Jornal de Angola

Uni­da­des sa­ni­tá­ri­as re­for­çam me­di­das de bi­os­se­gu­ran­ça

- Sam­paio Jú­ni­or | Benguela Health · Public Health · Medicine

Os pro­fis­si­o­nais de saú­de es­tão expostos, fre­quen­te­men­te, a ma­te­ri­al bi­o­ló­gi­co, por is­so, o ris­co de con­ta­mi­na­ção é gran­de.

O di­rec­tor do Ga­bi­ne­te Pro­vin­ci­al da Saú­de em Benguela, Ma­nu­el Ca­bin­da, ga­ran­te o cum­pri­men­to ri­go­ro­so das nor­mas de bi­os­se­gu­ran­ça, prin­ci­pal­men­te nas áre­as la­bo­ra­to­ri­ais e nas uni­da­des de tra­ta­men­to na pro­vín­cia.

“São bo­as prá­ti­cas pa­ra evi­tar que os téc­ni­cos se­jam in­fec­ta­dos a par­tir de qual­quer agen­te bi­o­ló­gi­co que es­te­ja ex­pos­to”, re­fe­riu.

Acres­cen­tou que o não cum­pri­men­to das nor­mas bá­si­cas de bi­os­se­gu­ran­ça po­de acar­re­tar pro­ble­mas co­mo trans­mis­são de do­en­ças e até mes­mo de epi­de­mi­as.

“As lu­vas são um dos equi­pa­men­tos de pro­tec­ção que me­re­cem des­ta­que, elas de­vem ser usa­das sem­pre que ne­ces­sá­rio e tro­ca­das de­pois de ca­da pro­ce­di­men­to. Após a re­mo­ção é pre­ci­so dar des­ti­no cor­rec­to a es­se ma­te­ri­al, as­sim co­mo a to­dos os ou­tros que ti­ve­ram con­tac­to com ma­te­ri­al bi­o­ló­gi­co. O des­car­te cor­rec­to é ex­tre­ma­men­te im­por­tan­te pa­ra a se­gu­ran­ça de to­dos”, re­fe­riu. A téc­ni­ca de saú­de Iva da Cos­ta su­bli­nhou que uma das nor­mas de bi­os­se­gu­ran­ça em hos­pi­tais, clí­ni­cas e la­bo­ra­tó­ri­os é a hi­gi­e­ni­za­ção das mãos.

“De­vem ser la­va­das an­tes de pre­pa­rar qual­quer me­di­ca­men­to e do ma­nu­seio do pa­ci­en­te. Ape­sar de ser sim­ples, es­sa é uma das me­di­das que mais aju­da a evi­tar a pro­pa­ga­ção de do­en­ças”, su­bli­nou a téc­ni­ca de saú­de.

Iva da Cos­ta acres­cen­tou que os equi­pa­men­tos de pro­tec­ção de­vem ser usa­dos ape­nas no lo­cal de tra­ba­lho e nun­ca em áre­as pú­bli­cas.

“Ape­sar de ser uma re­co­men­da­ção co­nhe­ci­da por to­dos os pro­fis­si­o­nais da Saú­de, é co­mum ob­ser­var pes­so­as a uti­li­zar ba­tas de ser­vi­ço em áre­as pú­bli­cas ou trans­por­tan­do-as de ma­nei­ra ina­de­qua­da. Is­so po­de cau­sar o trans­por­te de agen­tes pa­to­gé­ni­cos pa­ra fo­ra das uni­da­des de saú­de, pro­vo­can­do do­en­ças na po­pu­la­ção”, con­cluiu.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola