Jornal de Angola

Ex­ter­mí­nio de tu­ba­rões pre­o­cu­pa au­to­ri­da­des

- Animals · Wildlife · Mary J. Blige · Luanda · Ministry of Culture · Investigação Criminal · Quatro de Fevereiro Airport

As au­to­ri­da­des an­go­la­nas es­tão a in­ves­ti­gar a de­nún­cia so­bre o ex­ter­mí­nio de tu­ba­rões no país, fe­nó­me­no de que já ha­via sus­pei­ta, de­vi­do à apre­en­são de gran­des quan­ti­da­des de bar­ba­ta­nas des­ta es­pé­cie, no Ae­ro­por­to In­ter­na­ci­o­nal 4 de Fe­ve­rei­ro, em Lu­an­da, en­vol­ven­do ci­da­dãos asiá­ti­cos.

A in­for­ma­ção foi on­tem avan­ça­da pe­la di­rec­to­ra do Ins­ti­tu­to da Bi­o­di­ver­si­da­de e Área de Con­ser­va­ção, ór­gão afec­to ao Mi­nis­té­rio da Cul­tu­ra, Tu­ris­mo e Am­bi­en­te.

Ou­vi­da pe­la Lu­sa, Al­ber­ti­na Nzu­zi dis­se que to­mou co­nhe­ci­men­to da si­tu­a­ção na se­ma­na pas­sa­da, atra­vés de uma de­nún­cia pú­bli­ca fei­ta pe­lo pro­jec­to am­bi­en­tal EcoAn­go­la, so­bre o ex­ter­mí­nio de tu­ba­rões, em quan­ti­da­des ain­da por apu­rar, nas pro­vín­ci­as de Lu­an­da e de Benguela.

Se­gun­do Al­ber­ti­na Nzu­zi, equi­pas de in­ves­ti­ga­ção e de acom­pa­nha­men­to en­con­tram­se no ter­re­no, pa­ra apa­nhar em fla­gran­te os in­frac­to­res.

“Te­mos pes­so­as no ter­re­no nas zo­nas in­di­ca­das. Em Benguela te­mos os ho­mens em cam­po, es­ta­mos a tra­ba­lhar com o Ser­vi­ço de In­ves­ti­ga­ção Cri­mi­nal e a qual­quer mo­men­to va­mos apre­sen­tar es­sas pes­so­as”, dis­se.

A EcoAn­go­la, na sua de­nún­cia, par­ti­lha­da nas re­des so­ci­ais, acom­pa­nha­das de fo­to­gra­fi­as, que mos­tram vá­ri­os tu­ba­rões mor­tos já sem as bar­ba­ta­nas, na praia Mun­di­al, bair­ro dos Pes­ca­do­res, no mu­ni­cí­pio de Ca­cu­a­co, em Lu­an­da, e um ví­deo, com mais de 20 ani­mais mor­tos, em Benguela, re­fe­re que os pes­ca­do­res es­tão a ser pa­gos por ci­da­dãos chi­ne­ses pa­ra pes­ca­rem es­sa es­pé­cie, ape­nas pa­ra apro­vei­ta­rem as bar­ba­ta­nas.

A res­pon­sá­vel do Ins­ti­tu­to da Bi­o­di­ver­si­da­de e Área de Con­ser­va­ção su­bli­nhou que foi a pri­mei­ra vez que re­ce­be­ram de­nún­ci­as co­mo es­ta, mas adi­an­tou que ge­ral­men­te são fei­tas apre­en­sões, no ae­ro­por­to, “de pes­so­as que ti­nham gran­des cai­xas e sa­cos de bar­ba­ta­nas de tu­ba­rão, mas ale­ga­vam que apa­nha­vam na praia”.

“En­tra­mos em con­tac­to com o Mi­nis­té­rio das Pes­cas pa­ra sa­ber se eles pas­sa­vam li­cen­ça pa­ra is­so, mas eles tam­bém não ti­nham gran­de con­tro­lo e não con­se­gui­mos ter uma res­pos­ta sa­tis­fa­tó­ria”, re­fe­riu.

“En­tre­tan­to, nós sa­bía­mos que ha­via en­vol­vi­men­to de al­guns ci­da­dãos asiá­ti­cos, prin­ci­pal­men­te chi­ne­ses. Es­ta de­nún­cia, nes­te mo­men­to, veio con­fir­mar aqui­lo que nós es­tá­va­mos a pre­ver”, acres­cen­tou.

 ?? DR ?? Au­to­ri­da­des es­tão pre­o­cu­pa­das com o ex­ter­mí­nio de tu­ba­rões pa­ra con­tra­ban­do de bar­ba­ta­nas
DR Au­to­ri­da­des es­tão pre­o­cu­pa­das com o ex­ter­mí­nio de tu­ba­rões pa­ra con­tra­ban­do de bar­ba­ta­nas

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola