Jornal de Angola

Obra mal fei­ta es­tá sob o cri­vo da Jus­ti­ça

Se­gun­do ale­gam as au­to­ri­da­des da pro­vín­cia da Huí­la, o edi­fí­cio que por es­ta al­tu­ra de­via aco­mo­dar os ser­vi­ços da Ad­mi­nis­tra­ção Mu­ni­ci­pal de Chipindo apre­sen­ta inú­me­ras de­fi­ci­ên­ci­as de exe­cu­ção téc­ni­ca. Con­tu­do, es­tá des­car­ta­da a hi­pó­te­se de de­mo­li­ção

- Arão Mar­tins | Chipindo Architecture · Arts · Rosario · Mary J. Blige · Miguel Jontel Pimentel · Investigação Criminal

Por gra­ves fa­lhas téc­ni­cas na cons­tru­ção do edi­fí­cio da Ad­mi­nis­tra­ção Mu­ni­ci­pal do Chipindo, na pro­vín­cia da Huí­la, foi aber­ta in­ves­ti­ga­ção pa­ra apu­rar res­pon­sa­bi­li­da­des. In­se­ri­das no Pro­gra­ma de In­ves­ti­men­tos Pú­bli­cos, as obras co­me­ça­ram em 2010 e de­vi­am fi­car con­cluí­das em 2013.

“O Go­ver­no Pro­vin­ci­al re­cu­sou re­ce­ber o edi­fí­cio por cons­ta­tar inú­me­ras de­fi­ci­ên­ci­as téc­ni­cas. So­bre o as­sun­to em ques­tão, exis­te um pro­ces­so jun­to do Ser­vi­ço de In­ves­ti­ga­ção Cri­mi­nal”

In­se­ri­da no Pro­gra­ma de In­ves­ti­men­tos Pú­bli­cos, a cons­tru­ção do edi­fí­cio da Ad­mi­nis­tra­ção Mu­ni­ci­pal de Chipindo te­ve iní­cio em 2010. Con­tu­do, o Go­ver­no da Pro­vín­cia da Huí­la re­cu­sou, três anos de­pois, a re­cep­ção do edi­fí­cio.

O di­rec­tor o Ga­bi­ne­te de In­fra-es­tru­tu­ras e Obras Pú­bli­cas do Go­ver­no da Pro­vín­cia da Huí­la, Rosário Ima Pan­zo, es­cla­re­ceu que a obra de­via ser en­tre­gue em 2013 e não acon­te­ceu, por in­su­fi­ci­ên­ci­as téc­ni­cas de­tec­ta­das pe­la Fis­con­sult, em­pre­sa fis­ca­li­za­do­ra.

“As in­su­fi­ci­ên­ci­as fo­ram con­fir­ma­das pe­los téc­ni­cos, des­fa­zen­do a con­fi­an­ça que fo­ra de­po­si­ta­da ao em­prei­tei­ro, em re­la­ção às obras”, sa­li­en­tou. Ape­sar da si­tu­a­ção, Rosário Ima Pan­zo des­car­ta a hi­pó­te­se de de­mo­li­ção da in­fra-es­tru­tu­ra e re­fe­riu que es­tá pre­vis­to um con­jun­to de in­ter­ven­ções pa­ra in­ver­ter as gra­ves de­fi­ci­ên­ci­as téc­ni­cas que apre­sen­ta e que po­dem ser cons­ta­ta­das a olho nu.

Rosário Ima Pan­zo ex­pli­cou que era in­ten­ção do Go­ver­no con­tra­tar um no­vo em­prei­tei­ro pa­ra dar se­gui­men­to à obra, mas, con­tra­ri­a­men­te ao que era es­pe­ra­do, o pro­ces­so aca­bou por to­mar ou­tro ru­mo jun­to das au­to­ri­da­des com­pe­ten­tes, que aguar­dam pe­lo de­vi­do tra­ta­men­to, fa­ce à evo­lu­ção pou­co cla­ra da em­prei­ta­da.

“Va­mos aguar­dar até se en­con­trar uma so­lu­ção a pre­cei­to en­tre os ór­gãos de Ins­pec­ção do Go­ver­no Pro­vin­ci­al e o Ser­vi­ço de In­ves­ti­ga­ção Cri­mi­nal (SIC). Lo­go que se de­fi­nir um va­lor que de­ve ser acres­cen­ta­do, as au­to­ri­da­des com­pe­ten­tes vão de­sen­ca­de­ar os me­ca­nis­mos apro­pri­a­dos, pa­ra res­pon­sa­bi­li­zar o au­tor das fa­lhas”, adi­an­tou.

Di­li­gên­ci­as pa­ra re­to­ma das obras

O pro­ces­so de cons­tru­ção da se­de da Ad­mi­nis­tra­ção de Chipindo é an­ti­go e es­tá-se a cri­ar con­di­ções pa­ra a sua con­clu­são de­fi­ni­ti­va, afir­mou o di­rec­tor do Ga­bi­ne­te de Es­tu­do, Pla­ne­a­men­to e Es­ta­tís­ti­ca (GEPE) do Go­ver­no da Huí­la.

