Agên­ci­as da ONU pe­dem mais ac­ção con­tra in­for­ma­ção fal­sa

Jornal de Angola - - Destaque -

A Or­ga­ni­za­ção Mun­di­al de Saú­de e as Na­ções Uni­das ape­la­ram on­tem pa­ra que os paí­ses com­ba­tam a dis­se­mi­na­ção de idei­as fal­sas so­bre a Covid-19, pre­ten­den­do ga­nhar “a con­fi­an­ça do pú­bli­co” nu­ma va­ci­na que ve­nha a sur­gir.

O se­cre­tá­rio-ge­ral da ONU, An­tó­nio Gu­ter­res, afir­mou, num se­mi­ná­rio re­a­li­za­do pe­la In­ter­net, que “men­sa­gens in­cor­rec­tas e até pe­ri­go­sas pro­li­fe­ra­ram sem con­tro­lo nas re­des so­ci­ais, con­fun­din­do as pes­so­as, en­ga­nan­do-as e le­van­do-as a agir im­pru­den­te­men­te”, re­fe­rin­do-se ao que a OMS tem cha­ma­do de “in­fo­de­mia”.

A ONU quer “au­men­tar a con­fi­an­ça do pú­bli­co na se­gu­ran­ça e efi­cá­cia de fu­tu­ras va­ci­nas pa­ra a Covid-19”, as­su­miu Gu­ter­res.

O se­cre­tá­rio-ge­ral da OMS, Te­dros Ghe­breye­sus, sa­li­en­tou que “a in­for­ma­ção in­cor­rec­ta e a de­sin­for­ma­ção põem saú­de e vi­das em ris­co e mi­nam a con­fi­an­ça na ci­ên­cia, nas ins­ti­tui­ções e nos sis­te­mas de saú­de”.

“Pa­ra com­ba­ter a pan­de­mia, pre­ci­sa­mos de con­fi­an­ça e so­li­da­ri­e­da­de. Quan­do não há con­fi­an­ça, há mui­to me­nos so­li­da­ri­e­da­de”, acres­cen­tou.

A OMS e ou­tras agên­ci­as das Na­ções Uni­das ape­la­ram às na­ções pa­ra ou­vi­rem os seus ci­da­dãos, ao mes­mo tem­po que cri­am pla­nos na­ci­o­nais de ação con­tra a in­for­ma­ção fal­sa so­bre a Covid-19.

O di­rec­tor do Áfri­ca CDC des­ta­cou on­tem a des­ci­da de no­vos ca­sos de Co­vid19 em três re­giões afri­ca­nas, mas mos­trou-se cau­te­lo­so so­bre a exis­tên­cia de uma ten­dên­cia con­so­li­da­da glo­bal de re­cuo da pan­de­mia em Áfri­ca.

“Nas úl­ti­mas qu­a­tro se­ma­nas, man­tém-se uma ten­dên­cia de de­crés­ci­mo de no­vos ca­sos em três re­giões: Áfri­ca Ori­en­tal (-15%), Áfri­ca Oci­den­tal (14%) e Áfri­ca Aus­tral (-11%)”, dis­se John Nken­ga­song.

O di­rec­tor do Cen­tro Afri­ca­no de Con­tro­lo e Pre­ven­ção de Do­en­ças da União Afri­ca­na (Áfri­ca CDC) fa­la­va, a par­tir de Adis Abe­ba, du­ran­te a con­fe­rên­cia de im­pren­sa se­ma­nal so­bre a evo­lu­ção da pan­de­mia de Covid-19 no con­ti­nen­te.

“As ten­dên­ci­as pa­re­cem es­tar a man­ter-se e a men­sa­gem por de­trás des­tes nú­me­ros é que as me­di­das de saú­de pú­bli­ca (más­ca­ras, au­men­to de tes­tes, mo­ni­to­ri­za­ção de con­tac­tos e au­men­to de me­di­das de hi­gi­e­ne) es­tão a fun­ci­o­nar”, su­bli­nhou.

As­si­na­lou, por ou­tro la­do, o au­men­to no nú­me­ro de no­vos ca­sos no mes­mo pe­río­do na Áfri­ca Cen­tral (+56%) e no Nor­te de Áfri­ca (+14%). John Nken­ga­song res­sal­vou que, no ca­so da Áfri­ca Cen­tral, o ex­pres­si­vo au­men­to es­tá so­bre­tu­do re­la­ci­o­na­do com a for­ma cu­mu­la­ti­va co­mo os ca­sos são re­por­ta­dos ao Áfri­ca CDC.

Ques­ti­o­na­do pe­la agên­cia Lu­sa so­bre se é pos­sí­vel fa­lar nu­ma ten­dên­cia con­so­li­da­da de des­ci­da na glo­ba­li­da­de do con­ti­nen­te, o di­rec­tor do Áfri­ca CDC acon­se­lhou pru­dên­cia nu­ma “lei­tu­ra ex­tra­po­la­da” dos dados e aler­tou pa­ra os ris­cos de “ser de­ma­si­a­do op­ti­mis­ta e des­cu­rar as me­di­das de saú­de pú­bli­ca” no com­ba­te ao no­vo co­ro­na­ví­rus.

“Num con­ti­nen­te de 1,2 mil mi­lhões de pes­so­as e 55 es­ta­dos mem­bros, se agre­ga­mos os dados te­mos uma ten­dên­cia glo­bal de des­ci­da de no­vos ca­sos en­tre 10 e 12 por cen­to nas úl­ti­mas se­ma­nas. Mas te­mos de ser mui­to cau­te­lo­sos nes­ta lei­tu­ra e co­me­çar a olhar pa­ra os nú­me­ros por re­gião e até por país”, dis­se.

“Não po­de­mos va­lo­ri­zar ou in­ter­pre­tar de­ma­si­a­do es­sa ten­dên­cia, por­que, se ana­li­sar­mos as re­giões, cons­ta­ta­mos

DR

An­tó­nio Gu­ter­res re­pu­dia no­tí­ci­as fal­sas que cir­cu­lam nas re­des so­ci­ais

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Angola

© PressReader. All rights reserved.