­ar um hos­pí­cio ou mes­mo um lo­cal on­de pos­sam ser aco­lhi­dos, pa­ra se­rem tra­ta­dos. In­for­mou que, em me­a­dos do ano pas­sa­do, o go­ver­no da pro­vín­cia, em par­ce­ria com os bom­bei­ros e os fa­mi­li­a­res de pes­so­as com per­tur­ba­ções men­tais, re­a­li­zou uma cam­pa­nha de re­co­lha de do­en­tes men­tais que se en­con­tra­vam es­pa­lha­dos pe­la ci­da­de de Nda­la­tan­do e en­ca­mi­nhou-os pa­ra Lu­an­da. Cruz Ma­nu­el fri­sou que dos 30 que fo­ram sub­me­ti­dos a tra­ta­men­to dez já re­gres­sa­ram a Nda­la­tan­do.

GAR­CIA MAYATOKO | EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO | ZAI­RE E UÍ­GE

Ob­jec­ti­vo é fa­ci­li­tar a li­vre cir­cu­la­ção de pes­so­as e bens

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.