Ques­ti­o­na­do a se pro­nun­ci­ar so­bre os cus­tos pa­ra a fi­na­li­za­ção dos tra­ba­lhos, Mi­guel Lu­zo­lo con­si­de­rou ir­re­le­van­te fa­lar-se em valores, por ser uma obra an­ti­ga, as­se­gu­ran­do, des­de já, que te­rá um ou­tro or­ça­men­to.

O di­rec­tor do GEPE na Huí­la es­cla­re­ceu que a so­lu­ção pas­sa­rá à mar­gem do Pro­gra­ma In­te­gra­do de In­ter­ven­ção nos Mu­ni­cí­pi­os (PIIM).

“O tra­ba­lho de ava­li­a­ção téc­ni­ca es­tá em curso, e no de­vi­do mo­men­to os téc­ni­cos vão se pro­nun­ci­ar”, fri­sou Mi­guel Lu­zo­lo.

Des­con­ten­ta­men­to

“in­va­de” mu­ní­ci­pes En­cra­va­do nu­ma área de 3.896 qui­ló­me­tros qua­dra­dos, um nú­me­ro sig­ni­fi­ca­ti­vo de ha­bi­tan­tes de Chipindo mos­tra-se des­con­ten­te com a si­tu­a­ção e exi­ge a con­clu­são do edi­fí­cio pa­ra me­lhor ser­vir o in­te­res­se pú­bli­co.

Ma­ria Nje­pe­le nas­ceu e sem­pre vi­veu no Chipindo. Es­tu­dan­te de pro­fis­são, con­si­de­ra que, à se­me­lhan­ça de ou­tros mu­ni­cí­pi­os da pro­vín­cia, é fun­da­men­tal con­cluir as obras pa­ra ser­vir, não só a po­pu­la­ção re­si­den­te, mas tam­bém os vi­si­tan­tes, de ma­nei­ra dig­na.

“Quan­do se deu iní­cio a cons­tru­ção fi­cá­mos fe­li­zes, mas, ago­ra, to­dos os di­as olha­mos pa­ra um im­po­nen­te edi­fí­cio aban­do­na­do. A ca­da dia au­men­ta o seu es­ta­do de de­gra­da­ção”, la­men­tou.

O sen­ti­men­to de des­con­ten­ta­men­to é ex­ten­si­vo ao so­ba An­tó­nio. Re­cor­dou o en­tu­si­as­mo que ex­pe­ri­men­tou quan­do foi anun­ci­a­da a en­tre­ga da em­prei­ta­da e re­al­çou que, além de ser­vir o po­vo, o fun­ci­o­na­men­to do edi­fí­cio vai me­lho­rar a ima­gem da se­de mu­ni­ci­pal de Chipindo.

Vo­ta­da ao aban­do­no há se­te anos

Vo­ta­do ao aban­do­no de­pois da re­cu­sa das au­to­ri­da­des, o edi­fí­cio pos­sui dois pi­sos, cin­co en­tra­das, dois ga­bi­ne­tes pa­ra ad­mi­nis­tra­do­res, com­par­ti­men­tos pa­ra se­cre­ta­ria ge­ral, en­tre ou­tros.

Rosário Ima Pan­zo lem­brou que se aguar­da a ele­bo­ra­ção do re­la­tó­rio da ava­li­a­ção téc­ni­ca da obra e ou­tras di­li­gên­ci­as em tor­no do as­sun­to.

“De­cor­re os seus trâ­mi­tes le­gais um pro­ces­so jun­to do Ser­vi­ço de In­ves­ti­ga­ção Cri­mi­nal, pa­ra ava­li­ar a si­tu­a­ção e va­mos aguar­dar pe­los re­sul­ta­dos”, dis­se.

Em­bo­ra te­nha re­cu­sa­do re­ve­lar o va­lor dis­po­ni­bi­li­za­do pa­ra a cons­tru­ção do edi­fí­cio, Rosário Ima Pan­zo re­fe­riu que de­pois da pu­bli­ca­ção do re­la­tó­rio vai se po­der de­fi­nir co­mo e quem fa­rá as cor­rec­ções que se im­põem.

“De qual­quer ma­nei­ra, não há de­fi­ci­ên­ci­as es­tru­tu­rais no edi­fí­cio, mas sim pro­ble­mas de exe­cu­ção ao ní­vel dos pa­vi­men­tos, re­des téc­ni­cas e de co­ber­tu­ra”, sa­li­en­tou.

 ?? ARÃO MAR­TINS | EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO ??
ARÃO MAR­TINS | EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO
 ?? ARÃO MAR­TINS | EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO ?? Di­rec­tor do Ga­bi­ne­te de In­fra-es­tru­tu­ras e Obras Pú­bli­cas do Go­ver­no da Pro­vín­cia da Huí­la, Rosário Ima Pan­zo
ARÃO MAR­TINS | EDI­ÇÕES NO­VEM­BRO Di­rec­tor do Ga­bi­ne­te de In­fra-es­tru­tu­ras e Obras Pú­bli­cas do Go­ver­no da Pro­vín­cia da Huí­la, Rosário Ima Pan­zo

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola